Ronald Reagan

Vamos explicar quem foi Ronald Reagan e como passou de ator a presidente dos Estados Unidos. Além disso, a sua política econômica e a sua relação com a União Soviética.

Quando chegou à presidência, Reagan aumentou os gastos militares e reduziu os gastos sociais.

Quem foi Ronald Reagan?

Ronald Reagan foi um ator de cinema e político americano que exerceu como presidente dos Estados Unidos entre 1981 e 1989. Anteriormente, foi governador da Califórnia (1967–1975) e presidente do Sindicato dos Atores de Cinema (1947–1952 e 1959–1960).

Reagan representava a ala mais conservadora do Partido Republicano e era um fervoroso anticomunista. Inicialmente, mostrou-se contrário à distensão nas relações com a União Soviética (URSS): promoveu um grande rearmamento e ordenou a intervenção ou ajuda militar contra regimes comunistas no Terceiro Mundo.

Durante o seu segundo mandato, o declínio econômico da União Soviética e a ascensão do líder reformista Mikhail Gorbachev levaram-no a adotar uma política pragmática: encorajou uma aproximação ao governo soviético e assinou um importante tratado para a redução de armas nucleares em 1987.

Na política interna, Reagan se opôs à intervenção do Estado na economia e, apesar de ter aumentado os gastos militares, reduziu os gastos sociais, o que costuma ser associado às ideias do neoliberalismo. Apesar do caso Irã-Contras de 1986, Reagan manteve altos níveis de popularidade, especialmente após a recuperação econômica que ocorreu depois da recessão de seus primeiros anos de governo.

Seu mandato terminou em janeiro de 1989. Morreu em 5 de junho de 2004, com 93 anos de idade.

Vida pessoal de Ronald Reagan

Ronald Reagan nasceu em Tampico, no estado de Illinois, em 6 de fevereiro de 1911. Era o segundo filho do casamento entre John Edward Reagan (apelidado de Jack), um vendedor com problemas econômicos que sofria alcoolismo, e Nelle Clyde Wilson, muito ativa na Igreja dos Discípulos de Cristo.

A família se mudou várias vezes até se instalar em Dixon, Illinois, em 1920. Ronald Reagan se formou em economia e sociologia no Eureka College em 1932 e começou a trabalhar em uma rádio de Iowa como locutor esportivo. Em 1936 viajou para a Califórnia e em 1937 começou a trabalhar como ator para a Warner Brothers, em Hollywood. Filmou mais de 50 filmes, durante 27 anos.

Em 1940 se casou com a coprotagonista de um dos seus filmes, Jane Wyman, com quem teve uma filha biológica, Maureen, e um filho adotivo, Michael. Divorciaram-se em 1948 e Reagan se casou novamente, desta vez com Nancy Davis em 1952, com quem teve dois filhos: Patrícia (conhecida por Patti) e Ronald (também conhecido por Ron).

Em 1937, Reagan se alistou como reservista do Exército dos Estados Unidos e, quando estourou a Segunda Guerra Mundial (1939–1945), foi atribuída a elaboração de filmes para o treinamento de tropas.

O início de Ronald Reagan na política

Antes de se tornar presidente, Reagan foi governador da Califórnia.

Após a Segunda Guerra Mundial, Ronald Reagan foi presidente do Sindicato de Atores de Cinema (1947–1952 e 1959–1960) e participou das purgas anticomunistas promovidas pelo Comitê de Atividades Antiamericanas na época do macartismo. Apesar de pertencer ao Partido Democrata, as suas opiniões cada vez mais conservadoras, levaram-no a aderir ao Partido Republicano em 1962.

O talento de Reagan como comunicador lhe permitiu ser eleito governador da Califórnia em duas ocasiões consecutivas, em 1966 e 1970, desempenhando o cargo durante oito anos, entre 1967 e 1975. Logo, candidatou-se a presidente do Partido Republicano nas eleições de 1980 e derrotou o candidato democrata Jimmy Carter, que perdeu a reeleição.

Nas eleições de 1984, Reagan voltou a se impor e governou até 1989. Em 1981 sofreu um atentado contra sua vida, mas se recuperou rapidamente.

