Homo sapiens

Explicamos o que é o Homo sapiens, quando e onde surgiu e como se classifica. Além disso, quais são suas características e sua evolução.

homo sapiens
O Homo sapiens é a espécie da qual descende o ser humano atual.

O que é o Homo sapiens?

Homo sapiens é o nome científico da espécie humana. A utilização do termo refere-se à evolução do ser humano e, especificamente, à espécie que deu origem ao homem moderno.

A evolução do homem se deu há 4 milhões de anos e integrou diferentes gêneros e espécies de hominídeos. Faz 500.000 anos que só existe uma espécie de hominídeos que evoluiu do Homo erectus para o Homo sapiens e deste para a subespécie Homo sapiens sapiens, à qual pertence o ser humano atual. Esta transição terminou há aproximadamente 35.000 anos.

A evolução do homem e a história de suas fases evolutivas é um tema em constante pesquisa, que se estuda desde diferentes disciplinas. Em muitas ocasiões, os especialistas debatem sobre como interpretar os achados de restos fósseis e materiais, como são as relações entre as diferentes espécies e subespécies e ainda como se deram os saltos evolutivos entre elas.

Por isso, existem diferentes categorias ou definições que, por sua vez, vão mudando a partir dos novos achados e pesquisas.

A origem do Homo sapiens

O Homo sapiens é a espécie que evoluiu do Homo erectus. A transição evolutiva começou há 500 mil anos, mas somente há 200 mil anos os Homo sapiens apareceram como uma espécie claramente separada. A variedade de Homo sapiens que viveu essa transição é chamada de Homo sapiens arcaico.

Por outro lado, há décadas, os pesquisadores debatem sobre a origem do Homo sapiens. Foram postuladas duas hipóteses:

  • Modelo candelabro: poligenismo. Propõe que as populações ancestrais de Homo erectus de todo o mundo evoluíram, de maneira gradual e independente, para o Homo sapiens. Aqueles que defendem este modelo sustentam que o contato entre as diferentes populações geográficas foi essencial para manter um fluxo genético, que permitiu que evoluíssem como conjunto e não de maneira independente.
  • Modelo da Arca de Noé: monogenismo. Este modelo contempla uma origem única, seguido de uma migração para o resto dos continentes. A espécie de Homo sapiens teria surgido na África e, a partir daí, migrado para a Eurásia.

Hoje em dia, a maioria dos cientistas apoia o modelo monogenista. No entanto, são geralmente consideradas situações intermediárias entre os dois modelos para explicar a origem do Homo sapiens. Por exemplo, alguns argumentam que pode ter sido uma origem única, mas imediatamente seguido de migrações através das quais os recém-chegados teriam se cruzado com populações de Homo sapiens arcaicos.

O Homo sapiens dentro da linha de tempo evolutiva

Tal como as espécies mais antigas do gênero Homo, o Homo sapiens é uma espécie mamífera bípede, cujo corpo apresenta simetria bilateral e apresenta dimorfismo sexual: as fêmeas e os machos distinguem-se pelas características dos seus corpos (as mulheres têm mamas, cinturas pequenas e vulva; os homens não têm mamas, são mais largos de musculatura e têm pênis).

Os membros superiores do ser humano apresentam mãos preênseis com polegares oponíveis, o que lhe permite criar e pegar ferramentas de vários tipos.

No que diz respeito às espécies de fases evolutivas anteriores, o Homo sapiens apresenta as seguintes características:

  • Capacidade craniana. Aumenta sua capacidade craniana para uma média de 1500 cm3 e os cientistas consideram que teve um potencial intelectual equivalente ao do ser humano atual.
  • Altura. Cresce em estatura, alcançando 1,70 metro em média.
  • Desenvolvimento da linguagem. Embora não se saiba exatamente quando apareceram as primeiras línguas, os cientistas têm a certeza de que o Homo sapiens deu um uso mais complexo à linguagem.
  • Migração. Habitou na África, Europa, Ásia e Oceania. A subespécie Homo sapiens sapiens também migrou para a América há 40.000 anoss.
  • Fabricação de ferramentas. Criou ferramentas mais elaboradas e desenvolveu diferentes técnicas de trabalho sobre a pedra.

O estilo de vida do Homo sapiens

Homo sapiens
Os Homo sapiens desenvolveram diferentes técnicas para trabalhar a pedra.

Durante o Paleolítico (período histórico no qual o Homo sapiens evoluiu) a vida social dos homens teve as seguintes características:

  • Nomadismo. Os grupos humanos não viviam em um lugar fixo, pois se deslocavam seguindo os animais e os ciclos estacionais.
  • Economia de subsistência. Os Homo sapiens alimentavam-se de elementos que existiam na natureza através da caça e da colheita. Desenvolveram técnicas de caça em grupo e mais complexas, com armas que lhes permitiram caçar animais grandes.
  • Bandos. O modo de vida nômade e a economia de subsistência favoreceram para que os grupos humanos se organizassem em grupos pequenos (chamados “bandos’ pelos historiadores) de 20 a 30 pessoas. Estes grupos estavam unidos por relações de parentesco e controlavam os territórios pelos quais se deslocavam para obter seus recursos.
  • Sociedades igualitárias. Os homens primitivos não tinham líderes ou chefes formais. Às vezes, um indivíduo podia se destacar por suas habilidades e era especialmente respeitado. Os anciãos eram ouvidos por sua experiência e tinham maior autoridade para resolver conflitos. No entanto, eram sociedades igualitárias onde não havia hierarquia de poder.

