Chuva

Vamos explicar o que é a chuva, como se origina e como é medida. Além disso, quais são as suas características, riscos ambientais e benefícios.

A chuva é produzida pela condensação e resfriamento do vapor de água.

 O que é a chuva?

A chuva é um fenômeno atmosférico e hidrometeorológico bastante comum em nosso planeta. Trata-se da queda de partículas líquidas de água na forma de gotículas dispersas, resultante da condensação e do resfriamento do vapor de água na atmosfera.

A chuva ocorre diariamente em diferentes regiões do planeta, em algumas regiões com maior frequência do que em outras, seja sobre o mar ou sobre a terra. A formação da chuva depende de três fatores específicos: temperatura, pressão atmosférica e umidade atmosférica.

A chuva é um elemento do ciclo hidrológico ou ciclo da água. Nesse ciclo, os depósitos de água nos oceanos, lagos, rios e na superfície terrestre são evaporados pela ação do sol e transformados em vapor de água na atmosfera. Quando esse vapor de água se resfria, condensa-se, retorna ao estado líquido e precipita-se na superfície na forma de chuva.

Como pode ocorrer a chuva?

Há três maneiras de ocorrer chuva:

  • Chuvas convectivas. Ocorrem quando o sol aquece massas de água e as evapora. O vapor de água sobe para a atmosfera, esfria e se condensa. Isso produz gotículas de água que, pela força da gravidade, precipitam da atmosfera para a superfície na forma de chuva. Ocorrem sobretudo em áreas equatoriais, onde o sol incide com maior intensidade e tem maior poder de evaporação.
  • Chuvas orográficas. Ocorrem quando o ar úmido sobe ao longo das paredes de uma montanha. À medida que o ar aumenta de altitude, ele se resfria, condensa e se precipita como chuva. Por essa razão, o lado da montanha que recebe o ar úmido da frente costuma ter um clima chuvoso, enquanto o outro lado da montanha recebe ar sem umidade e produz um clima muito mais seco. Essas chuvas ocorrem somente em áreas montanhosas.
  • Chuvas ciclônicas ou frontais. São geradas pela colisão de duas massas de ar com temperaturas diferentes. Podem ser chuvas de frente fria ou quente e ocorrem quando o ar frio de uma das massas de ar condensa a umidade na atmosfera e produz as precipitações. As chuvas de frente fria produzem tempestades de curta duração, queda de temperatura e muita água que cai em um curto espaço de tempo. As chuvas de frente quente produzem garoa que pode durar vários dias e aumento da temperatura.

Como a chuva é medida?

O instrumento usado para medir a precipitação é o pluviômetro.

A chuva é medida em milímetros de água que cai. O aparelho usado para medir a chuva é o pluviômetro; trata-se de um recipiente que armazena a água que cai durante uma chuva e possui uma régua de medição que permite saber quantos milímetros choveu.

Os pluviômetros são instalados em locais abertos para evitar a obstrução por objetos como painéis, árvores ou edifícios. Os serviços meteorológicos encarregados de medir a precipitação geralmente os instalam em aeroportos, hipódromos, estádios e outros locais ao ar livre.

Assim que a chuva termina, são coletados os dados dos pluviômetros e é possível saber a quantidade de chuva que ocorreu naquele dia no local. Assim que a chuva termina, são coletados os dados dos pluviômetros e é possível saber a quantidade de chuva que houve naquele dia no local.

O que a água da chuva contém?

O conteúdo da água da chuva pode variar de acordo com a localização geográfica, as condições climáticas e outros fatores ambientais, mas, em geral, ela pode conter os seguintes componentes:

  • Água pura. A água da chuva é basicamente água pura (H₂O), embora possa conter pequenas quantidades de outros elementos químicos e compostos dissolvidos.
  • Gases atmosféricos. A água da chuva pode conter gases atmosféricos dissolvidos, como oxigênio, nitrogênio, dióxido de carbono e óxidos de nitrogênio.
  • Partículas em suspensão. A água da chuva também pode conter partículas em suspensão, tais como poeira, cinzas vulcânicas, pólen e micro-organismos.
  • Poluentes. A água da chuva em áreas urbanas e industriais pode conter poluentes, como metais pesados, compostos orgânicos voláteis e produtos químicos tóxicos.

Distribuição da chuva no mundo

lluvia - tormenta - Ecuador
As regiões mais próximas ao equador apresentam a maior quantidade de precipitação.

Em nível global, a região com a maior precipitação anual é a Zona de Convergência Intertropical, próxima ao equador. Trata-se de uma zona quente e chuvosa entre os trópicos de Câncer, no hemisfério norte, e Capricórnio, no hemisfério sul.

Nas regiões de clima temperado, as precipitações são extremamente variáveis. É possível encontrar regiões muito secas, como o deserto do Saara, e áreas muito chuvosas, como as florestas tropicais de Madagascar. A distribuição das chuvas nessas latitudes é condicionada pela disponibilidade de umidade, pela circulação do vento e pela disposição do relevo montanhoso.