Os primeiros anos da presidência de Ronald Reagan

Em um discurso de 1983, Reagan definiu a União Soviética como o “império do mal”.

Reagan foi eleito presidente após a Revolução Islâmica do Irã e a invasão soviética do Afeganistão (1979), no momento em que a distensão da Guerra Fria viveu seus últimos momentos. Antes de sua eleição, Reagan se manifestou como um inimigo da distensão e da assinatura dos tratados de SALT II com a União Soviética (que Jimmy Carter acordou junto ao líder soviético Leonid Brejnev em 1979). Na sua opinião, isso favorecia a União Soviética à custa do poder americano.

Durante seu primeiro mandato (1981–1984), Reagan lançou o maior programa de rearmamento em um período de paz da história dos Estados Unidos. Um elemento-chave deste programa foi a Iniciativa de Defesa Estratégica (IDE), popularmente conhecida como a “Guerra das Estrelas”.

Reagan chamou a União Soviética de “império do mal” em 1983 e lançou o que se denominou a Doutrina Reagan: uma política de intervenções militares para derrubar regimes marxistas no Terceiro Mundo. Exemplos desta doutrina foram a invasão norte-americana de Granada (no mar do Caribe) em 1983 e o apoio militar e econômico aos Contras da Nicarágua (que combatiam o governo da Frente Sandinista de Libertação Nacional) e aos Insurgentes Islâmicos do Afeganistão (que lutavam contra a invasão soviética).

Na política interna, Reagan aumentou os gastos militares, mas reduziu gastos sociais em educação, saúde e assistência econômica. Durante os primeiros anos de seu governo, ocorreu uma recessão que gerou um aumento do desemprego, mas a partir de 1983 a economia se recuperou e o desemprego diminuiu.

Ao contrário da intervenção estatal na economia, Reagan cortou o orçamento de vários departamentos do governo e reduziu a legislação nos setores de poupança e empréstimo, o que provocou uma série de falências e levou ao resgate por parte do governo federal.

Os últimos anos da presidência de Ronald Reagan

Em 1987, Reagan e o líder soviético Mikhail Gorbachev assinaram o Tratado INF sobre armas.

A chegada ao poder de Mikhail Gorbachev na União Soviética em 1985 e a sua política de reformas conhecida como perestroika permitiram a Reagan, durante o seu segundo mandato (1985–1989), dar uma importante reviravolta à sua política externa. De uma posição mais forte que a do líder soviético, que governava em um contexto de dificuldades econômicas, Reagan optou por uma política pragmática e esqueceu sua retórica anticomunista.

Entre 1985 e 1988, Reagan se encontrou quatro vezes com o líder soviético e o principal fruto disso foi a assinatura, em dezembro de 1987, do Tratado sobre as Forças Nucleares de Nível Intermediário (INF, Intermediate-Range Nuclear Forces Treaty). Pela primeira vez, foi alcançado um tratado que realmente reduzia os arsenais nucleares das superpotências.

Apesar da eclosão do caso Irã-Contras em 1986, revelando que o governo norte-americano havia prestado ajuda clandestina aos Contras da Nicarágua com fundos obtidos da venda ilegal de armas ao Irã, Reagan terminou o seu segundo mandato com um alto nível de popularidade.

Nas eleições de 1988, Reagan apoiou a candidatura de seu vice-presidente, o republicano George H. W. Bush, que se tornou o próximo presidente dos Estados Unidos. Em 1990, Reagan publicou a autobiografia e, em 1994, informou publicamente que sofria da doença de Alzheimer. Morreu de pneumonia em sua casa em Los Angeles, em 5 de junho de 2004. Entre as personalidades que assistiram ao seu funeral estava Mikhail Gorbachev.

Continue com:

Referências

  • Britannica, Encyclopaedia (2023). Ronald Reagan. Encyclopedia Britannica. https://www.britannica.com/ 
  • Byrne, D. T. (2018). Ronald Reagan: An Intellectual Biography. Potomac Books.
  • Jenkins, P. (2019). Breve historia de Estados Unidos. 5ta. edición. