Guerra Civil Russa (1918-1921)

Vamos explicar o que foi a Guerra Civil Russa e o que levou a sua eclosão. Além disso, quem eram os lados oponentes e como ela terminou.

Durante a Guerra Civil Russa, a população sofreu uma das mais terríveis fomes de sua história.

O que foi a Guerra Civil Russa?

A Guerra Civil Russa foi um conflito armado que ocorreu na Rússia entre 1917 e 1923. Eclodiu depois que os bolcheviques tomaram o poder na Revolução Russa e estabeleceram um governo comunista.

Nesse conflito, o Exército Vermelho (as forças armadas do novo governo revolucionário) enfrentou o Exército Branco ou Movimento Branco, que reunia as várias forças de oposição, com a ajuda de nações estrangeiras.

Os confrontos militares foram particularmente intensos entre 1918 e 1920 e aconteceram em diferentes frentes no território do antigo Império Russo. O Movimento Branco era composto por grupos de diferentes origens. Em sua maioria, eram liberais, monarquistas e socialistas mencheviques (a facção não bolchevique do socialismo).

Estima-se que o resultado da guerra tenha sido a morte de mais de 10 milhões de pessoas. Entre elas, contam-se as baixas de batalha, mas a maioria era de civis vítimas da fome, da insegurança e da pobreza extrema durante o período da guerra.

O campesinato foi o setor social mais afetado pelos eventos da guerra; além da escassez de necessidades básicas, os frutos de seu trabalho foram confiscados pelas tropas de ambos os lados. Além disso, a política secreta do governo bolchevique assassinou milhares de dissidentes e membros da oposição durante esses anos.

Perguntas frequentes

Quais foram as causas da Guerra Civil Russa?

A Guerra Civil Russa foi desencadeada por diversos motivos. Em 1917, a Revolução Russa havia derrubado o governo do czar Nicolau II e estabelecido um governo provisório nas mãos dos mencheviques. Entretanto, os bolcheviques tomaram o poder alguns meses depois e estabeleceram uma “ditadura do proletariado". Os vários grupos de oposição se uniram e confrontaram o governo bolchevique, dando início à Guerra Civil Russa.

Quem lutou na Guerra Civil Russa?

Os oponentes na Guerra Civil Russa foram os bolcheviques e a oposição. Os bolcheviques eram uma facção radicalizada do socialismo que havia tomado o poder e estava instalando o comunismo soviético. Seu exército era conhecido como Exército Vermelho e seus principais líderes eram Lenin e Trotsky. A oposição era composta por diferentes grupos políticos, principalmente os aristocratas que apoiavam o retorno da monarquia e os mencheviques. Seu exército era conhecido como Exército Branco e seus líderes mais importantes eram Kornilov, Denikin, Kolchak e Semyonov.

Quais foram as consequências da Guerra Civil Russa?

A Guerra Civil Russa terminou com a aniquilação da oposição e a consolidação do poder bolchevique na Rússia. Os bolcheviques estabeleceram um governo unipartidário e, nos anos seguintes, construíram a ditadura do proletariado. A Rússia tornou-se a União Soviética e o Partido Comunista da União Soviética controlou o governo russo até 1991.

Antecedentes da Guerra Civil Russa

Na Revolução de Outubro, os bolcheviques tomaram o poder no governo russo.

Em fevereiro de 1917, a monarquia czarista do Império Russo foi derrubada pela Revolução Russa. A crítica situação política e econômica do Império e as restrições sofridas com seu envolvimento na Primeira Guerra Mundial (1914–918) levaram a uma série de revoltas populares espontâneas.

Essa onda revolucionária terminou com a derrubada do czar Nicolau II e a implementação de um governo provisório controlado pela facção menchevique do movimento socialista. No entanto, esse governo não conseguiu atender às demandas da população e a facção bolchevique tomou o poder durante a Revolução de Outubro.