Nas regiões polares ou subpolares, as chuvas são pouco frequentes em virtude das baixas temperaturas do ar seco nos polos.

Tipos de chuva

lluvia tormenta electrica
As tempestades produzem chuvas fortes.

Conforme a intensidade, as chuvas podem ser classificadas da seguinte forma:

  • Chuvisco ou garoa. É uma chuva muito fraca, de gotículas finas, cujo acúmulo é quase imperceptível.
  • Borrasca. É uma chuva de média a forte intensidade, comumente de curta duração e acompanhada de vento.
  • Aguaceiro. Chuva torrencial, de duração média, que acumula grandes quantidades de água na superfície.
  • Tempestade. Chuva forte, acompanhada de ventos intensos e atividade elétrica. Pode ser acompanhada de granizo, raios e trovões que a anunciam antes mesmo de ocorrer.

Quais são os serviços ambientais que a chuva oferece?

A chuva contribui com importantes serviços ambientais para o planeta. Alguns deles são:

  • Fornece água doce que alimenta rios, aquíferos, lagos e lagoas e água potável para as populações humanas.
  • Mantém a biodiversidade dos ecossistemas terrestres e aquáticos, ajudando a sustentar os ciclos de vida de plantas e animais. Além disso, é essencial para a produção de alimentos.
  • Permite o equilíbrio das temperaturas atmosféricas, assim como os níveis de salinidade e temperatura na água do oceano.
  • Transporta nutrientes e sedimentos que ajudam a manter a qualidade da água e a controlar a erosão.

Problemáticas relacionadas à água

A água é um dos recursos naturais mais importantes do planeta, e sua disponibilidade e qualidade podem ser afetadas por uma série de problemas ambientais, por exemplo:

  • A poluição da água. A poluição da água pode ser causada por descargas de resíduos industriais, pesticidas e fertilizantes agrícolas, resíduos humanos e animais. Isso pode afetar a qualidade da água e colocar em risco a saúde humana e a biodiversidade.
  • A escassez de água. A escassez de água é um problema sério que afeta muitas regiões do mundo, principalmente em zonas áridas e semiáridas. A superexploração dos recursos hídricos, a urbanização e as mudanças climáticas são alguns dos fatores que colaboram de forma significativa para esse problema.
  • As enchentes. As enchentes são um problema que está afetando cada vez mais pessoas. O aumento das chuvas como consequência da mudança climática, a impermeabilização dos solos como consequência das atividades humanas, o crescimento das cidades e a falta de planejamento urbano são algumas das causas que contribuem para agravar esse problema.

Outras formas de precipitação

nieve - lluvia - agua
A neve é a água em um estado semissólido.

Além da queda de água líquida, há outras formas de precipitação:

  • Nevada. Se a temperatura da atmosfera for suficientemente baixa, a água cai em um estado semissólido. Essa espécie de chuva é chamada de “neve”.
  • Granizo. Se as gotas de chuva se formam em uma altitude elevada, sua temperatura é muito baixa e se congelam. Se ao cair na superfície não se aquecem o suficiente a ponto de derreter, chegam ao solo na forma de pequenos pedaços de gelo conhecidos como “granizo”.

Origem da chuva

Há duas teorias sobre como a água surgiu no planeta Terra:

  • A teoria da origem vulcânica. Segundo essa teoria, a água se originou no interior da Terra e foi posteriormente expelida para a atmosfera pela atividade vulcânica.
  • A teoria da origem extraterrestre. Essa teoria propõe que a água chegou à Terra em meteoritos e cometas ricos em gelo. Ao chegar à Terra, esses gelos podem ter se derretido, originando assim a água líquida no planeta.

Parte da comunidade científica especializada nessas questões defende que é possível que a origem da água na Terra tenha sido mista e que surgiu no planeta como uma combinação das duas teorias.

Referências

  • Nasa Climate Change (s.f). El ciclo del agua. Nasa
  • Goudie, A. (1993). La naturaleza del ambiente. Cap. 2. Funcionamiento de la climatología global. Progreso en Geografía Física.  
  • González, A (s.f). Tipos de lluvias. MagicaNaturaleza

Como citar?

Citar a fonte original da qual extraímos as informações serve para dar crédito aos respectivos autores e evitar cometer plágio. Além disso, permite que os leitores acessem as fontes originais que foram utilizadas em um texto para verificar ou ampliar as informações, caso necessitem.

Para citar de forma adequada, recomendamos o uso das normas ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), que é uma entidade privada, sem fins lucrativos, usada pelas principais instituições acadêmicas e de pesquisa no Brasil para padronizar as produções técnicas.

SPOSOB, Gustavo. Chuva. Enciclopédia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/chuva/. Acesso em: 9 julho, 2024.

Sobre o autor

Autor: Gustavo Sposob

Professor de Geografia do ensino médio e superior (UBA).

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur)

Data da última edição: 18 maio, 2024
Data de publicação: 18 julho, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)