Tratado de Paz entre o Egito e Israel (1979)

Vamos explicar o que foi o Tratado de Paz entre o Egito e Israel de 1979 e quem foram seus protagonistas.

O Tratado de Paz entre o Egito e Israel restabeleceu as relações diplomáticas entre ambos os países.

O que foi o Tratado de Paz entre o Egito e Israel em 1979?

O Tratado de Paz entre o Egito e Israel foi o tratado que pôs fim a um longo período de conflito e guerra entre os dois países, iniciado com a criação do Estado de Israel em 1948.

Foi assinado em 26 de março de 1979 em Washington, Estados Unidos. Seus signatários foram o primeiro-ministro israelense Menachem Beguin, o presidente egípcio Anwar Sadat e o presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter, que promoveu a aproximação entre os dois líderes e mediou as negociações.

O antecessor imediato do tratado foram os Acordos de Camp David, assinados pelos três líderes em Washington em 17 de setembro de 1978. As principais cláusulas do tratado foram o estabelecimento de paz e de relações diplomáticas entre o Egito e Israel, a devolução da península do Sinai ao Egito e o reconhecimento egípcio do Estado de Israel.

PONTOS IMPORTANTES

  • O Tratado de Paz entre o Egito e Israel foi assinado em 1979 pelo presidente egípcio Anwar Sadat, pelo primeiro-ministro israelense Menachem Beguin e, na qualidade de testemunha, pelo presidente dos Estados Unidos Jimmy Carter.
  • O Tratado de Paz entre o Egito e Israel encerrou formalmente o estado de guerra entre os dois países. Israel aceitou a devolução do Sinai ao Egito e concordou com a desmilitarização da fronteira sob a supervisão de uma força multinacional.
  • Após a assinatura do Tratado de Paz com Israel, o Egito foi suspenso da Liga Árabe e, em outubro de 1981, o presidente Sadat foi assassinado por um grupo jihadista. A Liga Árabe readmitiu o Egito em 1989.

O contexto histórico

Após o fim da Segunda Guerra Mundial (1939–1945), a ONU (Organização das Nações Unidas) decidiu dividir o Mandato Britânico da Palestina em dois Estados: um judeu e um árabe. No entanto, a Liga Árabe rejeitou o plano e, quando o Mandato Britânico terminou em 1948, o líder judeu David Ben Gurion proclamou a criação do Estado de Israel.

Isso desencadeou a Primeira Guerra Árabe-Israelense (1948–1949), que opôs o recém-criado Estado de Israel aos países árabes vizinhos: Egito, Síria, Transjordânia, Líbano e Iraque. Após a vitória israelense, outros conflitos se transformaram em uma série de guerras entre o Egito e Israel, às vezes envolvendo também outros países: a Guerra do Sinai, também conhecida como a Crise do Canal de Suez (1956), a Guerra dos Seis Dias (1967) e a Guerra do Yom Kippur (1973).

Após a guerra de 1973, os governos egípcio e israelense acordaram um cessar-fogo e a retirada de suas forças militares com a ajuda da ONU. Em 1977, o presidente egípcio Anwar Sadat, que havia se aproximado diplomaticamente dos Estados Unidos, fez uma visita histórica a Jerusalém.

Em 1978, Sadat e o primeiro-ministro israelense Menachem Beguin se reuniram na residência presidencial de Camp David, nos Estados Unidos, onde mantiveram conversações de paz intermediadas pelo presidente norte-americano Jimmy Carter. Essas conversas resultaram nos Acordos de Camp David, que estabeleceram as bases para a assinatura do Tratado de Paz entre o Egito e Israel em 1979.

Principais participantes do Tratado de Paz entre o Egito e Israel

Anwar Sadat (1918–1981)

Após a Guerra do Yom Kippur, Anwar Sadat adotou uma política diplomática e visitou Jerusalém.

