Richard Nixon

Vamos explicar quem foi Richard Nixon e como foi sua carreira política. Além disso, seu papel na Guerra Fria e a renúncia à presidência dos Estados Unidos pelo escândalo de Watergate.

Richard Nixon adotou uma política de distensão nas relações com a URSS e com a China.

Quem foi Richard Nixon?

Richard Nixon foi um político americano que exerceu como presidente dos Estados Unidos entre 1969 e 1974. Pertenceu ao Partido Republicano e foi o único presidente dos Estados Unidos que renunciou ao cargo. Tomou esta decisão devido ao seu envolvimento no escândalo Watergate. Anteriormente, tinha sido vice-presidente na gestão de Dwight D. Eisenhower (1953-1961).

Durante a administração de Nixon, a política externa adquiriu uma dimensão pragmática. No contexto da Guerra do Vietnã, Nixon promoveu a “vietnamização”, que consistia em reforçar o treinamento e o equipamento das tropas do Vietnã do Sul, enquanto retirava progressivamente os soldados norte-americanos.

As últimas tropas americanas se retiraram em 1973. Nixon também estabeleceu relações com a República Popular da China e assinou acordos sobre armas com a União Soviética (URSS).

Na política interna, Nixon teve uma atitude mais conservadora, mas criou a Agência de Proteção Ambiental e implementou um programa de discriminação positiva no âmbito laboral. No entanto, depois de ter sido reeleito em 1972, teve que deixar o cargo de presidente em 1974, devido ao escândalo Watergate. Durante sua aposentadoria, dedicou-se a escrever e dar palestras. Morreu em 22 de abril de 1994, com 81 anos de idade.

Vida pessoal de Richard Nixon

Richard Nixon nasceu no dia 9 de janeiro de 1913, em Yorba Linda, no estado da Califórnia. Foi o segundo filho de Frank Nixon, dono de uma loja e de um posto de gasolina, e de Hannah Milhous Nixon, uma mulher quaker, cuja devoção religiosa influenciou seu filho.

Richard Nixon se formou no Whittier College da Califórnia, em 1934 e na Faculdade de Direito da Universidade Duke, em 1937. Quando regressou à cidade de Whittier para exercer a advocacia, conheceu Thelma Catherine Ryan, apelidada de Pat, com quem se casou em 1940. Tiveram duas filhas: Patrícia (geralmente chamada de Tricia) e Julie.

Pouco depois do início da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), Nixon conseguiu um emprego no Gabinete de Administração de Preços que tinha sido criado depois da guerra. Em agosto de 1942, alistou-se na Marinha e serviu na frente do Pacífico. Posteriormente, prestou serviços administrativos em escritórios da Marinha, nos Estados Unidos. Em 1945, foi promovido para o posto de tenente comandante e em 1946 foi destituído do serviço ativo.

O começo de Nixon na política

Nixon iniciou sua carreira política na Câmara de Representantes e no Senado dos Estados Unidos.

Em 1946, Nixon foi eleito para entrar na Câmara de Representantes dos Estados Unidos pelo Partido Republicano, depois de vencer nas eleições o democrata Jerry Voorhis, que havia ocupado um cargo durante dez anos. A campanha de Nixon tinha se concentrado em insinuar que Voorhis era simpatizante do comunismo.

Em 1947, Nixon apoiou a Lei Taft-Hartley, que reduzia o poder dos sindicatos. Entre 1947 e 1950 integrou o Comitê de Atividades Antiamericanas da Câmara de Representantes e teve um papel destacado na investigação do caso de Alger Hiss, um ex-oficial do Departamento de Estado acusado de ter servido como espião para a União Soviética (URSS). Hiss foi condenado por perjúrio em 1950 e Nixon ganhou notoriedade como um fervoroso anticomunista.

Em 1949, Nixon concorreu ao Senado dos Estados Unidos e ganhou as eleições. Durante o período como senador (1950-1953), manteve sua postura anticomunista, manteve boas relações com o senador Joseph McCarthy e criticou o presidente Harry S. Truman por seu manejo da Guerra da Coréia.

A presidência de Richard Nixon

Nixon foi o primeiro presidente dos Estados Unidos em exercício que visitou a China comunista.

