Desmatamento (desflorestamento)

Vamos explicar o que é o desmatamento e quais são suas causas. Além disso, suas características e principais consequências.

Deforestación
O desmatamento destrói ecossistemas e altera o ciclo da água do planeta.

O que é o desmatamento?

O desmatamento, também chamado de desflorestação ou desflorestamento, é a destruição de florestas nativas como consequência da ação humana. Este processo implica a perda irreversível de biodiversidade, bem como a alteração dos ciclos hidrológicos e climáticos regionais e globais.

A história do desmatamento remonta a práticas ancestrais de comunidades que dependiam da agricultura para a sua sobrevivência. Por isso avançavam sobre superfícies arborizadas para poder produzir suas culturas. No entanto, atualmente, a chegada de tecnologias modernas e a crescente procura de produtos de madeira e de produtos agrícolas em grande escala aprofundaram a exploração florestal a níveis sem precedentes.

As causas do desmatamento incluem a expansão da agricultura e da pecuária, o abate indiscriminado de árvores para obter madeira e papel, os incêndios e a conversão de terrenos florestais em áreas urbanas.

As consequências do desmatamento estão relacionadas à perda de biodiversidade, com a erosão do solo, a alteração dos padrões climáticos regionais, a redução da produção de oxigênio e a emissão de gases de efeito estufa. Isto não só ameaça a estabilidade ecológica, mas também tem um impacto direto na qualidade de vida das comunidades humanas que dependem das florestas para a sua sobrevivência.

O desmatamento não deve ser confundido com a atividade florestal. Refere-se à perda de florestas nativas e constitui uma problemática ambiental, enquanto a atividade florestal se produz sobre florestas que são plantadas para depois serem aproveitados economicamente. A atividade florestal vê as florestas como uma cultura: semeia as árvores, espera o seu crescimento e depois as abate para que sejam utilizadas. Esta atividade econômica é fundamental para a produção industrial de diferentes países e não constitui uma problemática ambiental.

Características do desmatamento

O desmatamento tem as seguintes características:

  • É definido como a destruição das florestas nativas por ações humanas.
  • Existe há séculos, mas acelerou notavelmente nos últimos 150 anos.
  • A expansão da fronteira agropecuária é sua principal causa globalmente.
  • As consequências incluem a perda de biodiversidade e a mudança dos padrões climáticos regionais e globais.
  • As leis de proteção ambiental são as medidas mais eficazes que os governos têm para combatê-la.

Causas do desmatamento

incendio forestal
Os incêndios florestais destroem extensas áreas florestais em pouco tempo.

O desmatamento representa um desafio ambiental para as autoridades de todo o planeta. A perda de florestas que abrigam ecossistemas e biodiversidade e fornecem serviços ambientais fundamentais para a vida compromete a integridade de equilíbrios e ciclos naturais na Terra.

As principais causas do desmatamento são:

  • A expansão da atividade agrícola e pecuária, motivada pela crescente procura alimentar e pelas práticas agrícolas insustentáveis.
  • A exploração de madeira, principalmente para uso da indústria madeireira e a produção de lenha para combustível.
  • O desenvolvimento e a expansão de cidades, que avançam sobre áreas florestais quando precisam crescer.
  • Os incêndios florestais, que são gerados quase sempre deliberadamente como uma forma de destruir grandes superfícies florestais em pouco tempo.

1. A expansão da fronteira agrícola

Deforestación por agricultura
A expansão da fronteira agrícola é a principal causa do desmatamento.

A expansão da fronteira agrícola é a principal causa do desmatamento mundialmente falando. Este processo conheceu um aumento notável com o desenvolvimento de práticas agrícolas intensivas e a globalização da produção de alimentos.

A transformação das florestas em terras de cultivo não só provoca a perda de biodiversidade, como também contribui para a libertação de grandes quantidades de dióxido de carbono e para a redução da produção de oxigênio.

Além disso, as árvores têm uma capacidade de absorção de água muito superior à dos cultivos, pelo que a substituição das florestas pela agricultura também contribui para aumentar a intensidade das inundações.

2. A utilização de madeira

O aumento da procura global de madeira e a sua exploração não sustentável ameaçam as florestas do planeta. Historicamente, esta atividade tem sido um importante motor econômico, mas a falta de regulamentação e a sobre-exploração resultaram na perda de grandes quantidades de florestas nas últimas décadas.

Atualmente, o desmatamento para a utilização da madeira ocorre principalmente em países periféricos, especialmente em zonas rurais que não têm acesso a serviços básicos como a energia elétrica. Por essa razão, as pessoas devem usar as árvores para obter lenha para cozinhar e aquecer os ambientes.

3. A expansão urbana

deforestación
O desmatamento para a urbanização se realiza em países com alta densidade populacional.

A expansão das cidades contribui para o desmatamento. Quando as cidades crescem para o exterior, necessitam cada vez mais espaço que lhes permita ampliar a infraestrutura urbana. Dessa forma, a expansão de ruas, avenidas, estradas e bairros produz muitas vezes a perda de florestas.

