Nepal

Vamos explicar tudo sobre o Nepal e as suas características físicas e culturais. Além disso, como é a economia, a religião e a história deste país.

O Nepal está dividido em 14 zonas que contêm 77 distritos diferentes.

Nepal

O Nepal é um Estado nacional, cujo nome oficial é Nepal, também. Seu território está localizado na Ásia, na cordilheira do Himalaia e limita-se ao sul com a Índia e ao norte com a China. É um Estado laico, multicultural e multilíngue, que abrange um território de 147 181 km2 de superfície.

O território nepalês não tem saída para o mar. Situa-se na cordilheira do Himalaia e sua morfologia é principalmente montanhosa, mas tem também outros tipos de relevo, como as planícies selváticas de Terai no sul, ou o vale onde se encontra a sua cidade capital, Katmandu. Seu território é dividido em 7 províncias que contêm 77 distritos.

Até 1990, o Nepal era uma monarquia absoluta. A partir de 1990, mudou sua forma de governo para uma monarquia parlamentar e, depois, a nova constituição que entrou em vigor em 2007 aboliu a monarquia e definiu o Nepal como uma república parlamentar federal.

Por que é chamado de “Nepal”? Existem várias teorias sobre a origem deste nome. Uma teoria sugere que deriva da palavra em sânscrito nepa, que se acredita que era como se chamava uma antiga tribo que habitava na região. Outra teoria propõe que o nome vem de um sábio da mitologia hindu chamado “Ne”. Também se acredita que poderia vir do termo sânscrito nipalaya, que significa “aos pés das montanhas”.

Características do Nepal

Algumas características deste país são:

  • A sua população é de 30,5 milhões de habitantes.
  • Abrange uma superfície de 147 mil km2.
  • Tem uma densidade populacional de 207 habitantes por quilômetros quadrados.
  • Sua capital é a cidade de Katmandu, que tem 1 milhão e 400 mil habitantes.
  • Sua língua oficial é o nepali.
  • Seu relevo predominante é o montanhoso, mas também existem extensos vales e planícies no sul.
  • Está atravessado pela cordilheira do Himalaia.
  • Em seu território se encontra o monte Everest, a montanha mais alta do mundo.
  • Seu clima é temperado úmido ao sul e polar de tundra alpina nas alturas do norte.
  • O hinduísmo é a religião da maioria dos habitantes.
  • A sua atividade econômica principal é a agricultura.

Extensão territorial, população e capital do Nepal

Em Katmandu, encontra-se Boudhanath, uma cúpula do século V.

O Nepal tem uma extensão de 147 000 km2, por isso é um dos países mais pequenos da Ásia. Tem uma população de 30 milhões e 500 mil habitantes, e uma densidade populacional de 207 habitantes por quilômetro quadrado.

Está dividido em 7 províncias. O distrito mais populoso, com mais de 5500 mil habitantes é Bagmati, onde se encontra a capital, Katmandu. O distrito menos povoado, mas ao mesmo tempo, o mais extenso é Karnali, no noroeste do país, que tem quase 28 mil quilômetros quadrados, mas apenas 1 milhão e 500 mil habitantes.

A capital do Nepal é a cidade de Katmandu. Sua população é de 1 milhão e 400 mil habitantes. Está localizada em um vale com o mesmo nome no centro do país, a uns 1317 metros de altura.

Nas suas imediações há sete locais distintos considerados pela Unesco como Patrimônio Cultural da Humanidade:

  • A Praça de Durbar, em Hanuman Dhoka. É a maior das praças reais, onde se podem ver edificações históricas dos séculos XVII e XVIII.
  • A Praça de Durbar, em Patan. Suas 19 edificações históricas refletem a dinastia Malla.
  • A Praça de Durbar, em Bhaktapur. Conta com monumentos dos séculos XVII e XVIII.
  • Swayambhunath. É uma cúpula (edifício religioso budista) localizada em uma colina a três quilômetros de Katmandu, onde está o monumento budista mais antigo do vale.
  • Boudhanath. A maior cúpula do Nepal, que data do século V.
  • A área de monumentos de Pashupati. Centro de peregrinação hindu em ambas as margens do rio Bagmati.
  • A área dos monumentos de Changu Narayan. Estão localizados na parte oriental do vale.

Clima, relevo e hidrografia do Nepal

Nepal
A área tropical do Nepal situa-se abaixo dos 1200 metros de altura.

A maior parte do relevo do Nepal é montanhoso, já que a cordilheira do Himalaia o atravessa de leste a oeste. O Monte Everest, a montanha mais alta do mundo, com 8848 metros de altura, faz parte do Himalaia e se encontra no Nepal.

