Campo e cidade

Vamos explicar o que é o campo e a cidade, as características de cada um e sua importância. Além disso, quais são as suas diferenças.

Ciuidad - Campo
Na cidade, as casas e os edifícios se constroem muito perto uns dos outros.

O que é o campo e o que é a cidade?

O campo e a cidade são os dois espaços físicos principais em que se baseia a população e que apresentam entre si grandes diferenças naturais, sociais e econômicas que influenciam no estilo de vida dos indivíduos que habitam em cada um destes ambientes.

Por um lado, o campo ou o meio rural são constituídos por grandes extensões de terra que abrigam um pequeno número de habitantes que vivem de forma dispersa num ambiente natural. Ao contrário, as cidades são povoações formadas por um grande número de pessoas que vivem em casas ou edifícios que se constroem muito próximos uns dos outros (já que a terra é o bem mais escasso e, portanto, mais caro). As cidades variam de acordo com o seu número de habitantes, que podem ser centenas ou milhões.

No campo existe uma predominância de atividades econômicas primárias, ou seja, de produção de matérias-primas (como a agricultura e a pecuária) para abastecer diferentes indústrias; nas cidades predominam as atividades terciárias, especialmente tudo o que tem a ver com a provisão de bens e serviços. Nas áreas rurais geralmente há menos equipamentos e serviços que na cidade. Assim, por exemplo, para realizar diligências, para frequentar estudos superiores ou para obter assistência médica mais especializada, a população rural é obrigada a mudar-se para um centro urbano.

As palavras “campo” e “cidade” são frequentemente utilizadas como conceitos em oposição, embora na realidade funcionem como elementos complementares e interdependentes, já que a zona rural é a encarregada de abastecer a alta demanda de produtos agrícolas provenientes da cidade que oferece bens e serviços que o campo necessita.

As características do campo

Campo - caballo - ciudad
Nas zonas rurais há povoações dispersas.

Algumas das principais características das zonas rurais são:

  • Têm uma baixa densidade populacional, que é geralmente estável e pode ser: zonas rurais dispersas ou zonas rurais nucleadas.
  • Podem estar divididas em fazendas, chácaras, sítios, outros.
  • São zonas em que se exercem atividades econômicas primárias, como a agricultura, a pecuária, a silvicultura, a pesca, a apicultura e a criação de animais como galinhas. Esta produção pode servir para o autoconsumo ou para abastecer uma grande quantidade da população.
  • Têm parte do seu território cultivado ou zonas de pastoreio.
  • poucas construções.
  • Predomina um ambiente natural, com flora e fauna autóctone.
  • Têm baixos níveis de poluição ambiental, visual e sonora.
  • Normalmente, têm uma aldeia ou cidade próxima onde se realizam atividades comerciais e de serviços.
  • Sua população geralmente tem acesso à educação em escolas rurais.
  • Sua população está em contato com a natureza e tem um estilo de vida menos sedentário que nas cidades, devido ao desenvolvimento de atividades primárias e à escassez de meios de transporte.
  • Têm uma cultura e tradições próprias compartilhadas por toda a comunidade rural.
  • Têm âmbitos de socialização mais restritos.
  • As distâncias entre as populações são geralmente grandes e não têm um serviço de transporte muito desenvolvido ou que conecte todos os lugares.

As características da cidade

ciudad - trafico - campo
Nas cidades há uma ampla rede de transporte.

Existem diferentes tipos de cidades que variam entre si, principalmente pelas suas densidades populacionais. Os diferentes países estabelecem seus critérios para determinar quando um povoado é considerado cidade.

Algumas das características que a maioria das cidades compartilham são:

  • Têm um alto nível de densidade populacional que cresce de forma acelerada.
  • A sua população vive em edifícios ou casas que são construídos num espaço físico restrito.
  • Têm altos índices de poluição ambiental, visual e sonora.
  • Oferecem um estilo de vida que é reconhecido como não saudável, devido a fatores como estresse e exposição permanente a poluentes ambientais.
  • São uma grande atração turística.
  • São centros de desenvolvimento artístico e cultural com ofertas de cinema, música e teatro.
  • Têm um amplo desenvolvimento comercial, com locais que oferecem produtos de diferentes tipos e para diferentes áreas
  • Dispõem de uma variada oferta gastronômica, com bares e restaurantes.
  • Têm importantes centros de saúde e educação.
  • Têm uma variada oferta de emprego com oportunidades em muitas áreas.
  • Dispõem de facilidades que contribuem para a interação humana e para a vida social das suas populações.
  • Contam com serviços de transporte desenvolvidos (como ônibus, trens, metrôs e táxis) que conectam todos os pontos da cidade.
  • Têm uma paisagem em que predominam as construções de concreto e aço, o asfalto e as zonas verdes. Algumas das construções são: casas, hospitais, escolas, setores públicos, centros comerciais, entre outras.
  • Elas têm um fluxo constante de pessoas, o que as torna lugares heterogêneos e cosmopolitas.
  • Oferecem um custo de vida superior ao das zonas rurais.
  • Podem gerar uma grande desigualdade entre a sua população, que pode ser causada pela má gestão dos recursos que impede todos os habitantes de aceder às necessidades básicas.

