Mesopotâmia

Vamos explicar o que é a Mesopotâmia, suas características e seus habitantes. Além disso, as artes e disciplinas, sua religião e muito mais.

Na Mesopotâmia foi encontrada a mais antiga evidência do desenvolvimento da agricultura.

O que é a Mesopotâmia?

A Mesopotâmia é um território que se estende entre os rios Tigre e Eufrates, também conhecido como Oriente Médio (atual região do Iraque), e que abrange partes do sudoeste da Ásia e terras ao redor do mar Mediterrâneo oriental. O termo Mesopotâmia significa “terra entre rios”. Resultou ser uma zona muito fértil que permitiu realizar as primeiras atividades de agricultura.

A Mesopotâmia é considerada o berço da civilização por ser a região onde se desenvolveram os primeiros assentamentos humanos permanentes, por volta do ano 4000 a.C. Os primeiros habitantes foram os sumérios, que se estabeleceram na cidade de Uruk e depois conseguiram ocupar a região baixa da Mesopotâmia.

As culturas do Antigo Egito se desenvolveram ao longo do rio Nilo, quase ao mesmo tempo que as culturas da Mesopotâmia. Por isso, as obras arquitetônicas mais antigas do mundo se encontram na Mesopotâmia e no Egito.

Os principais acontecimentos que marcaram a transição entre os períodos da Pré-História e a Idade Antiga foram a criação da roda (por volta do ano 3500 a.C.) e o desenvolvimento da escrita (a partir do ano 3300 a.C.) que praticaram os primeiros povos com características de sedentarismo.

Características da Mesopotâmia

A Mesopotâmia se caracterizou por se estabelecer nas proximidades de dois grandes rios, que abasteciam o extenso vale fluvial. Graças a esta condição, a área se destacou por seu terreno muito fértil. Essas condições naturais resultaram nas bases da economia da região, através da agricultura e da criação de animais, atividades que permitiram uma vida sedentária.

O relevo mesopotâmico apresenta quatro tipos de variantes:

  • Planaltos. São planaltos que se estendem na região da Alta Mesopotâmia e que atravessam de leste a oeste.
  • Planícies. São grandes extensões de terrenos planos que se estendem na zona da Baixa Mesopotâmia, desde Bagdá até o Golfo Pérsico.
  • Montanhas. São grandes elevações do terreno que alcançam a formar as cordilheiras do Líbano, a do Antilíbano e as montanhas Amanus e da Armênia.
  • Estepes (Caatinga) e desertos. São zonas de vegetação adaptadas à seca devido às escassas chuvas, por isso não é possível praticar a agricultura. Estendem-se na zona do vale do Eufrates Médio.

Numerosas inovações acompanharam o desenvolvimento das primeiras civilizações sedentárias, como a roda, o sistema de irrigação de água, a escrita cuneiforme e um sistema de leis.

Habitantes da Mesopotâmia

A cidade de Uruk, onde se estabeleceram os sumérios, foi a mais importante de todas.

Os sumérios se estabeleceram na Baixa Mesopotâmia por volta do ano 3500 a.C. e fundaram as primeiras cidades. A mais importante durante o primeiro milênio foi a cidade de Uruk, embora também se destacaram as cidades de Uy e de Nippur.

À medida que se desenvolviam mais populações, ocorreram numerosos confrontos motivados pela conquista dos territórios. No ano 2.334 a.C. o Império Acádio conseguiu dominar os sumérios e se expandir por toda a Mesopotâmia durante 140 anos. Como consequência, produziu-se uma mudança cultural na região, entre outras questões, pela difusão da língua acádia.

Logo, o sul mesopotâmio foi povoado pelos babilônios e pelos caldeus que permaneceram ali até o ano 533 d.C., depois de serem conquistados pelos persas sob o comando do rei Ciro. Os persas conseguiram dominar um vasto território, que é atualmente a região do Irã.

A região da Alta Mesopotâmia foi habitada pelos assírios, cuja capital foi Assur (o mesmo nome que sua deidade principal), às margens do rio Tigre. Eles se destacaram por serem os primeiros a usar armas de ferro e cavalaria nas guerras.

