Burguesia

Vamos explicar o que é a burguesia, como se originou e os valores que sustentava. Além disso, quais são suas características gerais e exemplos.

Os burgueses eram donos dos meios de produção.

O que é a burguesia?

Com o termo burguesia se costuma denominar a classe média bem de vida, proprietária e capitalista, se bem que este termo pode ser empregado com diversas formas de matizes na filosofia política, econômica, sociologia e história. O termo, bem como a classe social a que se refere, mudou com o tempo desde o seu aparecimento no final da Idade Média.

Para a escola de pensamento marxista, por exemplo, crítica do sistema capitalista, a burguesia representa a classe social dos proprietários, donos dos meios de produção, que subsistem a partir da exploração da mão de obra do proletariado (setor operário). Na atualidade, o termo pode ser empregado de maneira depreciativa: “burguesia parasitária”, “burguesia exploradora”, etc.

Aqueles indivíduos pertencentes a esses estratos sociais são chamados de “burgueses”, e são associados diretamente com o poder econômico das sociedades industriais.

Origem do termo burguesia

Os termos “burguês’ e ‘burguesia”provêm da Idade Média, quando se empregava para referir os habitantes dos “burgos”: partes novas das cidades medievais nas quais predominava esta classe média comerciante, desprovida de títulos nobres (como a aristocracia), mas com um nível de vida muito superior ao dos camponeses.

Origem dos burgueses

burguesía
A burguesia ganhou poder quando o dinheiro começou a importar mais que um título nobre.

A expansão e empoderamento da burguesia foi fundamental na transição do sistema feudal para o sistema moderno. Os burgueses não estavam sujeitos a nenhum senhor feudal, mas foram a classe que acumulou as riquezas monetárias e se erigiram logo como um novo elemento de poder, independente do clero e da aristocracia.

De fato, muitos aristocratas empobrecidos cruzaram suas famílias com burgueses ricos para salvá-las economicamente e compartilharam assim a nobreza da sua linhagem com os grandes mercadores plebeus.

Com o passar do tempo, o dinheiro passou a ter muito mais valor que os títulos nobres, na medida em que os mercados cresciam, o conhecimento se democratizava e o sistema feudal dos políticos corruptos se desmoronava junto com o absolutismo.

Alta e baixa burguesia

Costuma-se distinguir entre diferentes burguesias, como a urbana ou a rural, mas sobretudo entre a alta burguesia e a baixa burguesia:

  • Alta burguesia. Composta pelos grandes capitalistas e proprietários de meios de produção em massa, também conhecida como “alta sociedade”, de índole exclusiva e neo-aristocrática.
  • Baixa burguesia. Composta pelos pequenos industriais e comerciantes, muito mais modesta e popular.

As Revoluções Burguesas

Revoluciones Francesas
Os burgueses se ergueram como o novo estrato de poder.

Os processos de mudança profunda que a aparição e o triunfo desta classe social significou para o Ocidente são conhecidos como Revoluções Burguesas. Costumam se situar historicamente no século XVIII, quando se iniciou o ciclo revolucionário drástico que pôs fim ao absolutismo mediante revoltas populares e a concepção de uma nova sociedade livre dos valores feudais. Um exemplo perfeito disso é a Revolução Francesa de 1789.

Nessa nova ordem, a burguesia financeira e a industrial, proprietárias das rotas comerciais e dos meios de produção, respectivamente, ergueram-se como o novo estrato de poder.

Importância da burguesia

A burguesia, como fica claro pelo seu papel histórico entre a Idade Média e a Idade Moderna, desempenhou um papel importantíssimo na articulação de novos valores e de novas filosofias de vida, que substituíram as feudais e religiosas típicas da sociedade medieval.

Embora seja acusada de ter sido ligada ao poder, o certo é que deslocaram o Antigo Regime e permitiram a ascensão de uma ordem social mais centrada na quantidade de riquezas e não na nobreza de origem.

Diferenças entre burguesia e aristocracia

burguesía - aristocracia
Os aristocratas tinham origem nobre e os burgueses tinham a capacidade de gerar dinheiro.