Debates sobre o Homo sapiens

Homo sapiens
Existem diferentes teses sobre como classificar o Homo neandertal.

Quando os arqueólogos encontram restos fósseis, devem estudá-los para identificar a que espécie pertencem. Isto é feito com estudos sobre a composição química e a anatomia dos ossos, bem como sobre os restos materiais que aparecem junto aos fósseis. É a partir deste tipo de estudos que, com o tempo, a tradição acadêmica conseguiu estabelecer uma categorização em fases para a evolução do ser humano.

No entanto, os estudos nem sempre são exatos e os cientistas interpretam frequentemente os seus resultados de forma diferente. Por isso, há discussões sobre como classificar certas descobertas.

É o caso do Homo neandertal, sobre cujos restos os arqueólogos, paleontólogos e outros especialistas debatem. Atualmente, a maioria considera tratar-se de uma subespécie do Homo sapiens, com traços e características distintas do Homo sapiens sapiens (outra subespécie do Homo sapiens, que é o ser humano atual).

 A linha de tempo evolutiva do homem

Craneo evolucion
Do Australopitecos afarensis descende o gênero Homo que deu origem à espécie humana.

Considera-se que as principais fases evolutivas do ser humano foram as seguintes:

  • Primeiros ancestrais: Australopitecos. Foi o primeiro hominídeo que caminhou ereto e que prosperou nas savanas africanas entre 2 a 4 milhões de anos atrás.
  • Origem do gênero humano: Homo habilis. Os achados na Tanzânia e Quênia de restos fósseis de 2,5 milhões de anos de idade permitiram identificar uma espécie distinta, descendente dos Australopitecos afarensis. Os fósseis apresentam um maior volume craniano e algumas mudanças anatômicas relativas à postura. Foram encontrados ao lado de materiais líticos (de pedra) em forma de ferramentas cortantes.
  • Expansão territorial: Homo erectus. Dos restos encontrados na África, Europa e Ásia, esta fase evolutiva data de 1,5 milhão de anos a 500.000 anos atrás. As diferentes comunidades de Homo erectus migraram da África para outros continentes, fabricaram ferramentas mais complexas que seus antecessores e desenvolveram padrões de subsistência baseados na cooperação, na divisão do trabalho e na prática de compartilhar os alimentos. Dominavam o uso do fogo e caçavam animais grandes. A esta fase pertencem diferentes espécies e subespécies, que por conveniência muitas vezes os especialistas categorizam como Homo erectus, mas incluem, por exemplo, o Homo antecessor e o Homo Heidelbergensis.
  • Processo de sapienização: do Homo sapiens ao ser humano atual. Esta etapa corresponde à evolução gradual que se produziu do Homo erectus ao primeiro Homo sapiens (chamado “arcaico”), e deste a uma subespécie conhecida como Homo sapiens sapiens, o ser humano atual. Do Homo sapiens arcaico também descendeu outra subespécie conhecida como Homo neandertal. Este processo começou há 500.000 anos atrás e finalizou há 35.000 anos, quando o Homo sapiens sapiens ficou como única espécie sobrevivente do gênero Homo.

Referências

  • López Serrano, A. (1996). Proceso de hominización y cultura material. La aportación de la antropología histórica.
  • Harris, M. (1981). Introducción a la antropología general. Alianza.
  • Leakey, R., & Lewin, R. (1994). Nuestros orígenes. RBA editores.
  • “Homo sapiens” em Wikipedia.
  • “Evolución humana” em Wikipedia.
  • “La edad del Homo sapiens” Maggie Fox em El País.
  • “Homo sapiens” em SobreHistoria.com.
  • “Homo sapiens” em Dinosaurios.info.
  • “El homo sapiens salió de África 60.000 años antes de lo que se pensaba” El País (Uruguay).

Como citar?

Citar a fonte original da qual extraímos as informações serve para dar crédito aos respectivos autores e evitar cometer plágio. Além disso, permite que os leitores acessem as fontes originais que foram utilizadas em um texto para verificar ou ampliar as informações, caso necessitem.

Para citar de forma adequada, recomendamos o uso das normas ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), que é uma entidade privada, sem fins lucrativos, usada pelas principais instituições acadêmicas e de pesquisa no Brasil para padronizar as produções técnicas.

KISS, Teresa. Homo sapiens. Enciclopédia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/homo-sapiens/. Acesso em: 17 julho, 2024.

Sobre o autor

Autor: Teresa Kiss

Professora de História do ensino médio e superior.

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 21 fevereiro, 2024
Data de publicação: 29 junho, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)