Bandeira do México

Vamos explicar tudo sobre a bandeira do México e o que representam suas cores e o seu brasão. Além disso, a história e características do Hino e do Brasão Nacional.

Bandera de México
A bandeira do México contém em seu brasão um nopal (cacto mexicano) e uma águia.

Como é a bandeira do México?

A bandeira do México é um dos símbolos patrícios da República do México. Tem forma retangular e está dividida em três zonas verticais de cor verde, branca e vermelha. Na parte central (zona branca) contém o brasão nacional.

Esta insígnia é um símbolo de identidade para os mexicanos porque reúne os valores da nação. Foi incendiada pela primeira vez em 1821 e no dia 24 de fevereiro é comemorado o seu dia. Sua versão atual foi oficialmente adotada em 1968.

A bandeira é, junta ao Brasão e o Hino, um dos símbolos da identidade mexicana. Suas características e protocolo de uso estão especificadas na Lei sobre o Brasão, a Bandeira e o Hino Nacional promulgada em 1984.

Características da bandeira do México

bandera civil de México
Ao contrário da bandeira oficial do México, a bandeira civil tem o brasão preto e branco.

Algumas características da bandeira do México são:

  • Junto ao brasão e o hino nacional, é um dos símbolos do México.
  • É constituída por três faixas verticais de cor verde, branca e vermelha.
  • No centro tem o brasão de armas do México, que consiste em uma águia sobre um nopal.
  • Suas cores têm origem na bandeira do Exército Trigarante de 1821.
  • Foi oficialmente adotada em 1968.
  • Seu dia se celebra em 24 de fevereiro, data na qual também se realiza o juramento à bandeira nas escolas mexicanas.
  • Tem uma proporção alto-longo de 4:7.
  • Existe uma bandeira de uso oficial e outra de uso civil. A bandeira de uso oficial leva o brasão em cores enquanto a segunda apresenta-o em preto e branco ou em tons de cinza.

Origem e história da bandeira do México

Na época pré-colombiana não existia um conceito de bandeira tal como se entende atualmente. No entanto, existia um tipo de pictografia que representava cada uma das culturas pré-colombianas (no caso dos mexicas, era a imagem de um nopal).

O primeiro registro da bandeira tricolor mexicana surgiu em 1821, quando o Exército Trigarante, comandado por Agustín de Iturbide, lutou pela independência mexicana contra os espanhóis. Este desenho já incluía a figura da águia pousada sobre um nopal, assim como a coroa do império e o brasão ao centro, embora a águia não aparecia como na bandeira atual com uma serpente em sua boca.

O desenho da bandeira sofreu pequenas modificações ao longo dos séculos XIX e XX, sobretudo nos elementos que compõem o brasão. As variações aconteceram até 1968, ano em que a atual bandeira mexicana foi oficializada. Em 1984 foi aprovada uma lei que especifica as características oficiais da bandeira, do hino e do brasão.

As cores da bandeira do México

Bandera de México
Na bandeira do México, o vermelho representa o sangue de combatentes mortos.

Embora as cores da bandeira do México se mantenham desde 1821, o significado de cada uma delas foi modificado.

Em um primeiro momento, a cor branca representava a religião e a fé dos habitantes para a Igreja Católica; a cor vermelha representava a união, que fazia referência aos vínculos entre americanos e a crescente onda de imigrantes; e a cor verde simbolizava a liberdade e a independência do povo mexicano dos espanhóis.

Atualmente o significado das cores foi modificado: o verde representa a esperança, o branco simboliza a unidade e o vermelho o sangue dos combatentes falecidos.

Juramento à bandeira

Embora não faça parte do protocolo oficial estabelecido pela lei de 1984, a cerimônia de juramento à bandeira é um fato significativo nas escolas de todo o México. Realiza-se no dia 24 de fevereiro, quando os alunos recitam o seguinte juramento:

Bandeira do México!,
legado de nossos heróis
símbolo da unidade
dos nossos pais
e dos nossos irmãos,
prometemos ser sempre fiéis
aos princípios da liberdade e da justiça
que fazem da nossa Pátria
a nação independente,
humana e generosa
à qual entregamos a nossa existência.