É por isso que, por vezes, as cidades planejam a sua expansão para que tenha o menor impacto ambiental possível. Quando isso não acontece, afeta as florestas, não só pela perda da superfície arbórea, mas também pela alteração dos habitats, ecossistemas e ciclos naturais de cada região.

4. Os incêndios florestais

A grande maioria dos incêndios florestais tem causas humanas.

Os incêndios florestais podem ocorrer por três razões:

  • Naturalmente. Ocorrem principalmente em épocas de seca e altas temperaturas. O calor faz com que se inicie algum foco de incêndio e a falta de umidade contribui para a expansão do fogo. São menos frequentes.
  • Por ação humana acidental. São produzidos por imprudência humana. As pessoas, às vezes, começam sem intenção um incêndio por ter ateado fogo em um acampamento ou em um local muito seco. São menos frequentes.
  • Por ação humana intencional. A maioria dos incêndios florestais são causados por ações deliberadas das pessoas, que iniciam um incêndio em uma floresta com a intenção de queimá-la. Trata-se de uma forma rápida e pouco custosa de desmatar grandes áreas de floresta, para poder logo tirar proveito econômico destes terrenos.

Consequências do desmatamento

Deforestación - biodiversidad
Devido ao desmatamento, muitas espécies perdem os seus ecossistemas.

As principais consequências do desmatamento são a perda de biodiversidade, o aumento da ocorrência e da intensidade das inundações e o aumento do efeito estufa mundialmente.

1. Perda de biodiversidade

As florestas abrigam uma grande diversidade de espécies animais e vegetais, muitas das quais dependem diretamente desses ecossistemas para a sua sobrevivência. A perda de áreas florestais provoca a degradação e fragmentação de habitats, o que leva à diminuição da complexidade dos ecossistemas, à morte de animais e à extinção de espécies.

2. Maior ocorrência e intensidade de inundações

A maior ocorrência e intensidade de inundações e avalanches é outra consequência direta do desmatamento. As florestas desempenham um papel crucial na regulação do ciclo hidrológico através da absorção gradual de água. A remoção em grande quantidade de árvores reduz a capacidade de retenção do solo, o que aumenta o escoamento superficial e a probabilidade de inundações.

Além disso, com o desmatamento, o solo perde estabilidade, o que aumenta a frequência e a magnitude dos deslizamentos de terra e das avalanches em zonas montanhosas anteriormente protegidas pelas árvores.

3. Aumento do efeito estufa

As florestas funcionam como sumidouros de carbono, absorvendo dióxido de carbono (CO2) durante a fotossíntese e produzindo oxigênio. A perda de florestas gera a libertação em grande quantidade de carbono para a atmosfera, o que aumenta o efeito estufa e contribui para as mudanças climáticas.

Por esta razão, os acordos ambientais internacionais sugerem que os países implementem políticas públicas que protejam as florestas nativas como uma forma de contribuir para mitigar o aumento da temperatura global e as consequências das mudanças climáticas.

Medidas contra o desmatamento

reforestación
Alguns países como a Costa Rica e a Argentina têm leis que protegem suas florestas nativas.

Algumas medidas que os Estados podem tomar para proteger as suas florestas nativas incluem:

  • Leis de proteção ambiental. Alguns países têm leis que proíbem o desmatamento em determinadas regiões. Em outros casos, o desmatamento é permitido, mas requer autorização do Estado e só é autorizado após a realização de um estudo de impacto ambiental.
  • Pagamentos por serviços ambientais. Alguns Estados pagam aos proprietários de terrenos florestais para manterem essas florestas e os benefícios ambientais que estas oferecem.
  • Implementação de áreas naturais protegidas. A criação de áreas naturais protegidas, como parques nacionais ou reservas naturais, contribui para a manutenção ecossistêmica das florestas e das áreas florestais.
  • Programas de restauração e desmatamento. Em algumas ocasiões, os Estados intervêm em florestas degradadas para restaurá-las e reflorestá-las. Nesses casos, procura-se plantar árvores que sejam nativas da região para evitar incorporar espécies exóticas que possam afetar a dinâmica e os ciclos ecossistêmicos das florestas.
  • Educação ambiental. Os programas de educação ambiental visam informar e sensibilizar a população, as autoridades públicas e os empresários sobre a importância das florestas para a dinâmica natural do planeta.

Diferença entre desmatamento e degradação das florestas. A degradação das florestas é a redução ou destruição de alguns aspectos específicos da floresta, mas não da floresta na sua totalidade. Algumas das suas causas são pragas ou surtos de doenças que afetam apenas uma espécie, ou a exploração humana de alguns recursos pontuais, o que altera a dinâmica e os ciclos naturais das florestas. Embora a degradação não seja tão grave como o desmatamento, tem também efeitos negativos na biodiversidade e contribui para as mudanças climáticas.

Continue com:

Referências

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

SPOSOB, Gustavo. Desmatamento (desflorestamento). Enciclopedia Humanidades, 2024. Disponível em: https://humanidades.com/br/desmatamento-desflorestamento/. Acesso em: 19 abril, 2024.

Sobre o autor

Autor: Gustavo Sposob

Professor de Geografia do ensino médio e superior (UBA).

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 27 março, 2024
Data de publicação: 23 março, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)