Anuar Sadat foi um militar egípcio que desempenhou a presidência do Egito de 1970 até a sua morte, em 1981. Foi o primeiro líder árabe a iniciar negociações de paz com Israel. Essas negociações foram concluídas com a assinatura dos Acordos de Camp David em 1978 e do Tratado de Paz entre o Egito e Israel em 1979. Em 1978, recebeu o Prêmio Nobel da Paz.

Formado pela Academia Militar do Cairo em 1938, ele se juntou à organização dos Oficiais Livres do Cairo, participou do golpe que derrubou a monarquia em 1952 e apoiou a ascensão de Nasser à presidência em 1956. Foi seu vice-presidente por dois mandatos (1964 e 1969–1970). Com a morte de Nasser em 1970, tornou-se presidente do país.

Sadat achava que o apoio soviético recebido desde os anos da presidência de Nasser havia sido insuficiente para a luta contra Israel. Por esse motivo, ele iniciou uma reorientação da política externa egípcia em uma direção pró-ocidental. Em 1972, expulsou milhares de técnicos e consultores soviéticos.

Em outubro de 1973, Sadat, junto ao governo sírio, lançou um ataque contra Israel, que, após a Guerra dos Seis Dias de 1967, havia tomado territórios que antes pertenciam aos países árabes, como a península do Sinai do Egito. Embora no final desse conflito, conhecido como Guerra do Yom Kippur, Israel tenha recuperado os territórios inicialmente perdidos para o Egito e para a Síria, Sadat ganhou grande prestígio no mundo árabe por seu confronto com Israel.

Simultaneamente, os países produtores de petróleo da OPEP (Organização dos Países Exportadores de Petróleo) concordaram com um aumento no preço do petróleo em 1973 em retaliação ao apoio das potências ocidentais a Israel, o que desencadeou uma profunda crise financeira na economia capitalista ocidental.

Após a Guerra do Yom Kippur, Sadat restabeleceu relações diplomáticas com o governo dos Estados Unidos em 7 de novembro de 1973 e se comprometeu com a política de “pequenos passos” defendida pelo secretário de Estado dos Estados Unidos, Henry Kissinger, que consistia em estabelecer contatos diplomáticos com o país inimigo para superar gradualmente as diferenças mútuas.

Em novembro de 1977, Sadat fez uma visita histórica a Israel e defendeu seu plano de paz perante o Knesset (o parlamento israelense). O presidente dos Estados Unidos, Jimmy Carter, mediou as negociações que culminaram na assinatura, ao lado do primeiro-ministro israelense Menachem Beguin, dos Acordos de Camp David em 17 de setembro de 1978. Em 26 de março de 1979, foi assinado em Washington o Tratado de Paz entre o Egito e Israel, sendo este o primeiro tratado assinado entre o Estado de Israel e uma nação árabe.

Com esse tratado, o Egito recuperou a península do Sinai e recebeu ajuda econômica dos Estados Unidos. No entanto, o governo egípcio foi condenado e boicotado por outros Estados árabes e Sadat enfrentou forte oposição interna.

Finalmente, durante um desfile militar em comemoração à Guerra do Yom Kippur, em 6 de outubro de 1981, Sadat foi assassinado pelo grupo Jihad Islâmica Egípcia.

Jimmy Carter (1924–)

A mediação de Jimmy Carter levou à assinatura dos Acordos de Camp David.

Jimmy Carter foi um político americano, membro do Partido Democrata, que foi senador de 1963 a 1967 e governador da Geórgia de 1971 a 1975. Na eleição presidencial de 1976, venceu o presidente republicano Gerald Ford, que havia substituído Richard Nixon após o escândalo de Watergate. Foi presidente dos Estados Unidos de 1977 a 1981.

A política externa de Carter proclamava a defesa dos direitos humanos como seu principal objetivo. No entanto, as necessidades de políticas de poder contradiziam esse objetivo. Essa contradição se refletiu em sua nomeação de Cyrus Vance, um liberal, como secretário de Estado, e Zbigniew Brzezinski, um emigrado anticomunista de linha dura da Polônia, como assessor de segurança nacional.