As diferenças entre o campo e a cidade

Gente de campo
A população do campo está em contato com a natureza e tem um estilo de vida menos sedentário.

Algumas das principais diferenças entre as cidades e o meio rural são:

  • População. A cidade tem uma média de habitantes por quilômetro quadrado muito alto, enquanto no campo há pequenos povoados ou casas dispersas ao longo de uma ampla extensão de território.
  • Paisagem. A cidade tem uma paisagem artificial gerada pelo ser humano em que priorizam as construções de cimento e as ruas asfaltadas. No campo a paisagem não sofreu muitas modificações e se caracteriza por ser um ambiente natural.
  • Infraestrutura. A cidade conta com um grande desenvolvimento edilício e de infraestrutura que permite a coexistência de diversos tipos de atividades e indústrias. O campo, por sua vez, conta com a infraestrutura necessária para o desenvolvimento das atividades próprias dessa zona e com casas nas quais vivem os moradores da comunidade rural.
  • Atividade econômica. A cidade funciona como um centro para realizar várias atividades econômicas relacionadas com serviços e produção de bens a partir de matérias-primas. No campo são realizadas atividades primárias relacionadas com a obtenção de matérias a partir de recursos naturais ou de animais e vegetais.
  • Transporte. A cidade está frequentemente conectada através de uma vasta rede de transportes que inclui diversos meios de comunicação, como o ônibus, o automóvel, a bicicleta, o metrô e as motos. Por sua vez, no campo as distâncias são longas e costumam utilizar veículos como caminhões para o transporte de materiais, e outros aptos para circular em caminhos de pedra ou terra. Além disso, são utilizados meios de transporte como o cavalo.
  • Serviços. A cidade tem uma grande oferta de serviços, que podem ser básicos, como a educação ou a saúde, ou outros como gastronomia, entretenimento, serviços de mensagens, cabeleireiros, supermercados, entre muitos outros. Na zona rural existem pequenos povoados que oferecem alguns serviços básicos mas, em alguns casos, seus moradores devem ir para a cidade para, por exemplo, realizar alguma intervenção médica ou cursar estudos universitários.
  • Emprego. A cidade tem um grande desenvolvimento econômico, pelo que a oferta de trabalho é ampla e variada. Já no campo, os trabalhos giram em torno das atividades próprias das zonas rurais.
  • Estilo de vida. A cidade tem um ritmo acelerado que, em muitos casos, atenta contra a comunicação e a harmonia entre seus membros e pode gerar desequilíbrios, estresse e angústia. O campo, por sua vez, tem um ritmo de vida que está mais conectado com o ambiente natural, por isso seus moradores costumam ter uma vida mais tranquila.
  • Crescimento e desenvolvimento. A cidade vive uma dinâmica de transformação vertiginosa, porque a população cresce de maneira acelerada, o que origina necessidades urgentes em matéria de habitação e emprego. No campo isso não se percebe, porque a população tende a se manter estável.

A importância do campo e da cidade

O campo e a cidade são locais onde vive a população e são estruturas que coexistem e se complementam.

A importância do campo reside em seu papel como produtor de muitas das matérias primas que permitem alimentar uma grande parte da população mundial. Através das atividades primárias, o campo obtém da natureza os recursos que são a base tanto da atividade alimentícia como da indústria têxtil, farmacêutica, da construção, entre muitas outras.

O campo é geralmente fundamental nas economias dos países em desenvolvimento onde o crescimento econômico depende fundamentalmente da exportação de matérias-primas como os grãos.

Por sua vez, a cidade, ao nuclear a um grande número de pessoas no mesmo espaço físico, permite que se gerem vínculos e relações fundamentais, tanto no âmbito econômico como no social e cultural. Na cidade se realiza a vida artística, cultural, religiosa, empresária e esportiva de uma sociedade e é sede de escolas, igrejas, universidades e centros de saúde, o que permite o acesso da população às suas principais necessidades.

Nas cidades vive mais da metade da população mundial, que se instala tanto nas grandes cidades (as cidades mais povoadas do mundo superam os 20 milhões de habitantes) como em cidades de médio porte ou outras com alguns milhares de habitantes.

Além disso, as cidades são fonte de história, pelo que muitas delas se tornaram destinos turísticos importantes.

Referências

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

SPOSOB, Gustavo. Campo e cidade. Enciclopedia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/campo-e-cidade/. Acesso em: 28 fevereiro, 2024.

Sobre o autor

Autor: Gustavo Sposob

Professor de Geografia do ensino médio e superior (UBA).

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 20 janeiro, 2024
Data de publicação: 29 junho, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)