Hominínios

Vamos explicar o que são os hominínios, como se originaram e como evoluíram. Além disso, quais são as suas características e os tipos que existiram.

Hominino
Os hominínios são as diferentes espécies que constituíram a evolução da raça humana.

 O que são os hominínios?

O termo “hominínios” refere-se às diferentes espécies do gênero Homo que conformam o processo evolutivo humano. Entre os hominínios incluem-se o Homo erectus, Homo sapiens e Homo neandertal, entre outros. Atualmente, a única espécie de hominínios sobrevivente é o Homo sapiens sapiens, o ser humano atual.

Os hominínios pertencem à família biológica dos hominídeos, um termo com o qual são frequentemente confundidos. São da família biológica dos primatas bípedes, que inclui chimpanzés, bonobos, orangotangos e seres humanos, entre outras espécies de animais. Os hominínios são uma categoria dentro dos hominídeos.

A origem dos hominínios

Embora haja debate sobre qual deve ser considerado o primeiro  hominínio, acredita-se que os hominínios apareceram na terra durante o Mioceno (período histórico de 5 a 23 milhões de anos atrás).

Ao final do período do Mioceno e no início do período Plioceno (entre 12 e 8 milhões de anos atrás), existiam dois grandes grupos de hominídeos: os driopitecos, adaptados aos habitats florestais e os ramapitecos, adaptados aos habitats de campo aberto.

Os ramapitecos apresentam características hominídeas e sobreviveram até o período Plioceno (entre 10 e 3 milhões de anos atrás) e acredita-se que daí se originam os australopitecos, que são os primeiros antepassados dos hominídeos. Os seus restos fósseis permitem datar a sua existência entre 4 e 2 milhões de anos atrás.

As diferenças com os hominídeos

Homínido
Os hominínios se caracterizam por serem bípedes, de postura ereta.

Estes termos são frequentemente utilizados como sinônimos, no entanto são termos com significados diferentes. O conceito “hominídeo” refere-se à família dos primatas bípedes, que inclui orangotangos, gorilas, chimpanzés e humanos, entre outros.

Por outro lado, o conceito “hominínio” abrange apenas indivíduos das espécies do gênero Homo, que são parte do processo evolutivo humano.

A evolução dos hominínios

Charles Darwin postulou a teoria da evolução no seu livro A Origem das Espécies, publicado em 1859. Esta teoria sustenta que alguns indivíduos de cada espécie apresentam mutações de certas características biológicas que podem ser selecionadas pelas condições do meio ambiente. Esta situação favorece a sobrevivência destes indivíduos, que terão mais oportunidades de transmitir as mutações aos seus descendentes.

Atualmente, cientistas de diferentes disciplinas afirmam que todas as espécies são o resultado da acumulação de mudanças sucessivas ao longo de um período prolongado.

A evolução do homem não foi um processo linear. As evidências arqueológicas indicam que algumas espécies de hominínios coexistiram ao longo do tempo: algumas extinguiram-se e outras evoluíram. No entanto, é possível estabelecer uma cronologia dos principais saltos evolutivos no gênero Homo que levaram à aparição do ser humano atual:

Os Australopitecos afarensis

Hominino
Todos os hominínios são descendentes dos Australopitecos afarensis.

O Australopitecos é considerado como o ponto de partida da evolução para a nossa espécie. É um conjunto de espécies hominínios africanos bípedes que surgiu há 4 milhões de anos. Eram primatas bípedes, viviam em habitats de savana e eram vegetarianos. Apresentavam uma capacidade craniana média de 450 cm³. Andavam eretos, o que lhes proporcionou uma série de vantagens como a liberação das mãos durante o movimento e um campo de visão frontal.

Esta espécie foi capaz de utilizar pedras como ferramenta rudimentar para abrir ossos ou conchas e extrair carne ou medula. O espécime mais bem conservado desta espécie, apelidado de “Lucy”, foi encontrado em 1974 na Etiópia.

Deles descendem duas linhagens evolutivas distintas e paralelas. Por um lado, Paranthropus, mais robusto e com uma dieta vegetal mais forte. Por outro lado, Homo, mais frágil fisicamente, mas com um cérebro maior. Estas espécies conviveram durante um milhão de anos, até que o gênero Homo decolou evolutivamente com o Homo habilis.

O Homo hábilis

Evolución humana
O Homo hábilis foi o primeiro  hominínio a fabricar ferramentas de pedra.

O Homo hábilis (“homem hábil") era um hominínio que viveu no início e meio do período Pleistoceno, há 2,6 milhões de anos atrás.

O seu nome vem do número de instrumentos líticos (de pedra) encontrados com os seus fósseis, o que implica supor que aprenderam a fazer utensílios de pedra. Tinham até 1,40 metro de comprimento e a sua capacidade craniana chegava aos 700 cm³. Desenvolveram a fala, fabricaram ferramentas e construíram refúgios temporários.

O Homo erectus

Evolución del hombre
Acredita-se que o Homo erectus é o primeiro  hominínio a dominar o uso do fogo.

