Zona urbana

Vamos explicar o que é a zona urbana e como difere da zona rural. Além disso, quais são as suas características e classificação.

A zona urbana é o território ocupado por uma cidade e seus arredores.

O que é uma zona urbana?

A definição do que significa uma zona urbana varia conforme cada país. No entanto, em termos gerais, uma zona urbana é definida como uma área com alta concentração de população e a infraestrutura de uma cidade, como ruas e avenidas, edifícios e lojas.

Diferentemente das zonas rurais, que se caracterizam pela predominância de atividades relacionadas à agricultura e à pecuária, as atividades econômicas nas zonas urbanas estão ligadas principalmente aos setores secundário e terciário.

Além disso, a maioria das zonas urbanas se caracteriza por uma alta densidade populacional e milhares ou milhões de habitantes.

Estima-se que 56% da população mundial (cerca de 4,4 bilhões de pessoas) vive em zonas urbanas. As cidades mais populosas do mundo são Tóquio (Japão), com 43 milhões de habitantes, Xangai (China), com 41 milhões, e Délhi (Índia), com 33 milhões.

Zona rural e urbana

As zonas rurais são menos densamente povoadas do que as cidades.

As áreas rurais são áreas geográficas caracterizadas pela predominância de atividades relacionadas principalmente à agricultura e à pecuária. Nas zonas urbanas, por outro lado, predominam as atividades industriais, comerciais e de serviços.

As cidades e as localidades rurais são pequenas e pouco povoadas. A população tende a trabalhar como mão de obra no campo ou em outras tarefas relacionadas às atividades rurais. As zonas urbanas tendem a ter grandes concentrações populacionais, e as pessoas costumam trabalhar no setor comercial, em empresas e fábricas, e em serviços como transporte, turismo, tecnologia, saúde ou educação.

Nas zonas urbanas, normalmente se encontram edifícios públicos e governamentais, sobretudo nas cidades que funcionam como capitais de municípios, estados e nações. Por isso, muitas pessoas também trabalham em órgãos públicos relacionados à administração pública e ao governo.

As zonas urbanas também são caracterizadas por uma ampla variedade de infraestruturas de transporte. Geralmente possuem ruas pavimentadas, avenidas e rodovias que são usadas para percorrer longas distâncias. Além disso, possuem infraestrutura relacionada a outros meios de transporte, como ferrovias, estações, portos e aeroportos.

Em contrapartida, as zonas rurais contam apenas com as estradas que as conectam e caminhos internos que podem ser asfaltados ou de terra. Não possuem infraestrutura para determinados meios de transporte, como aeroportos ou metrôs, e às vezes apenas uma pequena estação de ônibus.

O que constitui uma zona urbana?

As áreas que constituem uma zona urbana são:

  • Centro. Possui uma alta densidade populacional e de atividades econômicas. Geralmente também inclui o centro histórico e de fundação das cidades, onde estão localizados os edifícios e a infraestrutura mais antigos que fazem parte da história da cidade. As áreas centrais também costumam ter um número maior de meios de transporte, como ônibus, trens ou metrôs.
  • Subúrbio ou periferia. Localizam-se longe do centro da cidade, mas estão integrados a ele por meio de rotas de transporte, como avenidas, rodovias ou redes de transporte público. Tendem a ser menos densamente povoados e a ter mais espaços verdes.

Atividades econômicas em zonas urbanas

zona urbana productos
As fábricas processam matérias-primas e obtêm valor agregado.

