Evolução humana

Vamos explicar como foi a evolução humana e as principais teorias do seu desenvolvimento. Além disso, suas características e as espécies que existiram.

Evolución humana
A evolução humana é um processo que engloba mudanças biológicas e culturais.

O que foi a evolução humana?

A evolução humana é o processo evolutivo que engloba todas as mudanças biológicas e culturais pelas quais a espécie humana passou a ter as características do humano atual. Este processo é também conhecido como o processo de hominização e está fortemente ligado à “teoria da evolução”.

Os hominídeos conhecidos como Australopitecos, que viveram na África há 4 milhões de anos, são considerados como os primeiros antepassados da espécie humana. Mais tarde, o aparecimento de diferentes gêneros de humanos, chamados Homo, foram se desenvolvendo e se extinguindo até o aparecimento do gênero Homo sapiens a que pertence o humano atual.

A fim de compreender a evolução humana, são realizados estudos conjuntos entre diferentes disciplinas, tais como antropologia, genética, paleontologia, estratigrafia, geocronologia, arqueologia e a linguística.

As teorias sobre a origem da humanidade

Evolución humana
Os cientistas estudam a origem do homem a partir da teoria da evolução.

Ao longo da história, diferentes culturas têm explicado a origem do ser humano com base em relatos de histórias míticas, em muitos casos relacionados com a criação pelas divindades. Com o aparecimento das grandes religiões monoteístas, como o judaísmo, o cristianismo e o Islã, a origem do homem foi explicada com base em textos religiosos que difundiram a sua mensagem como a única verdade.

A partir da perspectiva das ciências sociais, os mitos e os relatos de histórias religiosas não são uma explicação suficiente para compreender a origem do ser humano. Portanto, as ciências sociais abordam o problema pela perspectiva da teoria evolutiva.

No século XIX Charles Darwin publicou A origem das Espécies, um livro em que mostrou a sua teoria da evolução. Ele explicou que alguns indivíduos de cada espécie apresentam mutações de certas características biológicas que podem ser selecionadas pelas condições do meio ambiente. Esta situação favorece a sobrevivência desses indivíduos, que terão mais oportunidades de transmitir as mutações aos seus descendentes.

Hoje em dia, esta proposta é combinada com a investigação genética e postula-se a teoria sintética da evolução, que afirma que todas as espécies são o resultado da acumulação de mudanças sucessivas durante um período prolongado.

A evolução do homem não foi um processo linear. As evidências arqueológicas indicam que algumas espécies do gênero Homo, das quais derivam os humanos atuais, coexistiram ao longo do tempo, algumas foram extintas e outras evoluíram.

A origem do homem

Como outras espécies de seres vivos, a espécie humana foi evoluindo ao longo de milhões de anos através de um complexo processo de mudança chamado evolução. Todos os gêneros de seres humanos que fizeram parte desta evolução são chamados hominídeos.

Segundo os cientistas, os primeiros antepassados dos seres humanos foram os Australopitecos, um gênero de hominídeos que habitou a África há quatro milhões de anos. Os Australopitecos eram primatas, uma classe de mamíferos que se caracterizava por possuir mãos com cinco dedos e polegares oponíveis (ou seja, um dedo que pode ser o oposto aos outros quatro e assim agarrar objetos). Além disso, possuíam um cérebro complexo, visão frontal e as suas fêmeas tinham um ciclo mensal de fertilidade sexual.

Dentro do grupo dos primatas existem também os gorilas, chimpanzés e orangotangos, mas estes gêneros não sofreram o mesmo processo de transformação evolutiva.

Há quatro milhões de anos, a Terra sofreu algumas mudanças climáticas e a floresta africana se transformou em savana. Esta mudança no meio ambiente favoreceu ao grupo Australopitecos, que possuíam uma marcha bípede (ou seja, andavam em duas pernas). Isso permitiu que eles utilizassem as suas mãos para outras tarefas, colher frutos do solo, juntar raízes e tubérculos comestíveis e andar com paus e pedras em suas mãos. Além disso, em conjunto com a visão frontal, a marcha bípede permitiu-lhes reconhecer a proximidade de predadores no ambiente da savana (coberto por pastagens de meia altura) e percorrer distâncias de território mais longas.

A cronologia da evolução da espécie humana

Da Australopitecos surgiu o gênero Homo que se identifica com os diferentes grupos humanos que, na sua evolução, transformaram-se no ser humano atual. Esta evolução não foi um processo linear e diferentes grupos humanos coexistiram ao longo do tempo e em diferentes espaços. Foram identificadas mais de 18 espécies dentro do gênero Homo.

