Revolução Russa

Vamos explicar o que foi a Revolução Russa, suas causas e consequências. Além disso, os principais representantes e as diferentes fases desse evento histórico.

Comunismo
A Revolução Russa estabeleceu o primeiro regime comunista da história.

O foi a Revolução Russa?

A Revolução Russa foi um processo revolucionário ocorrido na Rússia entre 1917 e 1923, que levou à derrubada do regime czarista autoritário e ao estabelecimento de um governo comunista de partido único. Com essa revolução, o comunismo teve seu primeiro triunfo na história e conseguiu se consolidar como um modo de produção alternativo ao capitalismo durante a maior parte do século XX.

Inicialmente, a revolução era composta por diferentes setores da sociedade russa que se opunham ao regime czarista: a elite intelectual liberal, as classes médias profissionais, a classe trabalhadora e o campesinato, que constituíam a maioria da população. Entretanto, as facções menchevique e bolchevique do Partido Operário Social-Democrata Russo (POSDR), cujo poder estava baseado no setor dos trabalhadores, acabaram liderando a revolução.

Entre fevereiro e outubro de 1917, a revolução passou por um breve período democrático, com o poder organizado pelo Governo Provisório, pelo Parlamento e, na prática, pelo Soviete de Petrogrado. Em outubro, a facção bolchevique liderada por Lenin tomou o poder do Governo Provisório e imediatamente adotou medidas com o objetivo de instalar uma “ditadura do proletariado” para construir uma sociedade comunista.

Diferentes setores se uniram em oposição aos bolcheviques: anticomunistas, monarquistas, nacionalistas e liberais. Essa associação contrarrevolucionária recebeu o nome de Movimento Branco e formou um exército que lutou contra a imposição do comunismo. A Guerra Civil Russa durou até que, em 1923, o Exército Vermelho bolchevique finalmente derrotou os contrarrevolucionários e fundou definitivamente a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS).

PONTOS IMPORTANTES

  • A Revolução Russa teve início em 1917 e derrubou o regime do czar na Rússia.
  • Os mencheviques e os bolcheviques (diferentes facções do socialismo russo) lutaram pelo caminho da revolução.
  • Entre fevereiro e outubro de 1917, os mencheviques impuseram um governo parlamentar provisório.
  • Os bolcheviques tomaram o poder em outubro e estabeleceram as bases do regime comunista chamado de “ditadura do proletariado”.
  • A oposição aos revolucionários e ao governo bolchevique entrou em conflito na Guerra Civil Russa (1917–1923), que terminou com a vitória dos bolcheviques.

Contexto da Revolução Russa

Antes da revolução, a Rússia era governada por um regime czarista autocrático.

Na virada do século XX, a Rússia era um império muito grande, abrangendo territórios na Ásia e na Europa. Seu tamanho e poderio militar a tornaram uma potência mundial, competindo com a Alemanha, a Grã-Bretanha e a França. Entretanto, devido às características de sua política, economia e sociedade, era considerada um país atrasado:

  • Era governada por um sistema autocrático, chefiado por um czar que centralizava o poder da nobreza. Não havia parlamento ou órgãos que representassem diferentes setores da sociedade. Não havia partidos políticos e as cidades não tinham a autonomia necessária para promover seu crescimento.
  • O modo de produção dominante era o feudal. A maioria da população era de camponeses e trabalhava na terra com os mesmos métodos e ferramentas do século anterior. O impulso capitalista era recente e havia alcançado uma industrialização incipiente em algumas cidades.
  • A sociedade continuava a ser estamental e era legalmente dividida em “propriedades”: urbana, camponesa, nobreza e clero. Os camponeses só deixaram de estar sujeitos aos senhores feudais na década de 1860 e, na prática, muitas famílias de camponeses continuaram a viver nas mesmas condições. O sistema estamental não levava em conta os novos setores sociais, como trabalhadores, profissionais ou a burguesia comercial.