A aristocracia era a classe que detinha o poder na ordem feudal. Os membros desta classe compartilhavam uma origem nobre, ou seja, provinham de casas de heróis militares aparentadas com as autoridades monárquicas que se consideravam escolhidas por Deus para a condução da sociedade e eram as grandes detentoras de terras e propriedades.

A burguesia, ao contrário, não possuía nobreza de origem e nem grandes propriedades, mas sim a capacidade de gerar e administrar dinheiro, o que acabou por se revelar mais influente na ordem vindoura.

Diferenças entre burguesia e proletariado

O proletariado (no mundo capitalista) ou o campesinato (também no mundo feudal) estava composto pelas classes baixas da sociedade, que não tinham outra coisa a oferecer que sua mão de obra, sua força e sua capacidade de trabalho.

Na era medieval trabalhavam para um senhor feudal que, em troca, protegia-os, administrava a justiça local e compartilhava com eles os frutos do seu esforço.

Na era moderna capitalista, os proletários trabalhavam para a burguesia, que era dona dos meios de produção e comercialização: fábricas, granjas, lojas, etc.

Valores da burguesia

Centrados no lema da Revolução Francesa: “Liberdade, igualdade, fraternidade”, os valores que a burguesia introduziu na sociedade (através das correntes do pensamento do Iluminismo e do enciclopedismo durante o século XVIII) propuseram um mundo radicalmente diferente, no qual as ideias de liberdade, progresso, inovação, individualidade, trabalho e igualdade eram centrais.

O estado de direito com a sua divisão de poderes políticos (contrário ao absolutismo feudal), a mobilidade social (contrária à sociedade de políticos corruptos) e as liberdades civis e públicas (contrárias à ordem religiosa eclesiástica) e inclusive a República e a democracia, são todas consequências do triunfo histórico burguês.

O tratamento burguês

A derrota da aristocracia por parte da burguesia insurgente modificou também o sistema de protocolo e cortesia imperante, já que antigamente só os senhores feudais tinham sobrenomes (para demonstrar sua linhagem) e eram tratados com títulos nobres.

Desde as revoluções burguesas, surgiram diversos tratamentos democraticamente distribuídos na sociedade, tais como “cidadão” (durante a Revolução Francesa) ou senhor (“monsieur”: “meu senhor”) e outras variantes como “dom” (proveniente do dominus latino, ou seja, “senhor”).

O aburguesamento

burguesía - cultura de masas
A burguesia se tornaria o novo poder da sociedade ocidental.

Os burgueses impuseram sua cultura na arte, na moral, na ética, nos costumes e nos modos. Estes valores modernos, no entanto, mudaram com o tempo e tornaram-se cada vez mais laxistas, à medida que a burguesia se tornava a nova força conservadora de poder na sociedade ocidental e se dava início aos movimentos revolucionários de corte operário e proletário, que procuravam subverter a ordem social e política burguesa.

Referências

  • Ryan, Alan (2023). "Bourgeoisie". Encyclopedia Britannica. https://www.britannica.com/ 
  • Stearns, P. (1994). “Liberalism”, “Middle class” y “Working class”. Encyclopedia of social history. Garland Publishing. 
  • Wilczynski, J. (1981). "Bourgeoisie". An Encyclopedic Dictionary of marxism, socialism and communism. Macmillan Reference Books.

Como citar?

Citar a fonte original da qual extraímos as informações serve para dar crédito aos respectivos autores e evitar cometer plágio. Além disso, permite que os leitores acessem as fontes originais que foram utilizadas em um texto para verificar ou ampliar as informações, caso necessitem.

Para citar de forma adequada, recomendamos o uso das normas ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), que é uma entidade privada, sem fins lucrativos, usada pelas principais instituições acadêmicas e de pesquisa no Brasil para padronizar as produções técnicas.

ETECÉ, Equipo editorial. Burguesia. Enciclopédia Humanidades, 2024. Disponível em: https://humanidades.com/br/burguesia/. Acesso em: 17 julho, 2024.

Sobre o autor

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 26 maio, 2024
Data de publicação: 18 março, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)