Números e estatísticas da Primeira Guerra Mundial

Vamos explicar quantas pessoas lutaram e quantas morreram na Primeira Guerra Mundial. Além disso, os custos econômicos e a incorporação das mulheres no trabalho.

Devido à mobilização de milhões de homens, o uso industrial de mão de obra feminina cresceu.

O que foi a Primeira Guerra Mundial?

A Primeira Guerra Mundial foi um conflito militar que opôs os Impérios Centrais (Alemanha, Áustria-Hungria, Turquia e Bulgária) à Entente ou aos Aliados (liderados pelo Reino Unido, França, Rússia, Itália e Estados Unidos). Começou no final de julho de 1914 e terminou em novembro de 1918 com a vitória da Entente.

A Primeira Guerra Mundial mobilizou uma enorme quantidade de tropas e teve um custo humano sem precedentes: provocou a morte de quase nove milhões de combatentes e sete milhões de civis. Além disso, deixou 20 milhões de feridos e mutilados.

O esforço militar também implicou um grande custo econômico, e a destruição de áreas em países como a França e a Bélgica levou à demanda de muitos recursos para sua reconstrução durante o pós-guerra.

O custo humano da Primeira Guerra Mundial

As perdas humanas durante os quatro anos que durou a Primeira Guerra Mundial atingiram um número que só foi superado pela Segunda Guerra Mundial (1939–1945). Milhões de homens foram mobilizados desde o primeiro ano do conflito e, à medida que avançava a guerra e se produziam grandes baixas, o número cresceu.

Os países mais mobilizados durante a guerra foram a Rússia (12 milhões), a Alemanha (11 milhões), o Reino Unido (quase 9 milhões) e a França (pouco mais de 8 milhões). O número total entre a Entente e os Impérios Centrais foi de sessenta e cinco milhões de pessoas mobilizadas.

Soldados militares 1914–1918
Países da EntenteSoldados dos Exércitos e da Reserva (1914)Forças mobilizadas 1914-1918
Rússia5 971 00012 000 000
França4 017 0008 410 000
Grã- Bretanha975 0008 904 467
Itália1 251 0005 615 000
Estados Unidos200 0004 355 000
Japão800 000800 000
Romênia290 000750 000
Sérvia200 000707 343
Bélgica117 000267 000
Grécia230 000230 000
Portugal40 000100 000
Montenegro50 00050 000
Países dos Impérios CentraisSoldados dos Exércitos e da Reserva (1914)Forças mobilizadas 1914–1918
Alemanha4 500 000110 00 000
Áustria-Hungria3 000 0007 800 000
Turquia210 0002 850 000
Bulgária280 0001 200 000

O total de mortos foi de quase nove milhões de combatentes e de sete milhões de civis, aos quais se juntaram 20 milhões de feridos e mutilados e uma queda significativa da taxa de natalidade. Os principais países atingidos pelas mortes durante a guerra foram a Rússia, a França, a Alemanha e a Áustria-Hungria.

O custo econômico da Primeira Guerra Mundial

O custo econômico da Primeira Guerra Mundial também foi muito elevado. Para fazer face à mobilização e ao abastecimento de tropas, bem como à produção de armamento e de outros bens para a guerra, foi preciso consumir enormes recursos.

O gasto militar total do período que durou a guerra, calculado em dólares de 1913, deu a soma aproximada de 82 400 milhões de dólares, dos quais 57 700 milhões corresponderam à Entente e 24.700 milhões aos Impérios Centrais.

Um cálculo alternativo, baseado em dólares a preços de hoje, dá a cifra de 208 500 milhões de dólares totais (147 000 milhões da Entente e 61 500 milhões dos Impérios Centrais).

O custo econômico da Primeira Guerra Mundial
PaísesGastos em milhões de dólares (com preço de 1913)  
Entente57.7
Imperio britânico23.0
Estados Unidos17.1
França9.3
Rússia5.4
Itália3.2
Outros aliados (cujos gastos foram compensados por empréstimos)-0.3
Impérios Centrais24.7
Alemanha19.9
Áustria-Hungria4.7
Turquia e Bulgária0.1
Fonte: Kennedy, P. M. (1987). The Rise and Fall of the Great Powers. Random House.