Antecedentes da Revolução Russa

As reivindicações da sociedade russa

Desde o início do século XX, a maioria da população manifestava sua insatisfação com o governo russo. Os camponeses exigiam uma reforma agrária que beneficiasse os produtores rurais. Os trabalhadores, por outro lado, exigiam melhores salários e condições de trabalho. Por sua vez, a população descontente foi influenciada por três grupos que se opunham ao governo czarista:

  • Intelligentsia. Eram profissionais e intelectuais que formavam uma elite educada e que questionavam os aspectos conservadores e tradicionais do regime czarista. Acreditavam que, para progredir, a Rússia precisava adotar medidas políticas e econômicas semelhantes às dos países da Europa Ocidental.
  • Populistas. Como parte da classe média rural, eles promoviam uma visão idealizada do campesinato e questionavam os efeitos da introdução do capitalismo. Eram socialistas que buscavam construir uma sociedade igualitária, mas acreditavam que a base para isso deveria ser as comunidades de vilas rurais em vez de no desenvolvimento industrial.
  • Marxistas. Constituíam uma seção da classe trabalhadora profissional, a favor da modernização e da revolução socialista. Acreditavam que o desenvolvimento industrial possibilitaria acabar com o atraso socioeconômico russo e era uma etapa necessária para uma sociedade igualitária. Para eles, a classe trabalhadora urbana seria o principal agente da revolução.

Revolução de 1905

Em 1905, os revolucionários liberais e marxistas exigiram a criação de um parlamento.

Em 1905, a Rússia sofreu uma derrota contra o Japão na Guerra Russo-Japonesa, e as consequências econômicas do conflito aprofundaram o descontentamento geral da população. Em janeiro, trabalhadores e camponeses iniciaram manifestações exigindo reformas imediatas e, durante o chamado “Domingo Sangrento”, a polícia czarista reprimiu violentamente os trabalhadores.

Em decorrência disso, foi criado um movimento geral contra o governo do czar que incorporou diferentes setores da sociedade: camponeses, trabalhadores, intelectuais, liberais, grupos minoritários étnicos e setores das forças armadas.

Nenhum grupo conseguiu canalizar as queixas dos diferentes setores da população e emergir como líder da revolução. Contudo, tanto os marxistas quanto a intelligentsia liberal acreditavam que a criação de um parlamento poderia garantir as liberdades políticas e civis necessárias para o progresso da economia russa.

Para acabar com os protestos, o governo czarista promulgou uma Constituição e criou a Duma: um parlamento com representantes que tinham o poder de estabelecer determinadas medidas econômicas e sociais. No entanto, dois anos depois, os artigos mais liberais da Constituição foram revogados e, na prática, o poder do Parlamento foi severamente limitado.

Bolcheviques e mencheviques

Os bolcheviques eram a facção mais radical do POSDR e eram liderados por Lenin.

Desde o final do século XIX, os pensadores e ativistas marxistas se organizavam por meio de organizações clandestinas, nucleadas pelo Partido Operário Social-Democrata Russo (POSDR). Dentro do partido, havia duas facções distintas, que diferiam em suas ideias sobre como conduzir a revolução socialista.

Os mencheviques, liderados por Julius Martov e Pavel Axelrod, acreditavam que, para construir uma sociedade igualitária, a Rússia deveria primeiro passar por um estágio de desenvolvimento industrial com governo democrático. Nesse sentido, acreditavam que a burguesia liberal era uma aliada essencial da classe trabalhadora para atingir seus objetivos. Sua posição se considerava “moderada” porque propunha uma transição gradual da economia atual para o socialismo.

Os bolcheviques, liderados por Lenin, defendiam que o proletariado deveria se aliar ao campesinato russo para derrubar o capitalismo burguês e instalar a ditadura do proletariado. Sua posição era considerada radical porque propunha medidas que transformariam profundamente a economia e a sociedade russas em um curto espaço de tempo: a distribuição de terras, a eliminação da propriedade privada e a instalação de um governo de partido único até a criação de uma sociedade sem classes.

Principais eventos da Revolução Russa

Em 1917, as tropas czaristas apoiaram as greves dos revolucionários.

Entre os principais eventos da Revolução Russa estão os seguintes:

