Período Pós-Clássico

Vamos explicar o que é o Período Pós-Clássico, seu contexto histórico e suas principais características. Além disso, as suas principais civilizações e mais.

machu picchu - incas
Nos Período Pós-Clássico, destacaram-se as civilizações maias, inca e asteca.

O que é o Período Pós-Clássico?

O Período Pós-Clássico corresponde à última etapa da história da América pré-colombiana, entre 900 d.C. e 1521 d.C.

Este período foi notável pela ênfase militar das culturas mesoamericanas e pelo desenvolvimento do Estado centralizado na região andina. Entre as principais culturas do Período Pós-Clássico estavam os Impérios Maia, Inca e Asteca.

Cronologia americana pré-colombiana

O Período Pós-Clássico foi precedido pelo Período Clássico (d.C. 200-900) e está dividido em duas etapas:

  • Pós-Clássico precoce (d.C. 900-1200). Esta fase viu o desenvolvimento das culturas mixteca e tolteca na região Mesoamericana, e a cidade maia de Chichén Itzá consolidou seu domínio na península de Iucatã.
  • Pós-Clássico tardio (d.C. 1200-1521). Esta etapa foi caracterizada pelo desenvolvimento do Império Asteca no Vale do México e do Império Inca nos Andes centrais. Além disso, a cidade-Estado maia de Mayapán consolidou seu poder em detrimento de Chichén Itzá.

Características do Período Pós-Clássico

Período posclásico
Os motivos de guerra prevaleceram nos estilos artísticos do Período Pós-Clássico.

O Período Pós-Clássico foi caracterizado por:

  • Instabilidade política mesoamericana. Na Mesoamérica, as guerras constantes pelo controle do território e a hegemonia política marcaram a ascensão e a queda de numerosas culturas.
  • Desenvolvimento Imperial. Com o tempo, prevaleceu a hegemonia dos Estados militaristas vitoriosos, como o Império Asteca. Isso envolveu o desenvolvimento de um aparelho estatal capaz de controlar e administrar as sociedades subjugadas, às quais impunham o pagamento de tributos e de prestação de serviços.
  • Arquitetura defensiva. Neste contexto de guerra da Mesoamérica, a arquitetura defensiva se desenvolveu nos centros urbanos. Várias cidades construíram muros ao seu redor, assim como acéquias e áreas de armazenamento de bens e serviços para subsistência em tempos de crise.
  • Consolidação das classes guerreiras. O aumento da atividade militar levou os grupos governantes a se relacionar diretamente com o papel da guerra. Os atributos sagrados dos governantes começaram a ser relacionados à sua capacidade de impor a vitória militar sobre outros povos.
  • Prosperidade dos grupos comerciais. A consolidação das rotas comerciais e o aprofundamento das diferenças de classe dentro das sociedades mesoamericanas fez com que os grupos comerciantes se reposicionassem na escada social. A possibilidade de trazer produtos exóticos e de luxo de terras distantes, que as classes dominantes utilizavam como símbolo de distinção, permitiu aos comerciantes o enriquecimento e a consolidação do seu poder político como parte das classes dominantes.
  • O panteão de guerra. Na esfera religiosa, o culto dos deuses guerreiros como Quetzalcoatl (a serpente emplumada) começou a predominar, e os deuses relacionados à chuva e à fertilidade foram relegados a um segundo plano.
  • Cerimonial com sacrifícios. Surgiram novas formas de culto religioso ligadas à guerra e à soberania política. O papel do sacrifício humano foi consolidado nas cerimônias religiosas como ato de veneração aos deuses e como símbolo de superioridade política.
  • Crescimento demográfico. O aperfeiçoamento das técnicas agrícolas levou a uma melhor produção de alimentos. Isto, por sua vez, permitiu que a população crescesse de forma constante. A capital asteca Tenochtitlán era o lar de mais de 300 000 habitantes e Cusco, a capital inca, de mais de 200 000.

