Nacionalismo

Vamos explicar o que é o nacionalismo, sua origem e quais são suas características. Além disso, tipos de nacionalismo e o nacionalismo extremo.

O nacionalismo começou a tomar relevância no final do século XVIII.

O que é o nacionalismo?

O nacionalismo é uma ideologia é um movimento sociopolítico que tem como finalidade gerar consciência e identificação de um indivíduo com uma comunidade nacional. Tenta desenvolver um sentido de pertença dos cidadãos de uma mesma nação através do uso de diferentes ferramentas ou estratégias.

Este movimento baseia-se no conceito de Estado-nação, que é composto por um território delimitado, que é administrado política, econômica e socialmente e que é composto por um conjunto de cidadãos que partilham particularidades comuns, como a língua, a raça e os costumes. As nações se identificam entre si pelo uso de símbolos pátrios, uma bandeira em comum e por ter festas pátrias, comidas típicas ou autóctones, entre outros.

O nacionalismo começou a tomar relevância no final do século XVIII, quando os cidadãos deixaram de estar sob o poder de um rei ou imperador e começaram a ser indivíduos livres que formaram nações. Este movimento atingiu o auge no século XX. Existem diferentes tipos de nacionalismo e alguns, levados ao extremo, foram a causa de muitas guerras por suas ideias expansionistas ou de superioridade entre uma nação e outra.

A origem do nacionalismo

O nacionalismo surgiu após o surgimento do conceito de “"nação” no final do século XVIII, depois da Revolução Francesa, e foi influenciado pelas revoltas revolucionárias e independentistas de algumas colônias europeias. Isto gerou a criação de Estados-nações que outorgavam o poder ao povo e o colapso de monarquias e impérios.

Com o início do século XX, as ideias expansionistas que buscavam a conquista de novos territórios foram uma das formas em que se manifestou a ideologia nacionalista. O expansionismo foi visto como uma forma de gerar sentimentos de pertença nos cidadãos de um povo ou nação e ampliar seu poderio econômico e político. Estes sentimentos, somados às crenças de que existia a superioridade de um povo em relação a outros, geraram um orgulho desmedido em cidadãos que pertenciam a um país ou nação, o que provocou sentimentos de discriminação e xenofobia.

Estas formas de nacionalismo extremo originaram grandes guerras, como a Segunda Guerra Mundial. Entre 1933 e 1945 Adolf Hitler utilizou o descontentamento alemão com o tratamento recebido após a Primeira Guerra Mundial e instaurou um regime despótico e nacionalista com o qual lutou contra todos os cidadãos alemães e da Europa que pertenciam a outras raças que considerava inferiores. Dentro destas formas de nacionalismo extremo também se encontraram a Itália fascista de Benito Mussolini, entre 1922 e 1943, e a ditadura de Francisco Franco na Espanha entre 1935 e 1975.

As características do nacionalismo

Nacionalismo
O nacionalismo procura criar um sentimento de patriotismo nos cidadãos.

As principais características da ideologia nacionalista são:

  • Baseia-se na ideia de um Estado-nação, que é organizado e administrado através do poder político.
  • Utiliza uma simbologia própria que permite diferenciar os membros de uma nação de outros, como bandeiras, símbolos pátrios e hinos.
  • Fomenta o sentimento de patriotismo, que implica a identificação dos cidadãos com a nação e um sentimento de pertença.
  • É formado por elementos que identificam a nação e seus membros, como um idioma e tradições e culturas próprias, como bailes, comidas, música, festividades, entre outras. Em alguns casos, uma nação se caracteriza também pela religião compartilhada pela maioria da população.
  • Pode provocar sentimentos de superioridade entre os membros de uma nação em relação aos cidadãos de outra. Esta foi uma das principais causas de muitas guerras no mundo.
  • Sustenta que o interesse nacional deve estar acima dos interesses particulares dos indivíduos.

Os tipos de nacionalismos

Nacionalismo
As nações utilizam uma simbologia própria que permite diferenciar os membros de uma nação.

Existem diferentes tipos de nacionalismo, entre os quais se destacam:

  • Nacionalismo liberal. É aquele que se baseia na ideia de igualdade, liberdade e tolerância e sustenta que a conformação de uma nação está dada pela vontade do indivíduo (e não por sua etnia), que respeita os valores de uma constituição.
  • Nacionalismo religioso. É aquele que identifica uma nação com uma religião determinada. Por exemplo: o Estado do Vaticano.
  • Nacionalismo étnico. É aquele que identifica uma nação com a etnia dos indivíduos que a habitam. Por exemplo: o Estado de Israel.
  • Nacionalismo inclusivo. É aquele que busca a união em um território de todos os indivíduos que compartilham características étnicas, embora habitem em diferentes estados. Por exemplo: o Nacional-socialismo alemão.
  • Nacionalismo desintegrador. É aquele que busca a emancipação de um grupo que faz parte de uma nação maior com a qual não se sente identificado. Por exemplo: o nacionalismo basco.

O nacionalismo e o patriotismo

Nacionalismo
As danças tradicionais são necessárias para a unificação do povo.

Existem discrepâncias sobre as características do nacionalismo e sua relação com o Patriotismo. Embora muitas vezes sejam termos usados como sinônimos, apresentam diferenças substanciais.

Por um lado, o nacionalismo é uma ideologia que sustenta a ideia de um Estado-nação formado por indivíduos que compartilham entre si traços e elementos em comum, como a etnia, a religião, um idioma, entre outros. Costuma trazer consigo a ideia de patriotismo, que é o sentimento positivo que um indivíduo experimenta em relação à sua pátria.

Enquanto o patriotismo é entendido apenas como um sentimento, o nacionalismo é um termo mais abrangente e complexo. No entanto, há autores que definem estes dois conceitos como sinônimos e outros que dão ao nacionalismo uma conotação política e também negativa ao supor que traz implícita a crença de superioridade entre nações.

O nacionalismo extremo

O nacionalismo tem diferentes formas de se manifestar e é responsável pelo desenvolvimento das nações e das suas identidades. No entanto, assumiu, ao longo da história, características ideológicas extremas que levaram a fortes disputas entre nações.

O nacionalismo extremo ocorre quando os cidadãos de uma nação têm um forte sentimento de pertença que resulta num sentimento de superioridade em relação aos cidadãos de outras nações. Ou seja, os membros de uma sociedade auto percebem-se melhores ou mais fortes que os indivíduos de outras nações ou raças.

Isto ocasionou que representantes de nações levem a seus países a guerras ou perseguições contra os membros de outros países, por considerá-los inferiores ou por querer conquistar seus territórios. O nacionalismo extremo, geralmente, utiliza a violência para impor-se e semear o medo entre a população e usa a rejeição para outras nações com o objetivo de consolidar seu poder.

Referências

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

ETECÉ, Equipo editorial. Nacionalismo. Enciclopedia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/nacionalismo/. Acesso em: 2 março, 2024.

Sobre o autor

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 17 novembro, 2023
Data de publicação: 27 junho, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)