Placas tectônicas

Vamos explicar o que são as placas tectônicas e por que são importantes na formação do relevo. Além disso, suas características e classificação.

Placas tectónicas
O movimento das placas tectônicas deu forma aos continentes atuais.

O que são placas tectônicas?

A camada superior da Terra, composta por rochas fortes e rígidas, é denominada litosfera e está dividida em grandes fragmentos chamados placas tectônicas que estão localizadas acima de uma camada do interior do planeta chamada astenosfera, que é de natureza mais plástica, com uma densidade intermediária entre o sólido e o líquido. Isto permite que as placas se movam para todas as direções.

Os movimentos das placas tectônicas foram referidos pela Teoria da Tectônica de Placas, uma teoria científica originada em 1968 que, não só explica a atividade e a interação entre essas placas, mas também a formação de montanhas, vulcões e oceanos. Além disso, permite identificar as zonas de bordas de placas tectônicas, que se caracterizam pela sua importante atividade sísmica e vulcânica.

O conhecimento das placas tectônicas e sua dinâmica foi fundamental para entender o movimento dos continentes, que foi exposto em 1915 na Teoria da Deriva Continental pelo meteorologista alemão Alfred Wegener.

Características das placas tectônicas

As placas tectônicas têm as seguintes características:

  • São grandes fragmentos de litosfera.
  • Seu estudo se enquadra dentro da Teoria da Tectônica de Placas.
  • Há três tipos de placas tectônicas: oceânicas, continentais e mistas.
  • Existem 14 grandes placas tectônicas no planeta.
  • O movimento das placas se explica pelas correntes convectivas de magma na astenosfera, a camada do interior do planeta que se encontra abaixo da litosfera.
  • As interações entre placas são de três tipos: convergência, divergência e transformantes.
  • A interação entre as placas explica os relevos da Terra e a formação dos oceanos.
  • As bordas das placas geram atividade sísmica e vulcânica.

Tipos de placas tectônicas

Placas tectónicas
As placas mistas combinam crosta oceânica e continental.

As placas tectônicas são rígidas e sólidas, mas diferentes entre si quanto à sua forma, que é irregular, e à sua espessura, que é variável. Não coincidem com a forma dos continentes tal como se representam em um mapa, mas a maioria das placas incluem, além disso, uma porção oceânica e às vezes abarcam mais de um continente.

Existem três tipos de placas tectônicas, segundo o tipo de crosta que as conforma:

  • Placas oceânicas. São aquelas formadas por crosta oceânica e cobertas quase em sua totalidade por água. Por exemplo: a placa do Pacífico.
  • Placas continentais. São aquelas formadas principalmente por crosta continental. Por exemplo: a placa arábica.
  • Placas oceânicas e continentais. São aquelas formadas por crosta oceânica e continental, e se trata do tipo de placa mais frequente na Terra. Por exemplo, a placa sul-americana.

Principais placas tectônicas

As principais placas tectônicas são catorze:

  • Placa Africana. É encontrada em torno da África e na porção oriental do oceano Atlântico.
  • Placa da Antártica. Está localizada em torno da Antártida e do Polo Sul.
  • Placa Arábica. Está localizada em torno da península arábica e do Oriente Médio.
  • Placa de Cocos. Encontra-se no litoral do oceano Pacífico, à altura da América Central.
  • Placa de Nazca. Encontra-se no oceano Pacífico, junto ao litoral do Peru, Chile e Equador.
  • Placa do Caribe. Encontra-se na região do mar do Caribe, ao norte da América do Sul.
  • Placa do Pacífico. Encontra-se em grande parte do oceano Pacífico.
  • Placa Euroasiática. Está localizada em torno da Europa e da maioria do continente asiático.
  • Placa das Filipinas. Está localizada no oceano Pacífico, na altura do sudeste asiático.
  • Placa Indo-Australiana. Está localizada em torno de grande parte da Oceania, Índia e seus oceanos próximos.
  • Placa Juan de Fuca. Está localizada no litoral oeste dos Estados Unidos.
  • Placa Norte-Americana. Está localizada em torno da América do Norte, Groenlândia, Islândia e parte da Rússia.
  • Placa de Scotia. Encontra-se no oceano Atlântico, ao sul da América do Sul e ao norte da Antártida.
  • Placa Sul-Americana. Está localizada na América do Sul e uma parte do oceano Atlântico adjacente.

