Nikita Khrushchev

Vamos explicar quem foi Nikita Khrushchev e como foi o seu governo da União Soviética. Além disso, a sua posição durante a Guerra Fria.

Nikita Khrushchev foi um dos líderes mais importantes da União Soviética.

Quem foi Nikita Khrushchev?

Nikita Khrushchev (1894-1971) foi um político soviético comunista que governou a União Soviética entre 1953 e 1964. O seu mandato foi marcado pela reorientação do governo, pelo processo de desestalinização e pelo início de um setor que apoiava a liberalização moderada no seio do Partido Comunista da União Soviética (PCUS).

No contexto da Guerra Fria, liderou a campanha de “coexistência pacífica”, com o objetivo de aliviar a tensão internacional e melhorar as relações com os Estados Unidos, seu principal concorrente no mundo. No entanto, no final de seu governo as relações pioraram com a construção do Muro de Berlim, com a invasão norte-americana a Cuba e com o fracasso das negociações com J. F. Kennedy, que levou à crise dos mísseis (1962).

A vida pessoal de Nikita Khrushchev

Nikita Khrushchev nasceu em 5 de abril de 1894 na cidade de Kalinovka, no antigo Império Russo. Sua família pertencia ao setor pobre camponês da região.

Seu pai trabalhava nas minas ou nas fábricas da região e seu avô havia sido um “servo do Estado” (uma pessoa que não tinha liberdade para se mobilizar e nem trabalhar) que dedicou sua vida a servir para o exército do czar. Durante sua infância teve uma educação primária rural elementar, e teve que trabalhar cuidando do gado ou fazendo outras tarefas para contribuir para a economia familiar.

Em 1908, a família de Khrushchev mudou-se para Yuzovka (atual Donetsk) na Ucrânia, uma região mineira de grande desenvolvimento industrial para a época. Aos 15 anos, Nikita começou a trabalhar na área dos trabalhadores e entrou em uma fábrica como aprendiz de metalúrgico.

Ao tornar-se operário qualificado, ficou isento de se alistar ao exército quando iniciou a Primeira Guerra Mundial em 1914. Durante a guerra, participou de numerosas manifestações pelo aumento de salários, pela melhoria das condições de trabalho e pelo fim da guerra. Isto lhe valeu o respeito e apoio de seus companheiros operários.

Em 1917, eclodiu a Revolução Russa e o czar russo abdicou do trono. Neste contexto, foi dada especial importância à formação de conselhos de trabalhadores (denominados sovietes) dentro das fábricas e regionalmente. Nikita Khrushchev foi eleito pelos seus colegas como presidente do soviete de Rodchenkov.

Em 1918, Khrushchev aderiu ao PCUS e alinhou-se com os bolcheviques da Revolução. Foi nomeado comissário político bolchevique e fez parte do Exército Vermelho durante a Guerra Civil Russa (1918-1921). Desde então, iniciou sua carreira política em ascensão dentro do Partido Comunitário da União Soviética (PCUS).

Nikita Khrushchev casou-se duas vezes. Entre 1914 e 1919 ele foi casado com Yefrosinya Pisareva, que morreu de tifo enquanto servia no Exército Vermelho e foi mãe de seus dois primeiros filhos, Yulia e Leonid. Em 1923, casou-se com Nina Kujarchuk com quem esteve até sua morte em 1971. Deste último casamento teve três filhos: Rada, Elena e Sergei.

A vida política de Nikita Khrushchev

A ascensão dentro do PCUS

Durante a década de 1920, Khrushchev foi ascendendo dentro do PCUS. Em 1922, entrou em uma escola de ensino médio para trabalhadores, finalizando seus estudos. Ali, além disso, recebeu instruções políticas partidárias e se tornou o secretário do Comitê do Partido dentro da escola.

Ao terminar os estudos em 1925, começou a dedicar-se exclusivamente a tarefas partidárias como secretário do PCUS no distrito de Petrovsko-Mariinsk de Yuzovka. Desta forma, conheceu Lazar Kaganovich, um membro do partido próximo de Stalin (o líder supremo da União Soviética entre 1922 e 1953), que facilitou a ascensão política nos próximos anos.

Em 1929, mudou-se para Moscou para estudar engenharia metalúrgica na Academia Industrial. Ali, obteve diferentes cargos dentro do Comitê do Partido local. Durante a década de 1930, com as purgas políticas realizadas pelo governo dentro e fora do partido para eliminar a oposição e as dissidências, foram habilitados muitos postos políticos para aqueles que eram considerados fiéis à linha estalinista.

Em 1935, obteve o cargo de primeiro-secretário do Partido em Moscou, o que equivalia a governar a cidade. De lá continuou a escalar: conseguiu se tornar um dos 70 membros do Comitê Central do PCUS, fazer parte das comissões externas do Soviete Supremo, ocupar o cargo de secretário do PCUS da Ucrânia e, em 1939, adquirir uma banca como membro pleno do Politburo (o principal órgão do governo soviético).

Durante a Segunda Guerra Mundial, as forças soviéticas ocuparam a Polônia. Khrushchev foi encarregado de erradicar os movimentos nacionalistas poloneses e aqueles que estavam a emergir também na Ucrânia. Quando o exército alemão invadiu territórios da União Soviética, ele foi enviado para a Ucrânia para evacuar a indústria local e promover movimentos de resistência contra a ocupação alemã. Serviu também de apoio durante a defesa de Stalingrado e na Batalha de Kursk.