Em termos gerais, a cronologia abaixo representa os saltos evolutivos da espécie humana:

  • Homo habilis. Habitaram a África há 2,5 milhões de anos. Atingiram uma altura de 1,40 metro e a sua capacidade craniana foi de até 700 cm³. Desenvolveram a fala, fabricaram ferramentas e construíram refúgios temporários.
  • Homo erectus. Migraram através da África, Europa, Ásia e Oceania há 1,5 milhão de anos. Atingiram uma altura de 1,60 metro e a sua capacidade craniana foi de 1000 cm³. Caçavam pequenos animais, viviam em acampamentos e covas e aprenderam a controlar o fogo.
  • Homo sapiens. Habitaram a África, Europa, Ásia e Oceania. Há 500.000 anos iniciaram um processo evolutivo a partir do Homo erectus. Os restos fósseis mais antigos do Homo sapiens como uma espécie distintamente separada datam de 200.000 anos atrás. Chegaram a medir 1,70 metros de altura. A sua capacidade craniana atingiu 1500 cm³ e os cientistas acreditam que tiveram um potencial intelectual equivalente ao do ser humano atual. Fabricaram ferramentas mais elaboradas, tornaram mais complexo o uso da linguagem e enterraram os seus mortos.
  • Homo neandertal. Habitaram a Europa e a Ásia entre 30.000 e 23.000 anos atrás. Eram caçadores e viviam em grupos maiores. Quando foram encontrados os primeiros restos fósseis do homo neandertal, os cientistas consideraram que era um gênero Homo distinto. Hoje, porém, está incluída como uma subespécie dentro do gênero Homo sapiens. As razões para a sua extinção não são conhecidas. No último período, conviviam com o Homo sapiens sapiens, o antepassado direto do ser humano atual.
  • Homo sapiens sapiens. Habitaram a África, Ásia, Europa, Oceania e a América. É a espécie a que nós, seres humanos, pertencemos hoje em dia. Os restos mortais mais antigos datam de 2000 anos atrás. Dominaram técnicas de caça em grupos de animais de grande porte. Praticavam rituais religiosos e representavam a realidade em pinturas e esculturas.

As características da evolução humana

Entre as principais mutações biológicas que a evolução humana sofreu, podemos encontrar:

  • Pedestação
  • Polegares oponíveis
  • Cerebração

Entre os aspectos culturais mais importantes da evolução humana, podemos encontrar:

  • Aparição da linguagem
  • Representação simbólica

Pedestação

Estima-se que a postura erguida sobre os membros traseiros tenha surgido para caminhar de maneira mais eficaz nas savanas africanas, uma vez que permitia que os hominídeos corressem com maior velocidade. Ao mover-se, era possível manter os olhos acima dos pastos que prevaleciam na região e que podiam esconder predadores.

Os indivíduos que ficavam de pé em duas pernas tinham mais possibilidades de sobrevivência do que aqueles que tinham que utilizar os quatro membros para sobreviver. Como resultado, este traço tomou forma e a conformação do corpo começou a mudar, de modo que o crânio foi firmemente posicionado na parte superior da coluna vertebral.

Polegares oponíveis

evolucion humana pulgar oponible
O polegar oponível permitiu que os hominídeos criassem e utilizassem ferramentas.

Ao aprenderem a andar de pé, os hominídeos tinham os membros superiores livres, uma vez que já não precisavam deles para se movimentarem. Poderiam então utilizá-los para outras coisas, tais como comer enquanto caminhavam, segurar as crias enquanto fugiam de um predador, transportar comida ou começar a usar ferramentas.

Pedras, ossos, pedaços de madeira foram as ferramentas iniciais que os nossos antepassados possuíam. Elas marcam o início da aprendizagem tecnológica que levou às ferramentas sofisticadas que temos hoje.

Cerebração

evolución humana
O aumento no volume do cérebro implica na capacidade de maiores processos cognitivos.

À medida que avançamos através das espécies pré-hominídeos, a capacidade craniana aumentou dos 350 cm³ dos primeiros Australopitecos para os 1200 a 1400 cm³ de conteúdo cerebral do Homo sapiens.

Este aumento do volume cerebral implicou na capacidade de elaborar maiores processos cognitivos, um raciocínio mais amplo, profundo e rápido. Também permitiu a capacidade de aprendizagem e abstração, que é a característica fundamental que nos distingue dos outros animais.

A aparição da linguagem

Embora a comunicação seja um elemento comum em todas as formas de vida, a linguagem é exclusivamente humana.

Alguns animais podem compreender e associar certas instruções através de comportamentos desejados ou indesejados. Outros, como os chimpanzés, são capazes de compreender certos rudimentos comunicativos mediante a linguagem de sinais.

No entanto, em nenhum destes casos é uma linguagem articulada. Um sistema baseado em sons e signos que se traduzem em ideias complexas é algo único para a nossa espécie.

A arte e a cultura

evolución humana
A arte e a cultura são um reflexo da nossa capacidade de pensamento.

As formas mais sofisticadas de cultura e expressão artística entre todas as espécies humanas que alguma vez existiram foram alcançadas pelo Homo sapiens. No entanto, alguns antepassados deixaram vestígios da sua existência. Além disso, suspeita-se que os Neandertais também deixaram a arte rupestre e outras formas de arte pré-histórica.

Na nossa civilização, a arte e a cultura são um reflexo da nossa capacidade de pensamento, do nosso espírito expressivo e criativo. São também um aspecto muito valorizado da nossa existência, único entre todas as formas de vida animal.

Referências

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

KISS, Teresa. Evolução humana. Enciclopedia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/evolucao-humana/. Acesso em: 13 abril, 2024.

Sobre o autor

Autor: Teresa Kiss

Professora de História do ensino médio e superior.

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 28 dezembro, 2023
Data de publicação: 29 junho, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)