Diferentemente das zonas rurais, onde predominam as atividades primárias, nas zonas urbanas as atividades econômicas mais comuns estão ligadas aos setores secundário e terciário. Algumas das mais importantes são:

  • A indústria. As fábricas das marcas mais importantes do mundo geralmente estão localizadas nas zonas urbanas. A maior disponibilidade de mão de obra, o acesso a serviços e a proximidade dos mercados é o que atrai as fábricas a se instalarem nas zonas urbanas. Os principais setores industriais são o automotivo, o petroquímico, o têxtil e o de alimentos e bebidas.
  • A construção. A construção de moradias, edifícios e obras públicas nas cidades emprega milhões de pessoas nas zonas urbanas.
  • O comércio. As zonas urbanas também são um importante centro de concentração de comércio varejista. Centros comerciais, shoppings, supermercados, restaurantes e lojas de todos os tipos geram muita atividade econômica e empregos nas cidades.
  • Os serviços. Muitas pessoas nas zonas urbanas estão envolvidas na prestação de serviços. Alguns deles são públicos, como a saúde ou a educação, e outros são privados, como empresas envolvidas em serviços de tecnologia e logística, serviços financeiros, serviços culturais, consultoria jurídica etc.
  • O transporte. Os meios de transporte são essenciais nas grandes cidades. Os diferentes meios de transporte (ônibus, metrô, trem) movimentam milhões de pessoas por dia e, consequentemente, o setor de transporte emprega muitas pessoas que trabalham como motoristas, seguranças, mecânicos e outras atividades relacionadas a esse setor.
  • O turismo. As zonas urbanas costumam ser importantes centros turísticos que recebem visitantes de todo o mundo. A atividade turística se relaciona a acomodações, agências de viagens, atividades recreativas e gastronomia e é uma fonte muito importante de emprego para as pessoas que vivem em áreas urbanas.
  • O setor público. As zonas urbanas também empregam muitas pessoas em cargos relacionados à gestão e à administração do governo, já que costumam ser as sedes do poder político em municípios, províncias e países.

Problemas das zonas urbanas

zona urbana - transporte
As cidades possuem métodos de transporte internos e externos.

Em geral, a população nas zonas urbanas tende a ser maior e mais concentrada do que nas zonas rurais. Atualmente, estima-se que pouco mais de 4,4 bilhões de pessoas no mundo vivem em cidades, o que representa 56% da população.

O alto número e a densidade populacional que ocorrem nas zonas urbanas causam impacto em uma série de problemas para seus habitantes. Alguns dos mais significativos são:

  • A poluição. Um dos problemas mais importantes nas áreas urbanas é a poluição do ar e da água decorrente da atividade econômica e da geração de resíduos sólidos e de esgoto. A qualidade do ar e da água em áreas urbanas densamente povoadas geralmente está abaixo dos níveis recomendados, o que pode causar graves problemas de saúde para a população.
  • A mobilidade. A mobilidade e o deslocamento de milhões de pessoas exercem um impacto sobre os problemas relacionados ao tempo e à qualidade das viagens. Problemas de trânsito, acidentes, serviços de transporte público superlotados e dificuldades de estacionamento são alguns dos problemas frequentes vivenciados pelas pessoas que vivem em zonas urbanas.
  • O acesso à moradia. As zonas urbanas costumam ser caras para comprar ou alugar moradias. Como resultado, muitas vezes formam-se favelas e muitas pessoas acabam morando nas ruas.

Problemas ambientais nas zonas urbanas

Os principais problemas ambientais nas zonas urbanas são:

  • A poluição do ar. As fábricas instaladas nas cidades e os veículos que nelas circulam são responsáveis por uma grande quantidade de emissões de gases de efeito estufa e outros poluentes que afetam a qualidade do ar e podem causar impactos negativos na saúde das pessoas.
  • A poluição sonora. O excesso de ruído gerado pelo tráfego, pela construção e por outras atividades humanas pode levar ao estresse, a problemas de sono e a outros efeitos negativos à saúde.
  • A poluição da água. As cidades geram grandes quantidades de águas residuais e resíduos sólidos que podem poluir rios, lagos e lençóis freáticos.
  • A falta de espaço verde. O crescimento urbano não planejado pode fragmentar e degradar os ecossistemas naturais, levando à perda de espaços verdes e à diminuição da biodiversidade.
  • A geração de resíduos. As cidades geram milhões de toneladas de resíduos sólidos todos os dias. O grande volume de produção de resíduos dificulta muito o gerenciamento, o que pode causar impactos negativos no meio ambiente.