O Homo erectus migrou por África, Europa, Ásia e Oceania faz 1,5 milhão de anos e viveu até cerca de 500.000 anos atrás. Os seus espécimes atingiram 1,60 metro de comprimento e a sua capacidade craniana chegou aos 1000 cm³. Caçavam pequenos animais, viviam em acampamentos e covas e aprenderam a controlar o fogo.

Dentro da categoria Homo erectus encontram-se outros grupos de hominínios conhecidos por outros nomes, como Homo ergaster. A sua extinção está ligada em algumas áreas à Teoria das Catástrofes de Toba do período Pleistoceno Inferior e médio (a suposta erupção do supervulcão Toba) com a evolução para o Homo sapiens.

O Homo ergaster

O Homo ergaster surgiu na África entre 1,9 e 1,4 milhões de anos atrás. Apresenta uma maior capacidade craniana (cerca de 850 cm³) do que o Homo habilis e um tamanho semelhante ao do ser humano atual.

Há um debate entre os estudiosos sobre se deve ser considerado uma subespécie do Homo erectus ou uma espécie separada. Acredita-se que pode ter tido alguma forma de linguagem articulada, embora não haja evidências de qualquer manifestação de pensamento simbólico complexo. Esta espécie foi a primeira a migrar da África para a Ásia e parte da Europa.

O Homo sapiens

Homo sapiens
Muitos estudiosos identificam o Homo heidelbergensis como Homo sapiens arcaico.

O Homo sapiens é a espécie que evoluiu a partir das diferentes variantes do Homo erectus. A transição evolutiva começou há 500.000 anos, mas só há 200.000 anos é que o Homo sapiens apareceu como uma espécie claramente separada.

A variedade de Homo sapiens que viveu essa transição é chamada de Homo sapiens arcaico. Muitos especialistas consideram que o Homo antecessor e o Homo heidelbergensis pertencem a esta categoria, uma vez que descende deles o Homo sapiens que levou ao homem moderno.

A capacidade craniana do Homo sapiens atingiu 1500 cm³ e os cientistas acreditam que há 200.000 anos possuía o mesmo potencial intelectual que o do ser humano atual. Os Homo sapiens fabricaram ferramentas mais elaboradas do que os seus antepassados, fizeram um uso mais complexo da linguagem e desenvolveram uma inteligência simbólica, que se manifesta no enterro dos mortos.

O Homo neandertal

neandertal
O “homem de neandertal” é considerado por alguns estudiosos como sendo uma subespécie do Homo.

O homem de neandertal foi uma espécie que conviveu com o Homo sapiens e o Homo sapiens sapiens durante milhares de anos. Habitaram a Europa, o Oriente Próximo, o Oriente Médio e a Ásia Central há cerca de 230.000 a 30.000 anos. Eram caçadores e viviam em grupos maiores.

Quando foram encontrados os primeiros restos fósseis do Homo neandertal, cientistas os consideraram como um gênero distinto de Homo. Hoje, porém, está incluído como subespécie dentro do gênero Homo sapiens.

As razões da sua extinção ainda são debatidas, mas a maioria dos estudos apontam para a superioridade numérica e adaptativa do Homo sapiens sapiens. No entanto, a convivência entre os dois grupos gerou intercâmbios biológicos e culturais, o que levou a casos de hibridização entre espécies. Isto significa que parte do genoma neandertal sobrevive até hoje em alguma porcentagem da população humana.

O Homo sapiens sapiens

homo sapiens sapiens
O Homo sapiens sapiens desenvolveu um pensamento simbólico complexo.

O Homo sapiens sapiens é considerado como a subespécie do Homo sapiens que são os humanos de hoje. O Homo sapiens sapiens habitou a África, Ásia, Europa, Oceania e a América.

Os restos mortais mais antigos datam de há 100.000 anos. Dominaram técnicas de caça em grupos de animais de grande porte. Desenvolveram o pensamento simbólico, praticaram rituais religiosos e representaram a realidade em pinturas e esculturas.

Referências

  • López Serrano, A. (1996). Proceso de hominización y cultura material. La aportación de la antropología histórica.
  • Harris, M. (1981). Introducción a la antropología general. Alianza.
  • Leakey, R., & Lewin, R. (1994). Nuestros orígenes. RBA editores.
  • “Hominina” em Wikipedia.
  • “Homo” em Wikipedia.
  • “Los primeros homininos. Paleontología humana” em Museo Nacional de Ciencias Naturales de España.
  • “Overview of Hominin Evolution” em Nature.
  • “Hominin History” em National Geographic.
  • “Hominin” em The Encyclopaedia Britannica.

Como citar?

Citar a fonte original da qual extraímos as informações serve para dar crédito aos respectivos autores e evitar cometer plágio. Além disso, permite que os leitores acessem as fontes originais que foram utilizadas em um texto para verificar ou ampliar as informações, caso necessitem.

Para citar de forma adequada, recomendamos o uso das normas ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), que é uma entidade privada, sem fins lucrativos, usada pelas principais instituições acadêmicas e de pesquisa no Brasil para padronizar as produções técnicas.

KISS, Teresa. Hominínios. Enciclopédia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/homininios/. Acesso em: 17 julho, 2024.

Sobre o autor

Autor: Teresa Kiss

Professora de História do ensino médio e superior.

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 4 dezembro, 2023
Data de publicação: 28 junho, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)