Bordas das placas tectônicas

A cordilheira dos Andes na América do Sul se formou pela convergência das placas Sul-Americana e de Nazca.

A interação entre as placas tectônicas ocorre em seus limites ou bordas. As bordas de duas placas contíguas podem ser de três maneiras:

  • Bordas divergentes. Ocorrem quando duas placas tectônicas se separam. Isto produz uma ascensão de magma do interior da Terra, que quando esfria solidifica e cria nova crosta.
  • Bordas convergentes. Ocorrem quando duas placas tectônicas se juntam e se empurram. Como resultado desta interação, a placa mais densa se desloca abaixo da menos densa e se funde no manto, sob a crosta terrestre. Além disso, gera dobras na crosta, o que origina cordilheiras montanhosas e vulcões.
  • Bordas transformantes. Ocorrem quando duas placas são deslocadas lateralmente uma em relação à outra, sem produção e nem destruição de litosfera.

Consequências dos movimentos tectônicos

placas tectónicas
A orogênese é a formação de cordilheiras ou montanhas.

É nas bordas das placas tectônicas que se sentem mais intensamente as consequências dos movimentos das mesmas. As principais consequências são:

  • Atividade vulcânica. Ocorre quando o magma sobe para a superfície e produz erupções vulcânicas. Estes vulcões podem ser encontrados na crosta continental (são formados pela convergência de placas) ou na crosta oceânica (são formados pela separação de placas).
  • Formação de cordilheiras. Ocorrem nas bordas de convergência de placas tectônicas. Como resultado da pressão entre as placas, a menos densa se dobra e forma grandes estruturas montanhosas continentais.
  • Sismos. As áreas de borda de placas geralmente têm muitos sismos, e isso ocorre devido à grande liberação de energia que geram o movimento e interação entre placas tectônicas.

A velocidade de movimento das placas tectônicas depende do seu tamanho, composição e interação com outras placas. A América e a África, por exemplo, separam-se a uma velocidade aproximada de três centímetros por ano. Para se ter uma ideia da lentidão desses movimentos, se Cristóvão Colombo viajasse para a América em 2023, teria que navegar apenas 26 metros a mais do que em 1492.

Como as placas tectônicas se movem?

A camada superior do manto, denominada astenosfera, tem uma composição semiplástica. Isto significa que é formada por magma, um material que tem uma densidade intermediária entre o sólido e o líquido. Por sua natureza semiplástica, o magma que compõe a astenosfera se move através de correntes de convecção.

O magma mais profundo é mais quente e tem maior pressão, então tende a subir para setores menos profundos e menos quentes. Quando sobe, empurra para baixo partículas de magma que estão mais perto da superfície e mais frias. Por sua vez, estas partículas, quando descem, aquecem, aumentam a sua pressão e voltam a subir.

Estas correntes contínuas, chamadas de convecção, são as que fazem com que o magma esteja permanentemente em movimento na astenosfera. As placas tectônicas, ao estarem apoiadas sobre a astenosfera, movem-se como consequência destas correntes de convecção.

Referências

  • Gil, A. (2020). El mapa de las placas tectónicas. El Nuevo Orden Mundial. https://elordenmundial.com/
  • National Geographic. (s. f.). ¿Qué son las placas tectónicas y qué ocasiona su movimiento?. https://www.nationalgeographic.es/
  • Tarbuck, E. y Lutgens, F. (2005). Ciencias de la Tierra. Una introducción a la geología física. Prentice Hall. 

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

SPOSOB, Gustavo. Placas tectônicas. Enciclopedia Humanidades, 2024. Disponível em: https://humanidades.com/br/placas-tectonicas/. Acesso em: 19 abril, 2024.

Sobre o autor

Autor: Gustavo Sposob

Professor de Geografia do ensino médio e superior (UBA).

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 25 março, 2024
Data de publicação: 22 fevereiro, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)