Desastres naturais

Vamos explicar o que são os desastres naturais, quais são as suas causas e consequências. Além disso, as suas características, classificação e exemplos.

tornado
Os desastres naturais causam perdas materiais significativas e humanas.

O que são os desastres naturais?

Os desastres naturais são eventos naturais que causam perdas humanas ou materiais significativas. Caracterizam-se pelo fato de serem gerados pela natureza e causarem um sério impacto nas sociedades. Entre os desastres naturais estão terremotos, erupções vulcânicas e tsunamis.

Outra característica dos desastres naturais é que os seres humanos não podem fazer nada para evitá-los, e também não podem influenciar na redução de sua intensidade. As únicas medidas que as sociedades podem tomar em face de tais desastres são o monitoramento e a prevenção.

Os desastres naturais costumam ocasionar grandes perdas materiais e econômicas e, muitas vezes, custam a vida de muitas pessoas. Os governos dos países que normalmente são afetados por esse tipo de evento natural extremo tomam medidas para mitigar os danos e antecipar ao máximo a ocorrência desses fenômenos.

Os desastres naturais ocorrem devido à manifestação de um fenômeno natural extremo que afeta de forma negativa a população de um determinado local. Os terremotos, por exemplo, são causados por um movimento repentino da crosta terrestre e, na maioria das vezes, são muito difíceis de antecipar e prever. Por esse motivo, costumam ser uma surpresa para a população, que às vezes não tem tempo de tomar as medidas de precaução necessárias para se proteger.

Outros fenômenos, como furacões ou erupções vulcânicas, normalmente dão mais tempo de antecedência e, com o monitoramento adequado de sua evolução, podem ser previstos com vários dias de antecedência.

Desastres naturais ou problemas ambientais? Muitas vezes, os desastres naturais são confundidos com problemas ambientais. Os desastres naturais são eventos produzidos pela natureza sem intervenção humana e que afetam gravemente as pessoas. Os problemas ambientais também têm efeitos negativos sobre a sociedade, mas são causados por atividades humanas. Quando um vulcão entra em erupção ou ocorre um terremoto, trata-se de um desastre natural, enquanto o desmatamento ou a poluição do solo são problemas ambientais.

Os desastres naturais geológicos

Os desastres naturais geológicos são:

  • Terremotos. Os terremotos são fortes vibrações da crosta terrestre causadas por uma liberação de energia no interior da Terra. São gerados pelo deslocamento das placas tectônicas que formam a superfície da Terra. Quando são de grande magnitude, costumam causar danos significativos às estruturas que se encontram acima da superfície. Para medir os danos ocasionados, é utilizada a escala Mercalli, que estabelece valores de 0 a 12 de acordo com a destruição causada.
  • Erupções vulcânicas. Ocorrem quando o magma acumulado dentro de um vulcão irrompe na superfície. As erupções vulcânicas explosivas são as responsáveis pelo maior número de desastres naturais Os centros de monitoramento geológico em países com vulcões ativos medem a temperatura no interior dos vulcões. Um aumento significativo na temperatura interna do vulcão pode levar à sua erupção, o que torna possível a antecipação de medidas de prevenção e mitigação.
  • Tsunamis. São causados por terremotos que ocorrem no fundo do mar. Esses terremotos provocam um movimento súbito das placas oceânicas, o que gera uma grande liberação de energia que é transferida para a água por meio de ondas podendo causar a formação de um tsunami. Quando essas ondas sísmicas atingem a costa, formam-se ondas gigantes que podem causar danos significativos às estruturas e às pessoas próximas às praias.

Os desastres naturais meteorológicos

Os incêndios florestais de ocorrência natural são mais frequentes no verão.

Os desastres naturais meteorológicos são:

  • Furacões. São tormentas tropicais que se formam no mar e geralmente produzem ventos com velocidade superior a 100 quilômetros por hora. Esses ventos giram em espiral em torno de um eixo central à medida que o furacão se desloca pelo oceano. O diâmetro dessa espiral de vento pode chegar a 1500 quilômetros. Ao atingir o continente, essas grandes tormentas causam danos graves às estruturas e podem provocar a morte de pessoas. Com o monitoramento adequado por satélite, é possível antecipar suas trajetórias e tomar medidas preventivas e de evacuação antes que as tormentas cheguem ao continente.
  • Tornados. São ventos que giram em forma de funil a partir da base de uma nuvem de tormenta em direção à superfície. Normalmente são acompanhados de chuva e granizo. Podem atingir até 500 quilômetros por hora. É um fenômeno meteorológico que pode ser previsto com pouca antecedência e, embora seja de curta duração, pode causar grandes danos à superfície da Terra.
  • Incêndios florestais. Quando o calor e a falta de chuva provocam um incêndio em uma floresta ou pastagem, o fogo se espalha para áreas habitadas. Os incêndios causados intencionalmente ou acidentalmente por seres humanos não são considerados desastres naturais. Somente os incêndios que ocorrem naturalmente e afetam negativamente as sociedades são considerados desastres naturais. Eles são muito mais frequentes nos meses mais quentes e são impossíveis de prever. Quando um incêndio é detectado, as autoridades geralmente implantam operações de controle de incêndio com bombeiros e aviões hidrantes para tentar controlar as chamas e extingui-las no menor tempo possível.

