Conferência de Paris (1919)

Vamos explicar o que foi a Conferência de Paz de Paris de 1919 e quais tratados de paz foram assinados após a Primeira Guerra Mundial.

As negociações da Conferência de Paris foram lideradas pela França, Reino Unido, Estados Unidos e Itália.

O que foi a Conferência de Paz de Paris?

A Conferência de Paz de Paris foi um encontro entre os governantes dos países aliados que venceram a Primeira Guerra Mundial (1914–1918). Ocorreu na capital francesa com o objetivo de negociar as condições para a elaboração de tratados de paz com as nações derrotadas. As autoridades das nações derrotadas foram excluídas das negociações.

A conferência foi aberta em 18 de janeiro de 1919 e dominada por quatro personalidades:

  • Georges Clemenceau, presidente do Conselho de Ministros da França.
  • David Lloyd George, primeiro-ministro do Reino Unido.
  • Woodrow Wilson, presidente dos Estados Unidos.
  • Vittorio Emanuele Orlando, presidente do Conselho de Ministros da Itália.

O resultado da Conferência de Paz de Paris foi a assinatura dos Tratados de Versalhes (com a Alemanha), Saint-Germain (com a Áustria), Neuilly (com a Bulgária), Trianon (com a Hungria) e Sèvres (com a Turquia), este último substituído pelo Tratado de Lausanne em 1923. Também deu origem à Liga das Nações. A Conferência de Paz de Paris terminou em janeiro de 1920.

Perguntas frequentes

Quem se reuniu na Conferência de Paris em 1919?

A Conferência de Paz de Paris reuniu representantes dos países da Entente, o bloco que venceu a Primeira Guerra Mundial (1914–1918) contra os Impérios Centrais. Seus principais protagonistas foram David Lloyd George (Reino Unido), Georges Clemenceau (França), Woodrow Wilson (Estados Unidos) e Vittorio Emanuele Orlando (Itália).

Quando a Conferência de Paris começou?

A Conferência de Paz de Paris teve início em 18 de janeiro de 1919, dois meses após a assinatura do armistício com a Alemanha que encerrou a Primeira Guerra Mundial.

Qual era o objetivo da Conferência de Paris?

Na Conferência de Paris, foram negociados os termos da paz pós-guerra. No dia 28 de junho de 1919, o Tratado de Versalhes foi assinado com a Alemanha e, nos meses seguintes, foram assinados tratados de paz com os outros países derrotados.

Quais foram os acordos assinados na Conferência de Paris?

Na Conferência de Paz de Paris, foram assinados tratados de paz com as nações derrotadas e foi acordado o Pacto da Liga das Nações, que deu origem à Liga das Nações. Essa organização internacional foi a precursora da Organização das Nações Unidas (ONU), que surgiu após a Segunda Guerra Mundial.

O contexto histórico

A Primeira Guerra Mundial terminou quando a Alemanha assinou o armistício em 11 de novembro de 1918. Entretanto, os termos da paz deveriam ser negociados em uma conferência realizada pelos países da Entente. A decisão dos vencedores (liderados pela França, Reino Unido, Itália e Estados Unidos) foi excluir os representantes dos países derrotados (Áustria, Alemanha, Hungria, Bulgária e Turquia) das negociações. O governo francês insistiu para que Paris sediasse a conferência de paz.

O presidente dos Estados Unidos, Woodrow Wilson, chegou em dezembro de 1918 com o restante da delegação norte-americana. Contudo, a conferência começou somente no dia 18 de janeiro de 1919, devido a um atraso do primeiro-ministro britânico David Lloyd George.

Antes do início formal da conferência, os líderes e os ministros das Relações Exteriores da França, do Reino Unido, dos Estados Unidos e da Itália realizaram reuniões preliminares em que decidiram que se concentrariam na tomada de decisões.

Os tratados de paz na Conferência de Paris

Além dos tratados de paz, o Pacto da Liga das Nações foi assinado na Conferência de Paris.

No total, 32 países participaram da Conferência de Paz de Paris, embora os “quatro grandes” tenham ocupado a liderança: Woodrow Wilson, Georges Clemenceau, David Lloyd George e Vittorio Emanuele Orlando. Os derrotados não puderam participar das negociações e simplesmente receberam os tratados para assinar.

Após longas discussões entre os vencedores, os cinco tratados que compunham a “Paz de Paris” foram finalmente assinados:

  • Tratado de Versalhes com a Alemanha (28 de junho de 1919).
  • Tratado de Saint-Germain com a Áustria (10 de setembro de 1919).
  • Tratado de Neuilly com a Bulgária (27 de novembro de 1919).
  • Tratado de Trianon com a Hungria (4 de junho de 1920).
  • Tratado de Sèvres com a Turquia (10 de agosto de 1920). Essa paz foi rejeitada pelo regime nacionalista turco que, após sua guerra vitoriosa contra os gregos, assinou posteriormente o Tratado de Lausanne (24 de julho de 1923).

Antes da assinatura dos tratados, o Pacto da Liga das Nações havia sido adotado na Conferência de Paris, com base na proposta de Wilson de criar uma associação internacional que garantisse a paz e a segurança dos países-membros.

Esse pacto foi anexado a cada um dos tratados assinados, e a Liga das Nações começou a funcionar em janeiro de 1920. Contudo, os Estados Unidos nunca aderiram devido à recusa dos representantes do Partido Republicano no Senado dos Estados Unidos.

A Conferência de Paz de Paris terminou em janeiro de 1920, embora alguns dos tratados tenham sido assinados posteriormente.

Referências

  • Britannica, Encyclopaedia (2023). Paris Peace Conference. Encyclopedia Britannica. https://www.britannica.com/
  • Britannica, Encyclopaedia (2022). Treaty of Versailles. Encyclopedia Britannica. https://www.britannica.com/ 
  • Cabrera, M., Juliá, S. & Martín Aceña, P. (comps.) (1991). Europa en crisis. 1919-1939. Editorial Pablo Iglesias.
  • Sevillano Calero, F. (2020). La Europa de entreguerras. El orden trastocado. Síntesis.
  • MacMillan, M. (2017). París, 1919. Seis meses que cambiaron el mundo. Tusquets.

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

GAYUBAS, Augusto. Conferência de Paris (1919). Enciclopédia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/conferencia-de-paris-1919/. Acesso em: 27 maio, 2024.

Sobre o autor

Autor: Augusto Gayubas

Doutor em História (Universidad de Buenos Aires)

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur)

Data da última edição: 25 fevereiro, 2024
Data de publicação: 2 outubro, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)