Cultura da Mesopotâmia

Mesopotamia - Persia
Com o uso do tijolo, revolucionaram a construção de templos e palácios.

As culturas da Mesopotâmia abrangeram diferentes disciplinas, tais como:

  • Arquitetura. Criaram o tijolo e conseguiram revolucionar a construção, especialmente a dos templos e a dos palácios de forma piramidal. Por exemplo, o importante centro religioso de Zigurate de Borsippa, perto da Babilônia.
  • Matemática. Criaram medidas de peso denominadas mina (que equivalia a 305 gramas) e talento (que equivalia a 60 minas). Além disso, utilizaram medidas de comprimento, como o cúbito (distância do cotovelo até a ponta do dedo médio que equivalia a 49 centímetros).
  • Astronomia. Estudaram o céu em profundidade. Realizavam observações que resultaram em um grande progresso para a astronomia. Conseguiram calcular o dia em 24 horas, a semana em 7 dias e o ano em 12 meses, identificaram os eclipses do Sol e da Lua e ainda criaram os 12 signos do Zodíaco.
  • Escrita. Criaram o primeiro sistema de escrita, chamado “cuneiforme” porque os signos eram formados por linhas em forma de pregos ou cunhas. Os mesmos consistiam em desenhos de animais e objetos. Escreviam com um picador sobre pequenas tábuas de argila mole que logo secavam e endureciam.
  • O código de Hammurabi. Criaram um conjunto de leis durante o reinado de Hammurabi, um monarca da Babilônia, no século XVII a.C. Este documento denominado “o código de Hamurabi” foi o documento jurídico mais antigo. Algumas das leis escritas em pedra não podiam ser modificadas, nem mesmo por outros reis.

Religião mesopotâmica

Civilización mesopotámica
A religião mesopotâmica resultou de grande influência para o cristianismo e o islã.

A religião mesopotâmica foi caracterizada por ser politeísta, embora tivesse três deuses principais: Ea (o Deus da sabedoria e da magia), Anu (o Deus do céu) e Enlil (o Deus da terra, das tempestades e da agricultura).

Esta região tem sido de grande influência, tanto no cristianismo como no islã. Histórias como o Jardim do Éden, o Grande Dilúvio e a Criação da Torre de Babel fizeram parte dos escritos da Bíblia.

Os fenômenos naturais pertenciam a outros deuses, como Sin (o Deus da Lua), Abade (o Deus da tempestade e da chuva) e Shamash (o Deus do Sol). Consideravam que os deuses viviam longe do mundo dos humanos.

Referências

  • Ackermann, M. E., Schroeder, M. J. y otros (2008). “Prehistoric Eras to 600 c.e.”, “Akkad”, “Sumer” y “Ur”. Encyclopedia of World History. Vol I. Facts on File. 
  • Edzard, Dietz O. , Soden, Wolfram Th. von and Frye, Richard N. (2023). "History of Mesopotamia". Encyclopedia Britannica. https://www.britannica.com/ 
  • Galliano, A., Katz, M. y otros (2015). “Sociedades a orillas de los ríos”. Ciencias Sociales. Historia y espacios geográficos desde el origen del hombre hasta la Edad Media. Edelvives.

Como citar?

Citar a fonte original da qual extraímos as informações serve para dar crédito aos respectivos autores e evitar cometer plágio. Além disso, permite que os leitores acessem as fontes originais que foram utilizadas em um texto para verificar ou ampliar as informações, caso necessitem.

Para citar de forma adequada, recomendamos o uso das normas ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), que é uma entidade privada, sem fins lucrativos, usada pelas principais instituições acadêmicas e de pesquisa no Brasil para padronizar as produções técnicas.

ETECÉ, Equipo editorial. Mesopotâmia. Enciclopédia Humanidades, 2024. Disponível em: https://humanidades.com/br/mesopotamia/. Acesso em: 9 julho, 2024.

Sobre o autor

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 18 maio, 2024
Data de publicação: 18 fevereiro, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)