Enchentes e secas são geralmente consideradas desastres naturais. No entanto, esses eventos extremos têm causas sociais além das naturais. As enchentes e as secas costumam ser causadas muito mais por planejamento urbano inadequado, ocupação irregular de áreas propensas a enchentes, exploração excessiva de recursos ou desmatamento do que por excesso ou falta de chuva. É por esse motivo que não é correto considerá-los como desastres naturais, mas mais apropriadamente como problemas ambientais.

É possível prever e evitar os desastres naturais?

desastres naturales - huracán
Muitos desastres naturais apresentam padrões de recorrência.

A maioria dos desastres naturais é imprevisível porque não tem uma frequência determinada. Os terremotos, tsunamis, tornados ou erupções vulcânicas, por exemplo, podem ocorrer em qualquer época do ano.

No entanto, às vezes eles apresentam padrões que permitem que sua ocorrência seja prevista com certo grau de antecipação. Os furacões, por exemplo, sempre ocorrem entre junho e novembro. Os incêndios, por outro lado, tendem a ocorrer com muito mais frequência nos meses de verão e muito raramente nos meses mais frios do ano.

Como não é possível evitar os desastres naturais, as sociedades desenvolvem estratégias de prevenção para mitigar os danos que eles podem causar.

Os locais situados em áreas onde os desastres naturais costumam ocorrer têm sistemas de alerta e detecção para prevenir a ocorrência de um desastre. Além disso, as pessoas costumam ser treinadas para saber como reagir a um desastre e onde e como evacuar, caso seja necessário.

Em áreas sismicamente ativas e onde os terremotos ocorrem com certa frequência, as construções são feitas com tecnologia antissísmica que lhes permite resistir melhor às vibrações do solo. Em zonas de tornados e furacões, as casas contam com abrigos para manter as pessoas seguras durante o evento.

Centros de monitoramento mundial de desastres naturais

Alguns dos mais importantes centros de monitoramento de desastres naturais do mundo são:

  • Centro de Alerta de Tsunami do Pacífico. É um dos sistemas de alerta de tsunami mais importantes do mundo e cobre a maior parte do oceano Pacífico.
  • Centro Nacional de Furacões. Realiza o monitoramento e a previsão da ocorrência de furacões no oceano Atlântico.
  • Instituto Smithsonian de Pesquisa de Vulcões. Monitora a atividade vulcânica em todo o mundo desde 1968.
  • Sistema de Informação Global de Incêndios Florestais. Usa imagens de satélite para monitorar a ocorrência de incêndios em tempo real. Foi desenvolvido pela NASA nos Estados Unidos.

Principais desastres naturais da história

Em 79 d.C., o monte Vesúvio entrou em erupção, causando a tragédia de Pompeia.

Alguns dos desastres naturais mais importantes da história foram:

  • Em 79 d.C., a erupção do monte Vesúvio, que deixou a cidade romana de Pompeia sob cinzas.
  • O tsunami de 2004 no oceano Índico matou mais de 230 mil pessoas.
  • O terremoto no Haiti em 2010 matou mais de 300 mil pessoas.
  • O furacão Katrina, em 2004, nos Estados Unidos, é considerado o furacão mais devastador da história. Causou aproximadamente US$ 250 bilhões em danos materiais.

Referências

  • Centro Nacional de Huracanes. NHC
  • Instituto Smithsoniano de Investigaciones de volcanes. Volcano
  • Organización de Naciones Unidas (2021). Los desastres naturales relacionados con el clima se quintuplican en 50 años, pero la mejora en los sistemas de alerta salvan más vidas. UN
  • Sánchez, J. (2022). Tipos de desastres naturales que existen. EcologiaVerde
  • Tarbuck, E. y Lutgens, F (1999). Ciencias de la Tierra. Una introducción a la geología física. Prentice Hall. 

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

SPOSOB, Gustavo. Desastres naturais. Enciclopedia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/desastres-naturais/. Acesso em: 13 abril, 2024.

Sobre o autor

Autor: Gustavo Sposob

Professor de Geografia do ensino médio e superior (UBA).

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur)

Data da última edição: 18 março, 2024
Data de publicação: 17 julho, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)