O brasão do México

O brasão do México foi criado em 1968.

O brasão que se encontra na parte central da bandeira do México está formado por uma águia que tem uma serpente em sua boca e está pousada sobre um nopal.

Esta imagem alude à lenda que diz que os mexicanos receberam uma mensagem dos deuses, que lhes indicava que deviam fundar a cidade ali onde vissem a imagem de uma águia pousada sobre um nopal. A águia que devora uma serpente simboliza o fim da viagem dos mexicanos e o início da fundação de Tenochtitlán, hoje conhecida como a Cidade do México.

O brasão foi sofrendo diferentes modificações ao longo da história. No início, foi formado por uma águia pousada sobre um nopal com uma coroa, em seguida, foi tirada a coroa e adicionados ramos de oliveiras e louros para representar a república.

Durante o Segundo Império Mexicano (1864–1867) o brasão adotou um novo formato, foi adicionada uma coroa de tamanho maior, espadas e uma moldura de ouro.

Durante o governo de Porfirio Díaz, entre 1884 e 1909, foram realizadas mudanças no brasão, embora a essência e o significado deste símbolo se manteve. Posteriormente, em 1917, o brasão sofreu outra pequena modificação: a águia começou a ser desenhada de perfil do lado esquerdo.

O Hino Nacional do México

O Hino Nacional do México é, juntamente com a bandeira e o brasão, um dos três emblemas do país. O hino é conhecido desde 1854, mas tornou-se oficial apenas em 1943.

A letra do hino mexicano foi criada por Francisco González Bocanegra, vencedor do concurso realizado pelo governo mexicano em 1853 para a eleição da canção pátria. A música foi composta por Jaime Nunó. A versão do hino que se canta atualmente está formada por quatro versos e um refrão.

Embora esteja escrito em espanhol, o governo mexicano autoriza cada comunidade e povo indígena a traduzi-lo em suas línguas maternas.

A letra do Hino Nacional mexicano diz o seguinte:

CORO

Mexicanos, al grito de guerra
El acero aprestad y el bridón,
y retiemble en sus centros la tierra
Al sonoro rugir del cañón.

Ciña ¡oh patria! tus sienes de oliva
De la paz el arcángel divino,
Que en el cielo tu eterno destino
Por el dedo de Dios se escribió.

Más si osare un extraño enemigo
Profanar con su planta tu suelo,
Piensa ¡oh patria querida! que el cielo
Un soldado en cada hijo te dio.

CORO II

¡Guerra, guerra sin tregua al que intente
De la patria manchar los blasones!
¡Guerra, guerra! Los patrios pendones
En las olas de sangre empapad.

¡Guerra, guerra! En el monte, en el valle
Los cañones horrísonos truenen,
Y los ecos sonoros resuenen
Con las voces de ¡Unión! ¡Libertad!

CORO III

Antes, patria, que inermes tus hijos
Bajo el yugo su cuello dobleguen,
Tus campiñas con sangre se rieguen,
Sobre sangre se estampe su pie.

Y tus templos, palacios y torres
Se derrumben con hórrido estruendo,
Y sus ruinas existan diciendo:
De mil héroes la patria aquí fue.

CORO IV

¡Patria! ¡patria! Tus hijos te juran
Exhalar en tus aras su aliento,
Si el clarín con su bélico acento
Los convoca a lidiar con valor.

¡Para ti las guirnaldas de oliva!
¡Un recuerdo para ellos de gloria!
¡Un laurel para ti de victoria!
¡Un sepulcro para ellos de honor!

CORO

Mexicanos, al grito de guerra
El acero aprestad y el bridón,
Y retiemble en sus centros la tierra
Al sonoro rugir del cañón.

Referências

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

SPOSOB, Gustavo. Bandeira do México. Enciclopédia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/bandeira-do-mexico/. Acesso em: 24 maio, 2024.

Sobre o autor

Autor: Gustavo Sposob

Professor de Geografia do ensino médio e superior (UBA).

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 31 dezembro, 2023
Data de publicação: 16 novembro, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)