Por sua vez, os vales mais férteis (menos elevados e menos frios) oferecem condições propícias para a prática da agricultura e a instalação das principais cidades do país (como Katmandu, localizada no vale do mesmo nome).

No sul do país, e em contraste com as grandes cadeias montanhosas do norte, encontra-se a planície do Terai, uma extensa área de terras baixas e férteis. Esta região de clima quente e chuvoso, coberta de vegetação tropical, oferece as condições climáticas adequadas para a prática da agricultura e é lar de uma rica biodiversidade.

A maior parte do território do Nepal tem clima temperado. Apresenta duas variações, o subúmido ou monçônico e o subtropical úmido. O subúmido ou monçônico se caracteriza por ter verões cálidos e chuvosos, e invernos frios e secos. O subtropical úmido tem temperaturas similares ao monçônico, mas precipitações abundantes durante todo o ano.

Nas zonas de maior altitude do Himalaia, o clima é muito mais frio, e se chama clima de tundra alpina. Este clima ocorre em zonas com mais de 3500 metros de altitude e caracteriza-se por baixas temperaturas e poucas precipitações.

Os rios do Nepal nascem no Himalaia e fluem em direção ao sul. Os mais importantes são o rio Karnali, o Kali, o Trisuli e o rio Narayani. Os quatro fazem parte da bacia do rio Ganges, um dos rios mais importantes da Índia e da região.

A flora e a fauna variam de acordo com o clima e o relevo. Nas montanhas do norte, os animais e plantas são escassos, e estão adaptados a baixas temperaturas durante todo o ano, a falta de oxigênio e a aridez.

Pelo contrário, nos vales e nas planícies formam biomas de floresta úmida, e os animais e as plantas são muito mais variados e abundantes.

Cultura do Nepal

A cultura nepalesa é influenciada pelas tradições hindus, budistas e tibetanas.

Sendo um país multiétnico, a população nepalesa pode ser classificada em diferentes grupos de distintas origens:

  • Khas ou pahari. É o grupo mais numeroso, é o chamado “nepalês” ou “montanhês”.
  • Madhesi. É o grupo que habita as planícies de Terai. Forma um conglomerado étnico que fala línguas indo-iranianas como o maitili (3,6 milhões), o bhojpuri (2,2 milhões) e o awadhi.
  • Newa. É o povo originário do vale de Katmandu, cuja população aproximada é de 1 milhão e 300 mil habitantes. Seus integrantes falam seu próprio idioma tibeto-birmano e foram a dinastia reinante até o século XVI.
  • Magar. É um grupo formado por falantes de línguas sino-tibetanas que teriam migrado para o Nepal a partir da Sibéria e que integraram a dinastia governante a partir do século XVI até 2007.
  • Tamang. É um grupo originário que fala uma língua semelhante ao tibetano. Supõe-se que seus integrantes chegaram do Tibete quando o rei Trisong os converteu em seus guardas de fronteira no ano 775.
  • Gurung. É um grupo de aproximadamente 500 mil habitantes que vivem nas montanhas e se dedicam ao pasto e ao comércio.
  • Sherpa. Com cerca de 150 mil habitantes, é um grupo procedente de Sichuan, China, que teria se refugiado nos Himalaias há séculos.
  • Tharu. É o povo indígena das selvas nepalesas e sua população atinge 1 milhão e 200 mil habitantes.

O hinduísmo é a religião da maioria dos habitantes do Nepal, e é praticado por mais de 80% da sua população. Outras religiões importantes são o budismo (10,7%) e o Islã (4,2%).

O nepalês é a língua oficial do Nepal e é falado por quase metade da população (47,8%), como língua materna. No entanto, dada a complexidade étnica do Estado nepalês, existem muitas outras línguas como o maitili (12,1%), bhojpuri (7,4%), tharu (5,8%), tamang (5,1%), newari (3,6%), magar (3,3%) e awadhi (2,4%).

A cultura nepalesa é profundamente influenciada pelas tradições hindus, budistas e tibetanas. A escultura em bronze e madeira é uma forma de arte tradicional do Nepal, com estátuas representando figuras religiosas. Os thangkas são um tapizado típico nepalês, feito sobre uma tela, que pode ser pintado ou bordado.

A música no Nepal reflete a diversidade cultural do país e é influenciada pelas tradições folclóricas, religiosas e étnicas. A música clássica nepalesa, conhecida como dhrupad, tem raízes na cultura milenar da região. Instrumentos tradicionais como o sitar, o sarangi, a tabela e a flauta bansuri são utilizados para interpretá-la.