Metrópole e megalópole

Megalópoles, como Moscou, reúnem várias metrópoles em uma única zona urbana.

As zonas urbanas mais densamente povoadas formam grandes áreas metropolitanas e são chamadas de metrópoles. Embora não exista uma definição universal do tamanho da população que uma zona urbana deve ter para ser considerada uma metrópole, geralmente são habitadas por milhões de pessoas.

As metrópoles são formadas pelo crescimento das áreas periféricas das cidades. O processo pelo qual as pessoas se afastam do centro da cidade e se mudam gradualmente para a periferia é chamado de “processo de suburbanização”.

As megalópoles, por outro lado, são definidas como um conjunto de áreas metropolitanas (ou seja, metrópoles). Por meio da suburbanização e do crescimento espacial de suas zonas urbanas, essas grandes cidades entram em contato umas com as outras e formam um único espaço urbano contínuo.

Uma das megalópoles mais populosas do mundo é chamada de Boswash porque engloba todas as cidades entre Boston e Washington, nos Estados Unidos. Abrange uma área de aproximadamente 800 quilômetros e concentra mais de 70 milhões de habitantes.

O que são cidades globais? As cidades globais são megalópoles estrategicamente importantes para o funcionamento da economia e da política mundiais. Nelas se encontram as sedes e os escritórios centrais das corporações transnacionais mais importantes do mundo e as sedes de governo das principais potências políticas. Também são as sedes de organizações internacionais, como a Organização das Nações Unidas (ONU) e o Fundo Monetário Internacional (FMI).
As cidades globais mais importantes atualmente são Nova York (nos Estados Unidos), Londres (na Inglaterra), Tóquio (no Japão) e Pequim (na China).

Zonas periurbanas (ou franjas urbanas)

Em áreas periurbanas, a cidade e o campo estão integrados.

As áreas periurbanas são definidas como zonas localizadas na periferia das áreas urbanas, onde ocorre uma transição entre os ambientes urbano e rural. Nessas áreas, as características urbanas e rurais coexistem.

Por exemplo, podem ser encontradas atividades urbanas ligadas ao comércio e à prestação de serviços e atividades rurais ligadas à agricultura ou à pecuária. As áreas periurbanas geralmente têm acesso deficiente e desigual à prestação de serviços básicos. Por exemplo, a energia elétrica ou a água potável podem estar disponíveis em algumas áreas e talvez não em outras.

O trabalho das pessoas também é específico de ambos os espaços. As zonas periurbanas abrigam pessoas envolvidas em atividades primárias ligadas ao meio rural e outras que têm empregos urbanos, como trabalho em fábricas ou no comércio.

A migração urbana

Em meados do século XX, houve um verdadeiro boom nos processos de urbanização global. Houve um êxodo das zonas rurais para as urbanas, principalmente como resultado das maiores oportunidades de emprego oferecidas pelas cidades. Esse processo levou a um aumento acentuado da população das áreas urbanas e a um despovoamento progressivo das zonas rurais.

A industrialização e a modernização de alguns sistemas produtivos deixaram muitas pessoas desempregadas nas zonas rurais. Por esse motivo, ao longo do século XX, milhões de pessoas decidiram deixar o campo para morar nas grandes cidades.

O rápido crescimento urbano acarretou o aumento dos preços das moradias nas cidades, o que tornou a moradia inacessível para muitos migrantes. Por esse motivo, proliferaram zonas informais dentro das zonas urbanas, onde muitos dos recém-chegados iriam se estabelecer.

Como resultado da migração entre as zonas rurais e urbanas, em 2008, pela primeira vez no mundo, a população urbana era maior do que a população rural. Atualmente, a parcela da população urbana é de 56% do total mundial.
 

Continue com:

Referências

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

SPOSOB, Gustavo. Zona urbana. Enciclopédia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/zona-urbana/. Acesso em: 24 maio, 2024.

Sobre o autor

Autor: Gustavo Sposob

Professor de Geografia do ensino médio e superior (UBA).

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur)

Data da última edição: 26 fevereiro, 2024
Data de publicação: 27 setembro, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)