Carter conseguiu que o Congresso aprovasse o acordo de retirada dos Estados Unidos da Zona do canal do Panamá em 1978 e, em 1979, estabeleceu relações diplomáticas com a República Popular da China.

Na América Latina, ele obteve apenas resultados medíocres em sua política de promoção dos direitos humanos. Seu grande sucesso foi a mediação da assinatura dos Acordos de Camp David entre o presidente egípcio Anwar Sadat e o primeiro-ministro israelense Menachem Beguin em 1978, seguido pelo Tratado de Paz entre o Egito e Israel em 1979.

Os problemas da presidência de Carter surgiram no mesmo ano com a Revolução Islâmica no Irã, a invasão à embaixada dos Estados Unidos em Teerã e a tomada de reféns. Para libertá-los, o exército dos Estados Unidos organizou um plano de resgate arriscado que acabou sendo um grande fracasso em abril de 1980.

Apesar de assinar acordos de redução de armamentos SALT II com a União Soviética, Carter aumentou os gastos militares e promoveu a implantação na Europa Ocidental dos chamados “euromísseis(mísseis Pershing e Cruise norte-americanos) em resposta aos mísseis SS-20 soviéticos implantados na Europa Oriental.

A invasão soviética do Afeganistão, em dezembro de 1979, levou Carter a decretar um embargo às exportações de grãos para a União Soviética, a incentivar um boicote aos Jogos Olímpicos de 1980 em Moscou e a enunciar a chamada “Doutrina Carter”, por meio da qual o presidente prometeu uma reação militar dos Estados Unidos em caso de agressão no golfo Pérsico, onde ele tinha interesse em ter acesso ao petróleo.

No entanto, a crise dos reféns no Irã enfraqueceu muito a posição de Carter e, na eleição de 1980, ele foi derrotado pelo candidato republicano Ronald Reagan. Em 2002, Jimmy Carter recebeu o Prêmio Nobel da Paz.

Menachem Beguin (1913–1992)

Menachem Beguin assinou a paz com o Egito, mas manteve relações hostis com outros países árabes.

Menachem Beguin nasceu em Brest-Litovsk, na época no Império Russo, em 1913. Sionista desde a juventude (ou seja, um defensor da criação de um Estado judeu), uniu-se ao movimento juvenil Betar, de extrema direita. Em 1938, tornou-se o líder dessa organização e se dedicou ao treinamento militar de seus membros.

Com o início da Segunda Guerra Mundial, em 1939, fugiu para Vilnius (na atual Lituânia), foi preso em 1940 pela NKVD (polícia secreta soviética) e condenado a oito anos em um campo de trabalho na Sibéria. Entretanto, foi libertado em 1941, juntou-se ao Exército da Polônia Oriental e viajou para a Palestina em 1942.

Ali, tornou-se líder do Irgun, uma organização paramilitar sionista. Entre 1943 e 1948, Beguin liderou a organização e ordenou muitas de suas ações, como o bombardeio do Hotel King David em Jerusalém em 1946 e o massacre da aldeia árabe palestina de Deir Yassin em 1948.

O radicalismo de Beguin o colocou em conflito com o principal líder sionista, David Ben-Gurion, o que causou uma ruptura político-ideológica e um rancor pessoal entre os dois líderes que durou muitos anos. Após o estabelecimento do Estado de Israel em 1948, as forças do Irgun foram incorporadas ao exército israelense.

Beguin entrou em ação política com a fundação do partido Herut (Liberdade), liderando a oposição conservadora à hegemonia do Partido Trabalhista, que governou o Estado de Israel nas três primeiras décadas. Em 1965, Beguin fundiu seu partido Herut com o Partido Liberal, uma fusão que serviu de base para o futuro partido Likud.

Nas eleições de 1977, o partido Likud de Beguin conquistou 43 cadeiras no Knesset (parlamento de Israel), em comparação com 32 do Partido Trabalhista. Beguin foi primeiro-ministro por seis anos e meio, de junho de 1977 a outubro de 1983.

