Guatemala


Vamos explicar tudo sobre a Guatemala e suas características físicas e culturais. Além disso, como é a economia, religião e a história desse país.

A Guatemala é o país mais populoso da América Central.

Guatemala

A Guatemala é um Estado nacional cujo nome oficial é República da Guatemala. Ao norte, faz fronteira com o México e Belize e, ao sul, com Honduras e El Salvador.

É uma nação soberana no continente centro-americano, cujo território fazia parte da antiga Mesoamérica, um dos berços da civilização, e foi o berço das culturas maia e olmeca. Como muitas nações da América Central, a Guatemala combina a herança histórica da colônia espanhola com as culturas das civilizações pré-colombianas.

É o quarto maior país da América Central, com uma área de 109 mil quilômetros quadrados, e o mais populoso, com uma população de 17 milhões e 600 mil habitantes.

Sua forma de governo é uma república presidencialista e sua capital é a Cidade da Guatemala, que, com 3 milhões de habitantes e uma área metropolitana de mais de 5 milhões, é a cidade mais populosa da América Central.

Por que se chama “Guatemala”? O nome Guatemala vem de uma palavra nahuatl: Quauhtlemallan, que se traduz como “lugar de muitas árvores”. Acredita-se que a Guatemala tenha recebido esse nome pela primeira vez em cartas trocadas entre os conquistadores Pedro de Alvarado e Hernán Cortés durante a conquista da região.

Características da Guatemala

Algumas características desse país são:

  • Sua população é de 17 milhões e 600 mil habitantes.
  • Sua área de superfície é de 109 mil quilômetros quadrados, representando uma densidade populacional de 161,4 habitantes por quilômetro quadrado.
  • Sua capital é a Cidade da Guatemala.
  • O idioma oficial é o espanhol.
  • A religião predominante é a católica.
  • As culturas pré-colombianas são muito importantes para o país, especialmente as derivadas dos maias.
  • O clima predominante é o tropical quente.
  • Possui três regiões distintas de acordo com seu relevo: as montanhas e os vulcões no oeste, os planaltos no nordeste e as planícies litorâneas.
  • O rio Motagua, com 486 quilômetros de extensão, é o mais longo do país.
  • Suas principais atividades econômicas são a agricultura e o turismo.
  • A moeda oficial é o quetzal.

Extensão territorial, população e capital da Guatemala

Ciudad de Guatemala
A área metropolitana da Cidade da Guatemala tem uma população de mais de 5 milhões de habitantes.

A Guatemala cobre uma área de 109 mil quilômetros quadrados. Tem uma população de 17 milhões e 600 mil habitantes, o que a torna o país mais populoso da América Central. Sua densidade populacional é de 161,4 habitantes por quilômetro quadrado.

A Guatemala é dividida em 22 estados chamados “departamentos”, subdivididos em 340 municípios. O departamento mais populoso é o da Guatemala, onde está localizada a capital. O departamento de Petén, na fronteira com Belize, é o maior do país: cobre mais de 35 mil quilômetros quadrados, ou 32% da área total do país.

A capital da Guatemala é a Cidade da Guatemala. Sua área metropolitana tem uma população de 5 milhões e 100 mil habitantes, o que representa 28,9% do total do país. Seu nome oficial é Nueva Guatemala de la Asunción, e é a sede do governo guatemalteco e do Parlamento Centro-Americano.

Clima, relevo e hidrografia da Guatemala

O vulcão Tajumulco é o ponto mais alto da Guatemala e da América Central.

O relevo da Guatemala pode ser dividido em três regiões:

  • A região montanhosa. É a mais extensa do território. É formada por altas montanhas e vulcões. O ponto mais alto da região é a Sierra Madre, com vulcões abundantes, como o Tajumulco (4.220 msnm.) e o Tacaná (4.092 msnm), o mais alto da América Central.
  • Planícies litorâneas. Estendem-se ao longo das costas do oceano Atlântico e do Mar do Caribe. São áreas baixas e onduladas.
  • O planalto nordestino. Essa é uma região extensa e relativamente elevada onde se encontra a floresta tropical de Petén. Ela se estende até a Península de Iucatã, na fronteira com o México e Belize.

