Período Jurássico

Vamos explicar o que foi o Período Jurássico, como se divide e quais são as suas características. Além disso, o clima predominante, a flora e a fauna.

Período Jurásico
O Período Jurássico começou há 206 milhões de anos.

O que é o Período Jurássico?

Na escala temporal geológica, o Período Jurássico é o segundo dos três períodos em que se divide a era Mesozoica, que começou há 248 milhões de anos e culminou há 65 milhões. Trata-se da fase pós-Triássico e anterior ao Período Cretáceo.

O Período Jurássico começou há 206 milhões de anos e terminou há 145 milhões, ou seja, durou 61 milhões de anos. Durante este período, proliferaram e reinaram os dinossauros, razão pela qual é talvez o mais conhecido dos períodos que compõem o Mesozoico.

Durante o Período Jurássico, também se inicia a separação definitiva do único supercontinente que existia no planeta, a Pangeia, de modo que os continentes começam a derivar para suas posições atuais. Além disso, nesta etapa tem lugar a formação de diversos mares interiores e grandes corpos de água, como o Oceano Atlântico.

O nome jurássico provém da cadeia montanhosa do Jura, localizada entre a França e a Suíça, onde o geólogo francês Alexandre Brongniart descobriu os primeiros fósseis provenientes deste período. Além disso, foi ele quem organizou este sistema geológico no século XIX.

Características do Período Jurássico

Algumas das principais características do Período Jurássico são:

  • Começou há 206 milhões de anos e terminou há 145 milhões.
  • É o período da história geológica em que os dinossauros aparecem e se desenvolvem.
  • Inicia-se a separação definitiva da Pangeia.
  • Predomina um clima principalmente quente e úmido.
  • Aparecem as primeiras aves e os primeiros mamíferos.
  • Durante este período, as florestas úmidas proliferam.
  • Os mares são povoados por grandes predadores.

Divisão do Período Jurássico

O Período Jurássico divide-se em três épocas:

  • Jurássico Inferior . Começou há cerca de 201,3 milhões de anos e terminou há 182,7 milhões de anos. Divide-se nas Idades Hetangiana, Sinemuriana, Pliensbaquiana e Toarciana.
  • Jurássico Médio. Começou há cerca de 174,1 milhões de anos e culminou há 166,5 milhões anos. Divide-se nas Idades Aaleniana, Bajociana, Batoniana e Caloviana.
  • Jurássico Superior. Começou há cerca de 163,5 milhões de anos e culminou há 152,1 milhões de anos. Divide-se nas Idades Oxfordiana, Kimeridgiana e Titoniana.

Geologia do Período Jurássico

O evento geológico mais importante do período e de toda a era Mesozoica é o início da fragmentação do supercontinente Pangeia, que foi inicialmente dividido em duas partes:

Com a separação da Laurásia na América do Norte e na Europa, começa também a formação do oceano Atlântico e da dorsal Mesoatlântica, uma grande cordilheira de vulcões que se encontra sob este oceano. Além disso, o Período Jurássico forma o golfo do México na América do Norte e a cordilheira do Jura na França e na Suíça, que dá o seu nome ao período.

Clima do Período Jurássico

O clima predominante do Período Jurássico foi o quente subtropical, com altas temperaturas e abundantes precipitações em grande parte do planeta. Com o início da separação dos continentes, os desertos do interior da Pangeia tornaram-se mais úmidos, por isso que grande parte do planeta ficou coberto por florestas tropicais e subtropicais.

No Período Jurássico, os gradientes de temperatura eram muito mais uniformes do que atualmente, por isso o clima não variava tanto em função da latitude. Como as massas continentais estavam afastadas dos polos, não há evidência de grandes superfícies cobertas de gelo.

Devido às altas temperaturas, acredita-se também que o nível do mar era mais elevado do que atualmente, por isso muitas regiões litorâneas estavam cobertas de água.

Fauna e flora do Período Jurássico

periodo jurasico fauna reptiles marinos plesiosaurio
Os mares também se aglomeraram de répteis, como os plesiossauros.

A vida animal durante o Período Jurássico proliferou, favorecida pelas mudanças geológicas e climáticas que permitiram uma maior diversidade de fauna e flora.