Após trinta anos de governo trabalhista, seu partido também buscou, embora com pouco sucesso, diminuir a centralização e liberalizar a economia. Além disso, intensificou a campanha nacional pelo direito dos judeus soviéticos de serem repatriados a Israel e deu as ordens para a evacuação da comunidade judaica da Etiópia, o que ocorreu apenas alguns anos depois.

A principal conquista de Beguin foi a assinatura do Tratado de Paz entre o Egito e Israel, mediado pelo presidente dos Estados Unidos, Jimmy Carter. Em novembro de 1977, cinco meses após Beguin assumir o cargo de primeiro-ministro, o presidente egípcio Anwar Sadat visitou Jerusalém.

Essa visita deu início a dois anos de negociações que culminaram nos Acordos de Camp David em 1978, que decidiram a retirada israelense do Sinai e o estabelecimento da autonomia palestina em troca do reconhecimento egípcio do Estado de Israel e do início de relações normais com o Egito.

O primeiro-ministro Beguin e o presidente Sadat receberam o Prêmio Nobel da Paz em 1978 e, em 26 de março de 1979, foi assinado o Tratado de Paz entre o Egito e Israel.

Entretanto, Beguin adotou uma política enérgica em relação aos outros inimigos de Israel. Em 1981, ordenou o bombardeio do reator nuclear de Osirak, perto de Bagdá, no Iraque, e proclamou a anexação das colinas sírias de Golã.

Além disso, decidiu realizar duas operações militares no Líbano: a Operação Litani, em 1978, e a Operação Paz para a Galileia, em 1982. Ambas as operações tinham o objetivo de desalojar a OLP (Organização para a Libertação da Palestina) do sul do Líbano. A segunda operação provocou a Guerra do Líbano (1982–1985) e desencadeou uma ampla condenação internacional da política israelense.

Problemas de saúde, a morte de sua esposa e as complicações internacionais desencadeadas por sua intervenção no Líbano levaram Menachem Beguin a renunciar ao cargo em outubro de 1983. Faleceu em março de 1992, aos 78 anos de idade.

O Tratado de Paz entre Israel e o Egito

O Tratado de Paz entre o Egito e Israel foi assinado em Washington em 26 de março de 1979. Seus signatários foram o presidente da República Árabe do Egito (Anwar Sadat), o primeiro-ministro do Estado de Israel (Menachem Beguin) e o presidente dos Estados Unidos (Jimmy Carter).

O tratado foi o resultado de longas negociações que haviam começado anos antes. Em 1978, os líderes dos países envolvidos assinaram os Acordos de Camp David, nos quais se comprometeram a negociar um tratado de paz como o que finalmente foi assinado em 1979.

Referências

  • Britannica, Encyclopaedia (2023). Anwar Sadat. Encyclopedia Britannica. https://www.britannica.com/
  • Britannica, Encyclopaedia (2023). Jimmy Carter. Encyclopedia Britannica. https://www.britannica.com/ 
  • Britannica, Encyclopaedia (2023). Menachem Begin. Encyclopedia Britannica. https://www.britannica.com/ 
  • Derghougassian, K. (2017). Todo lo que necesitás saber sobre el conflicto en Medio Oriente. Paidós.
  • Tratado de paz entre Egipto e Israel, 26 de marzo de 1979, en: UN Peacemaker. https://peacemaker.un.org/ 
  • Wright, L. (2014). Thirteen Days in September: Carter, Begin, and Sadat at Camp David. Knopf.

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

GAYUBAS, Augusto. Tratado de Paz entre o Egito e Israel (1979). Enciclopedia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/tratado-de-paz-entre-o-egito-e-israel-1979/. Acesso em: 27 fevereiro, 2024.

Sobre o autor

Autor: Augusto Gayubas

Doutor em História (Universidad de Buenos Aires)

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur)

Data da última edição: 19 fevereiro, 2024
Data de publicação: 23 novembro, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)