Devido à ação das placas de Cocos e do Caribe, a Guatemala fica em uma zona sísmica e vulcanicamente ativa. As erupções vulcânicas e os terremotos são frequentes. O terremoto de 1976 na Guatemala destruiu quase metade da capital do país. A erupção de 1902 do vulcão Santa María, no oeste do país, é considerada uma das três piores erupções vulcânicas do século XX.

A maior parte da Guatemala tem um clima tropical quente, com exceção das áreas montanhosas, que têm um clima de montanha temperado e subúmido. O clima tropical quente é caracterizado por altas temperaturas durante todo o ano e chuvas abundantes. Já o clima temperado subúmido de montanha tem uma temperatura média de cerca de 14 °C e chuvas abundantes nos meses de verão.

Devido ao seu clima chuvoso e relevo montanhoso, o território da Guatemala é atravessado por um grande número de rios. Com 486 quilômetros de extensão, o mais longo é o rio Motagua, que nasce nas cadeias de montanhas do oeste e deságua no Mar do Caribe. Outro rio importante é o Usumacinta, que nasce na Guatemala, mas flui principalmente pelo território mexicano.

A flora e a fauna da Guatemala são extremamente diversificadas graças ao seu clima quente e à abundância de chuvas. No que diz respeito à flora, entre as espécies mais importantes está a ceiba, uma árvore conhecida como yaxché no idioma maia.

Quanto à fauna, a Guatemala é o lar de uma grande variedade de espécies animais. Entre as mais emblemáticas está a onça-pintada, que é considerada o maior predador da América Central e está correndo sério risco de extinção. As selvas também são o lar de macacos, como o bugio-preto e o macaco-aranha, que são comuns na região. Os pássaros também apresentam alta biodiversidade, e o quetzal é o pássaro mais icônico do país e era considerado sagrado para a civilização maia.

Os rios e lagos abrigam uma variedade de espécies aquáticas, como o peixe-boi e as tartarugas de água doce.

Cultura da Guatemala

Guatemala
A população guatemalteca é, em sua maioria, mestiça ou indígena.

A população da Guatemala é, em sua maioria, mestiça ou indígena, mas também há uma população branca e negra, devido à sua história de múltiplas presenças colonizadoras (espanhola, belga, alemã e americana).

A Guatemala é um país laico, ou seja, não tem religião oficial. Embora as religiões católica e evangélica sejam as mais predominantes, há uma grande variedade de tradições religiosas indígenas, principalmente derivadas da cultura maia.

O idioma oficial é o espanhol, embora muitos dos diversos grupos étnicos do país o falem como segundo idioma. Alguns dos idiomas indígenas mais falados na Guatemala são o quiche, o mam e o kakchiquel, que são derivados do maia. Além disso, a Guatemala é o quarto maior país da América Latina em termos de número de falantes de inglês.

Em termos de música, a Guatemala tem uma variedade de ritmos típicos que são parte integrante de seu patrimônio cultural. Entre os mais destacados está o son guatemalteco, tocado em instrumentos como marimba, violão e percussão.

Com relação aos expoentes da música guatemalteca, os mais destacados são Rafael Álvarez Ovalle, compositor do hino nacional do país, e José Castañeda, regente de orquestra.

No campo da literatura, destacam-se referências culturais como Miguel Ángel Asturias, ganhador do Prêmio Nobel de Literatura em 1967, e Rigoberta Menchú, que se destacou por seus testemunhos que tornam visível a realidade indígena.

A culinária guatemalteca oferece uma grande variedade de pratos tradicionais que refletem a fusão de influências indígenas e espanholas. Entre os pratos mais notáveis estão o pepián, um ensopado de carne com molho de tomate e especiarias, e o tamal, uma massa de milho recheada com carne e vegetais.

Símbolos patrióticos da Guatemala

No centro da Bandeira da Guatemala está o Brasão Nacional.