Nos continentes, os dinossauros se expandiram notavelmente. Velociraptores, diplodocos e brachiossauros eram algumas das espécies mais frequentes. Tanto os dinossauros carnívoros como os herbívoros encontraram nichos para se desenvolverem, alimentarem e se reproduzirem. Além disso, nos oceanos viviam répteis como os ictiossauros e os plesiossauros, e outras espécies aquáticas como os amonites e os moluscos.

Quanto à flora, e em comparação com o estágio anterior, muito menos úmido, o Período Jurássico foi um período bastante verde. O aumento dos níveis de umidade e o clima quente permitiram a expansão da vegetação ao longo dos novos subcontinentes. Os desertos tornaram-se zonas mais úmidas e cresceram florestas, bosques e selvas.

As florestas predominantes eram de coníferas, semelhantes aos pinheiros e às araucárias de hoje. Também havia diferentes espécies de palmeiras e de samambaias, ginkgos e Equisetaceae, embora ainda não existiam neste período nenhum tipo de flores e nem frutos.

Aparição das aves

Período Jurásico
O arqueoptérix é o primeiro pássaro primitivo.

Durante o Período Jurássico, os céus eram dominados por pterodáctilos sem penas. Além disso, os insetos primitivos tinham um tamanho muito maior do que os atuais, devido à superabundância do oxigênio na atmosfera.

No entanto, no final do período começaram a aparecer exemplares de aves primitivas como o arqueoptérix, cujos fósseis permitiram demonstrar que as aves provinham dos dinossauros. O arqueoptérix tinha penas e asas, mas também características reptilianas, como garras nas asas e dentes no bico. Assim, compartilhava características tanto com as aves como com os dinossauros. O fóssil deste animal foi descoberto no século XIX na Alemanha e foi objeto de estudo e debate na comunidade científica devido à sua posição única na história evolutiva.

Os primeiros mamíferos

Os mamíferos que viviam no Período Jurássico eram geralmente de tamanho reduzido e ocupavam pequenos nichos ecológicos nos ecossistemas. Isto significa que, pela enorme quantidade e variedade de predadores existentes na época, não podiam se desenvolver e nem se expandir. Além disso, costumavam apresentar comportamentos noturnos e acredita-se que tinham uma alimentação principalmente insetívora.

Embora fossem pequenos e não dominantes em termos de número e diversidade, estes primeiros mamíferos foram o início da evolução que continuou durante o Período Jurássico com o aparecimento de grupos mais diversos e especializados. No entanto, o seu maior desenvolvimento e expansão terá lugar em períodos posteriores.

O Período Jurássico na ficção

Arthur Conan Doyle
Arthur Conan Doyle escreveu um livro sobre dinossauros chamado O Mundo Perdido.

Algumas das ficções que fazem alusão a este período ou aos animais desta época são:

  • O romance de ficção do escritor escocês Arthur Conan Doyle O Mundo Perdido, publicado em 1912, que se ambienta na Amazônia venezuelana, onde teriam sobrevivido espécies pré-históricas.
  • O romance de ficção científico Jurassic Park (em português O Parque dos Dinossauros), do americano Michael Crichton, publicado em 1990, bem como a sua sequência de 1995, O Mundo Perdido, que tratam da instalação de um parque temático em uma ilha da Costa Rica, onde são exibidos dinossauros clonados a partir do DNA encontrado em um mosquito preservado em âmbar.
  • A saga de filmes inspirados nos romances de Crichton, entre eles: Jurassic Park (1993), filme dirigido por Steven Spielberg, obtendo, na época, a maior bilheteria da história do cinema; O Mundo Perdido: Jurassic Park (1997); Jurassic Park III (2001); Jurassic World: mundo jurássico (2015); Jurassic World: o reino caído (2018) e Jurassic World: domínio (2022).

Continue com:

Referências

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

SPOSOB, Gustavo. Período Jurássico. Enciclopedia Humanidades, 2024. Disponível em: https://humanidades.com/br/periodo-jurassico/. Acesso em: 19 abril, 2024.

Sobre o autor

Autor: Gustavo Sposob

Professor de Geografia do ensino médio e superior (UBA).

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 25 março, 2024
Data de publicação: 29 fevereiro, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)