No final da guerra, retomou o controle da Ucrânia, devastada pela destruição das indústrias, das cidades e dos campos. Encarregou-se de restituir a organização civil e estatal e reativar a produção agrícola, fundamental para alimentar a população empobrecida.

Em seguida, foi enviado de volta a Moscou para fazer parte do Comitê Central do PCUS. Desde então, entre 1949 e 1953, dedicou-se ao planejamento agrícola e propôs uma série de reformas estruturais para melhorar a produção de alimentos. No entanto, as suas ideias foram rejeitadas.

Em 1953, Stalin faleceu e com isso se desencadeou uma dura competição pela liderança da União Soviética entre diferentes facções do PCUS. Khrushchev conseguiu dominar a cena política e afastar o seu principal opositor, Georgi Malenkov. Em setembro desse mesmo ano, assumiu o cargo de secretário-geral do PCUS, ou seja, foi o primeiro dirigente da União Soviética.

Seu governo como Secretário-Geral do PCUS

Durante o seu governo, Nikita Khrushchev fez várias reformas com o objetivo de enfrentar alguns problemas estruturais do modelo econômico estabelecido por Stalin. Para isso, iniciou um plano de “desestalinização”: um processo através do qual se buscava eliminar o culto à personalidade de Stalin e reestruturar o aparelho estatal. No XX Congresso do PCUS (1956) denunciou os crimes de Stalin em um “relatório secreto” frente aos líderes do partido.

Para enfrentar os problemas de desabastecimento, tanto de matérias-primas como de produtos industriais básicos, Khrushchev empreendeu uma série de reformas: modificou a estrutura de controle estatal sobre as indústrias, permitiu a criação de conselhos regionais de planejamento produtivo e impulsionou a produção de bens de consumo (em oposição à orientação stalinista que se concentrou na indústria pesada).

A política de desestalinização (com a denúncia do terror e da violência) e o relaxamento do controle central sobre o planejamento produtivo levaram a criar um clima de maior liberdade durante os primeiros anos de seu governo.

Isso levou ao surgimento de diferentes movimentos políticos em busca de autonomia em países sob o controle da União Soviética. Na Polônia, ele encontrou uma solução diplomática e impôs o líder comunista Wladyslaw Gomulka no governo. Na Hungria, decidiu derrotar a Revolução Húngara através da ocupação e do envio de tropas.

Durante a Guerra Fria, lançou a política de “coexistência pacífica” com os Estados Unidos, país que visitou em 1959. Afirmava que a guerra nuclear era inevitável e que os dois blocos em que se encontrava dividido o mundo podiam coexistir sem aniquilar-se.

Além disso, nas diferentes conferências e negociações internacionais, ele se mostrou como um líder forte e difícil de convencer. Apesar do relaxamento das tensões entre as duas superpotências, teve que enfrentar diferentes acontecimentos críticos.

Em 1961, a falta de acordo nas negociações com J. F. Kennedy (presidente dos Estados Unidos) sobre a divisão da Alemanha levou à construção do Muro de Berlim. Em 1962, desencadeou-se a Crise dos Mísseis de Cuba quando Khrushchev tentou estabelecer uma base secreta de mísseis de médio alcance no país. Embora, depois das ameaças e da crescente tensão, teve que retirar as instalações e os armamentos, conseguiu que os Estados Unidos se comprometessem a terminar suas tentativas de derrubar o governo comunista de Fidel Castro em Cuba.

As diferentes reformas que Khrushchev realizou na política interna da União Soviética geraram-lhe diferentes inimigos dentro do PCUS. Nos últimos anos de seu governo, os opositores conseguiram se impor em diferentes âmbitos.

Finalmente, em 1964, Leonid Brejnev liderou a oposição para pressionar Khrushchev conseguindo fazer com que ele renunciasse.

Últimos anos de Nikita Khrushchev

Depois da sua renúncia, Khrushchev viveu vigiado e controlado pelo PCUS. Em 1970, publicou suas memórias que, embora proibidas na União Soviética, difundiram-se no resto do mundo.

Morreu de ataque cardíaco em 11 de setembro de 1971, aos 77 anos, em Moscou.

Referências

  • Britannica, The Editors of Encyclopaedia (2023). "Nikita Khrushchev". Encyclopedia Britannica.
    https://www.britannica.com/  
  • Khrushchev, N. S., & Khrushchev, S. (2004). Memoirs of Nikita Khrushchev: Commissar, 1918-1945 (Vol. 1). Penn State Press.
  • Palmowski, J. (2000). "Nikita Khrushchev". A dictionary of twentieth-century world history. Oxford University Press.
  • Taubman, W., Khrushchev, S., & Gleason, A. (Eds.) (2001). Nikita Khrushchev. Yale University Press.
  • Van Dijk, R., Gray, W. G., Savranskaya, S., Suri, J., & Zhai, Q. (Eds.). (2013). “Nikita Khrushchev”. Encyclopedia of the Cold War. Routledge.

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

KISS, Teresa. Nikita Khrushchev. Enciclopédia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/nikita-khrushchev/. Acesso em: 24 maio, 2024.

Sobre o autor

Autor: Teresa Kiss

Professora de História do ensino médio e superior.

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 24 fevereiro, 2024
Data de publicação: 9 outubro, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)