Os símbolos patrióticos da Guatemala são:

  • A Bandeira. Consiste em três faixas verticais, duas azuis claras nas laterais e uma faixa branca no meio. No centro está o Brasão Nacional. Foi adotada oficialmente em 1847.
  • O Hino Nacional. A letra do hino foi composta pelo poeta cubano José Joaquín Palma e a música por Rafael Álvarez Ovalle em 1879.
  • O Brasão de Armas. Ele é composto por um quetzal verde, a ave nacional do país. O quetzal está pousado em um pergaminho com a legenda “Libertad. 15 de setembro de 1821”. Por trás do pergaminho, duas espadas e dois rifles se cruzam.

Atividades econômicas na Guatemala

As atividades econômicas mais importantes da Guatemala são:

  • A agricultura. A Guatemala é o maior exportador de cardamomo do mundo, o quinto maior exportador de açúcar e o sétimo maior exportador de café. Também é um grande produtor e exportador de bananas.
  • A indústria. Destaca-se a indústria têxtil, petroquímica e produção de energia.
  • O turismo. É o segundo maior gerador de divisas do país. As ruínas maias, a cultura indígena, os parques nacionais e as praias são uma grande atração turística para os visitantes do país. Os locais mais visitados são o lago Atitlán, o sítio arqueológico de Tikal e a cidade de Antigua Guatemala.

Seus principais parceiros comerciais são os Estados Unidos, a China, o México, El Salvador e Honduras, e sua moeda oficial é o quetzal.

Ruínas pré-colombianas da Guatemala

Guatemala - Tikal
Tikal é uma cidade maia localizada no departamento de Petén.

O atual território da Guatemala fazia parte da Mesoamérica, uma das regiões pré-colombianas mais férteis do continente em termos culturais e demográficos e um dos berços da civilização humana.

Em particular, floresceram as culturas olmeca (1500 a.C.– 500 a.C.) e maia (8000 a.C.–1697 d.C.), das quais numerosos nichos e edifícios arqueológicos permanecem na Guatemala, como Tikal, uma cidade maia inteira localizada no departamento de Petén, ou Uaxactún, na mesma região, uma cidade cujo esplendor ocorreu por volta de 900 d.C.

História da Guatemala

Guatemala
Em 1944, a Guatemala iniciou um processo de modernização chamado de “Era de Ouro”.

A história da Guatemala começa com a colônia espanhola, uma vez que o Império Mexica e suas culturas vizinhas foram derrotados e absorvidos pelo Reino da Espanha, criando o primeiro assentamento no território da atual Guatemala em 1524, chamado Santiago de Guatemala.

Durante esse período colonial, a Capitania Geral da Guatemala foi anexada ao Vice-reinado da Nova Espanha, com capital na Cidade do México.

A independência da Espanha ocorreu no século XIX e a Guatemala se uniu ao Primeiro Império Mexicano, que substituiu o Vice-Reino, mas que foi extremamente breve e do qual a Guatemala e o restante da América Central se separariam em 1823, formando assim as Províncias Unidas da América Central, mais tarde chamadas de República Federal da América Central.

Em seguida, como em muitas jovens repúblicas americanas, houve uma luta interna entre liberais e conservadores para definir o destino do poder, o que resultou em governos totalitários e insurreições armadas.

Finalmente, em 1944, a Guatemala emergiu da ditadura do General Ubico Castañeda e iniciou um processo de modernização, muitas vezes chamado de “Era de Ouro” da Guatemala, até que as tensões entre os interesses pró-americanos e comunistas levaram a um confronto entre guerrilheiros insurrecionais armados e governos militares contrarrevolucionários, envolvidos em uma Guerra Civil. A paz e a democracia retornariam em 1987.

Referências

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

SPOSOB, Gustavo. Guatemala. Enciclopédia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/guatemala/. Acesso em: 7 junho, 2024.

Sobre o autor

Autor: Gustavo Sposob

Professor de Geografia do ensino médio e superior (UBA).

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur)

Data da última edição: 25 março, 2024
Data de publicação: 27 novembro, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)