O novo governo revolucionário foi liderado por Vladimir Lenin e os bolcheviques, que eram uma facção radicalizada do socialismo. Eles defendiam que era necessária uma “ditadura do proletariado”, na qual um governo composto por um único partido (unipartidarismo) controlasse a economia e a política, para guiar o país e construir uma sociedade sem classes.

Lenin dissolveu a Assembleia Constituinte, que integrava as diferentes facções políticas em um órgão legislativo, focado em debater e criar uma nova constituição. Dessa forma, o poder passou a ser monopolizado pelos conselhos de trabalhadores (chamados sovietes) controlados pelos bolcheviques. Além disso, foi decretado o confisco de terras agrícolas, o controle estatal da produção de bens agrícolas e a nacionalização das principais indústrias e serviços.

Essas medidas geraram grande descontentamento entre os grupos de oposição. Ao mesmo tempo, a dissolução da Assembleia levou grupos socialistas não bolcheviques a começarem a se organizar para derrubar o governo ditatorial. Por sua vez, o governo bolchevique deu cada vez mais poder à polícia secreta (conhecida como Cheka), que era responsável pela perseguição e censura de dissidentes políticos.

Em 1918, o governo bolchevique assinou o Tratado de Brest-Litovsk, que estabelecia a saída da Rússia da Primeira Guerra Mundial (uma das demandas mais importantes da população). O acordo foi assinado com as potências centrais e previa grandes perdas territoriais para a Rússia.

Lenin entendeu que as forças de oposição interna estavam se organizando e queria concentrar seu poder de ação na luta interna e, assim, consolidar seu regime.

O Movimento Branco

Lavr Kornilov era um líder militar e foi um dos principais líderes do Movimento Branco.

A oposição ao governo bolchevique era conhecida como “Movimento Branco” e estava ligada principalmente a duas forças políticas.

  • As classes altas russas oriundas da sociedade imperial: a aristocracia monárquica e os grupos liberais de classe alta, que tinham a experiência de terem sido oficiais militares de alto escalão no exército czarista.
  • A classe média e os movimentos socialistas de esquerda excluídos do poder, especialmente a facção menchevique.

O Movimento Branco não era uma associação organizada e homogênea. Tratava-se, na verdade, de diversas forças que se aliaram em um momento específico para enfrentar o Exército Vermelho e derrubar o governo bolchevique.

Além disso, com o decorrer dos acontecimentos, essas forças receberam a ajuda de nações estrangeiras que tinham seus próprios interesses no desenvolvimento da política russa.

Desenvolvimento da Guerra Civil Russa

Os principais centros de oposição ao governo bolchevique durante a Guerra Civil Russa foram:

  • Sibéria. A Sibéria Oriental havia conseguido permanecer sob o controle de forças nacionalistas durante o período revolucionário. Em julho de 1919, Aleksandr Kolchak assumiu o comando militar do Exército Branco e conquistou uma série de vitórias. Entretanto, em 1920, o Exército Vermelho bolchevique foi renovado e fortalecido, e prevaleceu sobre as forças do Movimento Branco, que começou a depender cada vez mais do apoio internacional (britânico e americano).
  • Sudeste russo. Durante os primeiros meses do governo bolchevique, alguns líderes militares contrarrevolucionários, como Mikhail Alekseyev, Aleksei Kaledin, Pyotr Krasnov, Aleksandr Dutov e Grigory Semyonov, assumiram o comando de milícias de voluntários e milícias cossacas (grupos guerreiros independentes que habitavam diferentes partes da Rússia). Em março de 2018, eles se declararam governantes de um território que chamaram de República do Don. No entanto, em 1920, foram derrotados pelo Exército Vermelho.
  • Sudoeste russo. Tropas sob o comando de Denikin avançaram do norte da Ucrânia e do Cáucaso, apoiadas por tropas britânicas. Seu objetivo era ocupar e proteger a região produtora de petróleo de Baku.
  • Norte russo. Uma coalizão de tropas britânicas, francesas, norte-americanas e canadenses, sob o comando do general Miller, desembarcou e ocupou os portos de Murmansk e Archangel, até ser derrotada em 1920.
  • Oeste russo. Na região oeste do antigo Império Russo, várias forças nacionalistas se levantaram e aproveitaram a instabilidade e a fraqueza política para lutar por sua independência. Entre elas estavam grupos nacionalistas na Finlândia, Estônia, Letônia, Lituânia e Polônia. O Exército Vermelho não foi capaz de enfrentá-los e, por isso, o governo bolchevique acabou concedendo-lhes a independência.