  • A Revolução de Fevereiro. Em 1917, o movimento revolucionário derrubou a autocracia czarista. Foi criado um governo provisório (de natureza liberal e burguesa) que, na prática, compartilhava o poder com os sovietes de trabalhadores e soldados. Esse sistema de poder duplo funcionava de forma contraditória e ineficaz.
  • A Revolução de Outubro. No dia 7 de novembro, com o apoio dos sovietes, Lenin liderou um golpe de Estado que levou à destituição do Governo Provisório, cujos membros fugiram ou foram presos. Lenin criou um novo governo, o Conselho dos Comissários do Povo, e estabeleceu as primeiras medidas para a implementação de um regime comunista.
  • A Guerra Civil (1919–1923). O novo governo comunista teve que se defender de um ataque militar em várias frentes: o Exército Branco (formado por oponentes do bolchevismo), as Forças da Entente (cujo objetivo era derrubar o comunismo russo) e as forças do Estado polonês (que lutaram na guerra russo-polonesa de 1918 a 1921). Leon Trotsky liderou o Exército Vermelho que, no final da Primeira Guerra Mundial, começou a derrotar o Exército Branco. Em 1921, os comunistas triunfaram na guerra civil e criaram um novo Estado: a União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS), liderada pelo Partido Comunista.
  • Comunismo de guerra. Para lidar com a crise, o governo implementou um novo plano econômico de curto prazo chamado “Comunismo de Guerra”, com o objetivo de garantir uma produção agrícola e industrial mínima. Foram aplicadas medidas como a nacionalização de indústrias, a requisição de gêneros alimentícios e outras regulamentações. Isso levou a uma alta inflação, que resultou em racionamento e troca.

Figuras importantes da Revolução Russa

Em seus primeiros dias, a Revolução Russa foi uma revolução popular da qual milhões de pessoas participaram por meio de manifestações, greves e saques em todo o país. Diferentes figuras políticas competiram para liderar a revolução, para liderar as mobilizações e, por fim, para fazer parte do novo governo.

Entre as figuras proeminentes da Revolução Russa estavam Lenin, Leon Trotsky, Alexander Kerensky, Josef Stalin, Nicolau II e Georgy Lvov.

  • Vladimir Ilyich Ulianov, conhecido como Lenin. Foi o principal líder bolchevique da revolução e o primeiro líder a implementar medidas para criar o regime comunista.
  • Leon Trotsky. Foi um importante político e militante socialista na organização da revolução. Liderou o Exército Vermelho durante a Guerra Civil e negociou a saída da Rússia da Primeira Guerra Mundial.
  • Alexander Kerensky. Foi o líder socialista revolucionário da facção menchevique, uma figura importante na Revolução de Fevereiro e primeiro-ministro do Governo Provisório até a Revolução de Outubro.
  • Josef Stalin. Foi um político bolchevique militante que participou da Revolução de Outubro e conseguiu se estabelecer como líder máximo após a morte de Lenin.
  • Nicolau II. Foi o último czar da Rússia, herdeiro da dinastia Romanov. A Revolução de Fevereiro o forçou a abdicar e ele foi assassinado junto com sua família por membros do partido bolchevique em 1918.
  • Georgy Lvov. Foi um democrata liberal militante, membro da Duma e primeiro-ministro do Governo Provisório instalado com a Revolução de Fevereiro.

A criação da URSS

Após sua morte, Lenin foi idealizado como o “pai do comunismo russo”.

De mãos dadas com Trotsky e Stalin, Lenin organizou o novo governo: União das Repúblicas Socialistas Soviéticas (URSS). Compunha-se de Comissários do Povo, administradores públicos e o chefe do Conselho (que atuava como primeiro-ministro, diretor de política internacional e chefe do Partido Comunista Russo).

A Revolução de 1917 criou o primeiro sistema econômico socialista baseado no planejamento central. Após o período do comunismo de guerra, o governo revolucionário estabeleceu uma Nova Política Econômica (NEP), que se mostrou extraordinariamente eficaz para a industrialização acelerada de uma economia agrária, como a da Rússia czarista. Contudo, o custo social havia sido brutal. Milhões de pessoas morreram durante a Guerra Civil, de repressão política ou de fome.

Durante a década de 1930, Josef Stalin (sucessor de Lenin) consolidou a criação do primeiro Estado comunista da história e construiu uma das maiores ditaduras totalitárias do século XX.

Referências

  • Carr, E. H. (1981). Octubre de 1917. En La revolución rusa. De Lenin a Stalin (1917-1929). Alianza Editorial. 
  • Fitzpatrick, S. (2005). Introducción, El Escenario y 1917: las revoluciones de Febrero y Octubre. Em La revolución rusa. Siglo XXI Editores. 
  • Milosevich, M. (2017). Los grupos políticos de comienzo del siglo XX. Em Breve historia de la revolución rusa. Galaxia Gutemberg.

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

KISS, Teresa. Revolução Russa. Enciclopédia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/revolucao-russa/. Acesso em: 24 maio, 2024.

Sobre o autor

Autor: Teresa Kiss

Professora de História do ensino médio e superior.

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur)

Data da última edição: 18 março, 2024
Data de publicação: 15 novembro, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)