Na convenção republicana de 1952, Richard Nixon foi eleito para acompanhar Dwight D. Eisenhower nas eleições que o proclamaram presidente dos Estados Unidos como vice-presidente da gestão de Eisenhower entre 1953 e 1961. Candidatou-se à presidência nas eleições presidenciais de 1960, nas quais perdeu para o democrata John F. Kennedy por uma margem muito apertada.

Após alguns anos de reforma política, Nixon venceu como candidato republicano nas eleições presidenciais de 1968. Fez sua campanha prometendo uma “paz com honra” na Guerra do Vietnã e uma maior distensão com a União Soviética e com a China.

Em julho de 1969, anunciou na ilha de Guam sua intenção de reduzir o compromisso militar norte-americano. Apesar de ter tomado a decisão de bombardear o Camboja (1970) e o Laos (1971), o que provocou protestos nos Estados Unidos, Nixon iniciou a retirada do corpo expedicionário norte-americano no Vietnã, enquanto reforçou com treinamento e equipamento o exército sul-vietnamita (processo denominado “vietnamização”). Com a ajuda de seu conselheiro de segurança nacional, Henry Kissinger, Nixon iniciou as conversações de paz com os norte-vietnamitas.

O primeiro mandato de Nixon terminou com duas importantes ações na linha da distensão com as potências comunistas da Guerra Fria: a histórica visita a Pequim em fevereiro de 1972, que normalizava as relações dos Estados Unidos com a República Popular da China, e a assinatura dos Acordos SALT I com o líder soviético Leonid Brejnev em Moscou, em maio de 1972, para a limitação do armamento nuclear.

O escândalo Watergate e a renúncia de Nixon

A implicação de Nixon no escândalo Watergate precipitou sua renúncia.

Nixon foi reeleito nas eleições de 1972 e, em janeiro de 1973, assinou um acordo de paz com o governo norte-vietnamita em Paris que marcou o fim da participação norte-americana na Guerra do Vietnã. Simultaneamente, prosseguiu a sua política de distensão com a União Soviética, baseada no reconhecimento da paridade nuclear.

A reputação de Nixon foi abalada pela explosão do escândalo Watergate, quando se descobriu que, em junho de 1972, a sede do Partido Democrata, no edifício Watergate, tinha sido ilegalmente invadida e os seus telefones tinham sido grampeados. As investigações demonstraram tanto a responsabilidade de pessoas próximas ao presidente como as tentativas do próprio Nixon para encobrir o caso.

A ameaça de impeachment (do inglês que significa “destituição”) do Congresso de encontro a Nixon precipitaram a sua renúncia em 9 de agosto de 1974. Um mês depois, o presidente Gerald Ford (que tinha sido vice-presidente de Nixon) concedeu-lhe o indulto.

No final da década de 1970, Nixon fez várias viagens à União Soviética, à China e à Europa como mediador e especialista em questões internacionais, mas sem desempenhar qualquer função oficial. Durante seu retiro, publicou vários livros, incluindo suas memórias, e deu palestras. Morreu de um derrame cerebral em 22 de abril de 1994.

Referências

  • Britannica, Encyclopaedia (2023). Richard Nixon. Encyclopedia Britannica. https://www.britannica.com/ 
  • Farrell, J. A. (2018). Richard Nixon: The Life. Vintage Books.
  • Jenkins, P. (2019). Breve historia de Estados Unidos. 5ta. edición. Alianza.
  • Perlstein, R. (2023). Watergate scandal. Encyclopedia Britannica. https://www.britannica.com/ 
  • Veiga, F., Da Cal, E. & Duarte, A. (2006). La paz simulada. Una historia de la Guerra Fría. Alianza.

Continue com:

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

GAYUBAS, Augusto. Richard Nixon. Enciclopedia Humanidades, 2024. Disponível em: https://humanidades.com/br/richard-nixon/. Acesso em: 20 fevereiro, 2024.

Sobre o autor

Autor: Augusto Gayubas

Doutor em História (Universidad de Buenos Aires)

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 29 janeiro, 2024
Data de publicação: 29 janeiro, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)