Resultados da Guerra Civil Russa

Leon Trotsky reorganizou o Exército Vermelho e conseguiu impor o poder bolchevique sobre o Movimento Branco.

No final de 1918, sob o comando de Leon Trotsky, o Exército Vermelho foi reorganizado e renovado. No início de 1919, o exército revolucionário invadiu a Ucrânia e forçou a retirada das forças antirrevolucionárias. Muito embora as tropas sob o comando de Denikin tenham conseguido se recuperar e retomar o controle de algumas áreas, suas vitórias foram efêmeras e, em 1920, o Exército Vermelho conseguiu ganhar definitivamente o controle.

Por outro lado, em abril de 1919, o exército revolucionário havia avançado para a Sibéria e, finalmente, em 1920, conseguiu derrotar definitivamente as forças de Kolchak. Entre 1920 e 1923, algumas forças locais mantiveram sua resistência e realizaram alguns ataques ao governo bolchevique.

Por exemplo, o levante de Kronstadt (1921) e a rebelião de Tambov (1922) foram tentativas de resistência contrarrevolucionária que fracassaram assim que as tropas do Exército Vermelho assumiram o controle da situação.

Considera-se que a última intervenção militar importante ocorreu no final de 1922, quando o exército bolchevique finalmente tomou Vladivostok, que estava sob controle da resistência. Finalmente, em 1923, os últimos territórios do Movimento Branco se renderam.

Consequências da Guerra Civil Russa

Como resultado da Guerra Civil Russa, estima-se que mais de 10 milhões de pessoas morreram. A maioria delas eram civis que não lutaram na guerra e não conseguiram sobreviver às duras condições de vida. Além disso, milhares de pessoas foram mortas após a guerra civil pela polícia bolchevique com o intuito de manter o controle do país e eliminar qualquer fonte de oposição.

Além disso, a política econômica do “comunismo de guerra” adotada pelos bolcheviques para confiscar grãos e obter recursos para vencer a guerra levou à destruição do sistema produtivo russo. Isso levou a sérios problemas na produção e distribuição de alimentos e necessidades básicas. Entre 1921 e 1922, a Rússia passou por uma das mais graves fomes de sua história.

Com a vitória na Guerra Civil Russa, os bolcheviques conseguiram consolidar seu poder na Rússia e transformá-la na União das Repúblicas Socialistas Soviéticas. Nos anos subsequentes à guerra, a polícia bolchevique reprimiu e eliminou todos os dissidentes ou pessoas que pudessem se tornar fontes de oposição ao novo regime.

Pela primeira vez na história, o comunismo foi estabelecido como um modo de produção e um novo tipo de regime político chamado de “ditadura do proletariado”.

Referências

  • Britannica, The Editors of Encyclopaedia (2023). "Russian Civil War". Encyclopedia Britannica
    https://www.britannica.com/ 
  • Carr, E. H. (1981). La revolución rusa. De Lenin a Stalin, 1917 a 1929. Alianza Editorial.
  • Fitzpatrick, S. (2005). La revolución rusa. Siglo XXI Editores.
  • Palmowski, J. (2000). "Russian civil war". A dictionary of twentieth-century world history. Oxford University Press.

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

KISS, Teresa. Guerra Civil Russa (1918-1921). Enciclopedia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/guerra-civil-russa-1918-1921/. Acesso em: 22 abril, 2024.

Sobre o autor

Autor: Teresa Kiss

Professora de História do ensino médio e superior.

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur)

Data da última edição: 16 novembro, 2023
Data de publicação: 6 outubro, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)