Principais civilizações Pós-Clássicas

Período posclásico
O Império Asteca dominou o vale do México durante o Período Pós-Clássico.

Entre as principais civilizações do Período Pós-Clássico estavam:

  • Maias. Habitaram a península de Iucatã entre 2000 a. C. e 1527 d.C. Ao longo de sua história, eles organizaram diversas cidades-Estados independentes com governos teocráticos. Durante o Período Pós-Clássico, as cidades de Chichén Itzá e Mayapán consolidaram seu poder no horizonte maia.
  • Astecas. Ocuparam o vale do México entre 1325 e 1521 d.C. A partir da aliança das cidades Tenochtitlán, Texcoco e Tlacopan, criaram um império centralizado e teocrático, governado por um sapa. A sua sociedade estava estratificada entre os pipiltin (nobres), os macehualtin (pessoas comuns) e os escravos. Desenvolveram uma economia baseada em imposição de tributos, tecnologia agrícola e comércio.
  • Mixtecas. Habitaram o sul da região mesoamericana desde o Período Pré-Clássico, e criaram vários reinos independentes, governados por casais reais. A cultura Mixteca atingiu seu apogeu entre 950 e 1521 d.C. e destacou-se pelo desenvolvimento da tecnologia de guerra e pela participação das mulheres nos escalões superiores do poder político.
  • Toltecas. Estabeleceram-se no norte da Mesoamérica e sua cultura dominou a região entre 900 e 1100 d.C. Fundaram a cidade de Tollan-Xicocotitlan (hoje chamada Tula), uma cidade-Estado multiétnica com uma ideologia militarista. Acredita-se que a língua principal deles era o náhuatle e que exerceram grande influência sobre outras culturas da região.
  • Incas. Na América do Sul, eles formaram o maior império da Era Pré-Colombiana. Habitavam a região andina entre os séculos XII e XVI d.C. e organizaram um império teocrático, liderado por um monarca sagrado chamado Sapa Inca. Sua sociedade estruturou-se em grupos de parentesco comunitários, chamados ayllus, através dos quais a produção e o trabalho em terras agrícolas eram organizados. Seus principais deuses eram Viracocha e Inti, a quem adoravam como patronos da humanidade e de sua civilização.

Fim do Período Pós-Clássico

O fim do Período Pós-Clássico veio com a conquista espanhola. Entre 1511 e 1521, os maias resistiram às tentativas de conquista. Em 1521, Hernán Cortés conseguiu dominar Tenochtitlán, capital do Império Asteca.

De lá, ele enviou vários exércitos para a península de Iucatã. Os invasores europeus aproveitaram as disputas entre as cidades maias e, em 1546, assumiram o controle de quase toda a península. Ao mesmo tempo, Francisco Pizarro liderou a campanha andina e conseguiu conquistar o Império Inca em 1533.

Referências

  • López Austin, Alfredo; y López Luján, Leonardo (2001): El pasado indígena. México DF: El Colegio de México.
  • Boehm de Lameiras, B. (1991). El Estado en Mesoamérica. Estudio sobre su origen y evolución. Revista Española de Antropología Americana, 21, 11.
  • Carmack, Robert et. al. (1996): The legacy of Mesoamérica: history and culture of a Native American civilization. Prentice Hall. Nueva Jersey.
  • Duverger, Christian (1999): Mesoamérica, arte y antropología. CONACULTA-Landucci Editores. París.
  • “The mayan post-classic era” em History on the net.
  • “Maya” em History.
  • “Posclassic period” em MesoAmerican Research Center.
  • “Posclásico tardío” em Revista UNAM.
  • “Posclásico temprano” em Arqueología mexicana.

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

KISS, Teresa. Período Pós-Clássico. Enciclopedia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/periodo-pos-classico/. Acesso em: 28 fevereiro, 2024.

Sobre o autor

Autor: Teresa Kiss

Professora de História do ensino médio e superior.

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur)

Data da última edição: 15 janeiro, 2024
Data de publicação: 29 junho, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)