A gastronomia nepalesa combina sabores e técnicas culinárias de diferentes regiões do Nepal, e tem influências da cozinha indiana, chinesa e tibetana. O daal-bhat-tarkari é o prato principal e básico da cultura nepalesa, que consiste em arroz (bhat), lentilhas (daal) e curry de legumes (tarkari). Além disso, o chá de manteiga de iaque (ou do Tibete), conhecido como chiya, é uma bebida tradicional consumida nas regiões montanhosas.

Símbolos patrióticos do Nepal

Nepal
A Bandeira do Nepal é a única bandeira do mundo que não tem forma retangular ou quadrada.

Os símbolos pátrios do país são:

  • A Bandeira. É a única no mundo que não tem forma retangular ou quadrada. Consiste em dois triângulos representando o Himalaia e as duas principais religiões e influências culturais do país: o budismo e o hinduísmo. O interior da bandeira é vermelho e suas bordas são azuis. Dentro da área vermelha estão o sol e a lua, representando as duas dinastias reais. Esta bandeira foi adotada em 1962.
  • O Hino Nacional. É conhecido como Sayaun Thunga Phool Ka, que em nepalês significa “feito de centenas de flores”. Sua letra foi composta pelo poeta nepalês Pradeep Kumai Rai, e a música por Amber Gurung. É usado como hino oficial desde 2007.
  • O Brasão. Foi adotado em 13 de junho de 2020. Na parte superior aparece a bandeira do Nepal sobre o Monte Everest e umas colinas verdes. No centro do brasão aparece uma silhueta branca com a forma do país e abaixo dois braços tomados pela mão, um masculino e um feminino. Todos estes elementos aparecem rodeados por uma grinalda feita com flores vermelhas. A parte inferior do brasão apresenta uma coroa de louro e uma fita vermelha.

História do Nepal

A história nepalesa começa quando o Império dos Kirati ocupava o norte da atual Índia e o sul do Tibete, aproximadamente no ano 563 a.C. Era um império budista que foi deslocado por feudos hindus para o ano 200 d.C., sucedendo-se no poder central por várias dinastias.

No século XVIII, o rei Gorkha Prithvi Narayan Shah proclamou Katmandu capital do reino. Em 1814, enfrentou as tropas britânicas que aceitaram retirar-se em troca das regiões de Sikkim e o sul de Terai. Isto se tornou conhecido como a Guerra Anglo-Nepalesa que terminou com o tratado de Sugauli, em 1816.

Após a colaboração nepalesa no confronto da rebelião dos Cipaios na Índia em 1857, muitos dos territórios cedidos aos ingleses foram devolvidos ao país.

As intervenções britânicas conseguiram derrubar a monarquia estabelecida e o surgimento de uma nova durante o século XX. Criou-se uma experiência democrática nepalesa que não durou muito, mas que em 1989 foi retomada à força devido às pressões do Movimento Popular Jana Andolan.

Em 1991, tiveram lugar as primeiras eleições livres no país. Em 1996, o Partido Comunista do Nepal tentou uma insurreição armada para proclamar um Estado maoista. Assim se iniciou uma Guerra Civil que se prolongou durante 10 anos, cobrando a vida de quase 13 mil pessoas.

Atividades econômicas do Nepal

A moeda oficial do Nepal é a rupia nepalesa. As atividades econômicas mais importantes do país são:

  • Agricultura. É uma das principais atividades econômicas no Nepal, e emprega a maioria da população rural. As principais culturas são arroz, milho, trigo, cevada, cana-de-açúcar e mostarda.
  • Turismo. É uma atividade em crescimento no Nepal devido às suas paisagens montanhosas. A subida ao Everest e os caminhos montanhosos do Himalaia são algumas das atividades que os turistas mais procuram quando chegam ao país. Também são atrativos destinos turísticos os locais culturais e religiosos como os templos e mosteiros de Katmandu e Lumbini, o local de nascimento de Buda.
  • Indústria manufatureira. Centra-se na produção de têxteis e roupas. Os produtos derivados desta atividade constituem a principal exportação do Nepal, junto aos tapetes feitos a mão, muito valorizados nos mercados internacionais.

Referências

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

SPOSOB, Gustavo. Nepal. Enciclopédia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/nepal/. Acesso em: 7 junho, 2024.

Sobre o autor

Autor: Gustavo Sposob

Professor de Geografia do ensino médio e superior (UBA).

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 27 maio, 2024
Data de publicação: 1 dezembro, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)