A composição dos gastos de cada lado revela que a maior parte do custo dos Impérios Centrais foi gasto pela Alemanha e, do lado da Entente, pelo Reino Unido e pelos Estados Unidos. Por outro parte, no final da guerra, a França e a Bélgica foram particularmente afetadas pela destruição de grande parte do seu território.

A indústria antes e depois da Primeira Guerra Mundial

A Primeira Guerra Mundial explodiu em um momento de inovações técnicas e expansão econômica que foi o resultado da Segunda Revolução Industrial. Isto levou à utilização de novas tecnologias na guerra e à orientação da maior parte dos recursos econômicos e humanos para a atividade militar.

Após uma interrupção do crescimento econômico e demográfico durante a guerra, nos anos vinte começou uma recuperação da economia das potências (que por sua vez parou quando começou a Grande Depressão dos anos trinta). Os Estados Unidos se consolidaram como uma potência industrial que superou o Reino Unido e Nova York e passou a ser a nova capital financeira do mundo.

Níveis de industrialização per cápita 1880–1938 (relativos ao Reino Unido em 1900=100)
 Países18801900191319281938
Reino Unido87100115122157
Estados Unidos3869126182167
França2839598273
Alemanha255285128144
Itália1217264461
Áustria-Hungria152332--
Rússia1015202038
Japão912203051
Fonte: Kennedy, P. M. (1987). The Rise and Fall of the Great Powers. Random House.
Participação em porcentagem das grandes potências na produção industrial mundial
1880–1938
Países18801900191319281938
Reino Unido22,918,513,69,910,7
Estados Unidos14,723,632,039,331,4
Alemanha8,513,214,811,612,7
França7,86,86,16,04,4
Rússia7,68,88,25,39,0
Áustria-Hungria4,44,74,4--
Itália2,52,52,42,72,8
Fonte: Kennedy, P. M. (1987). The Rise and Fall of the Great Powers. Random House.
Potencial industrial total das potências em perspectiva relativa 1880-1938
(relativo ao Reino Unido em 1900=100)
 Países18801900191319281938
Reino Unido73,3100127,2135181
Estados Unidos46,9127,8298,1533528
Alemanha27,471,2137,7158214
França25,136,857,38274
Rússia24,547,576,672152
Áustria-Hungria1425,640,7--
Itália8,113,622,53746
Japão7,61325,14588
Fuente: Kennedy, P. M. (1987). The Rise and Fall of the Great Powers. Random House.

A incorporação da mulher no trabalho

O envio de milhões de homens para o confronto direto da guerra aumentou a participação das mulheres trabalhando na indústria (incluindo as fábricas de munições) e em outras áreas, especialmente em países como o Reino Unido e a França, embora muitas mulheres também participaram diretamente, principalmente como enfermeiras.

A importância da contribuição feminina durante a guerra ajudou as mulheres a adquirir direitos que eram reclamados desde anos anteriores, como o sufrágio feminino (reconhecido em 1918 no Reino Unido às mulheres com mais de 30 anos em determinadas condições e, a partir de 1928, em igualdade de condições com os homens).

A incorporação da mulher ao trabalho no Reino Unido
Porcentagem de mulheres em relação aos homens empregadosIndústria %Transporte %Agricultura %Comércio %Total Trabalhadoras %
Julho 191426292724
Julho 19183512145337
Julho 1920274104028

Continue com:

Referências

  • Aldcroft, D. H. (2003). Historia de la economía europea 1914-2000. Crítica.
  • Kennedy, P. M. (1987). The Rise and Fall of the Great Powers. Random House.
  • Showalter, D. E. & Royde-Smith, J. G. (2023). World War I. Encyclopedia Britannica. https://www.britannica.com/ 
  • Stone, N. (2013). Breve historia de la Primera Guerra Mundial. Ariel.
  • U-boat War in World War One. Uboat.net. https://uboat.net/ 

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

GAYUBAS, Augusto. Números e estatísticas da Primeira Guerra Mundial. Enciclopedia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/numeros-e-estatisticas-da-primeira-guerra-mundial/. Acesso em: 22 abril, 2024.

Sobre o autor

Autor: Augusto Gayubas

Doutor em História (Universidad de Buenos Aires)

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 1 dezembro, 2023
Data de publicação: 21 novembro, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)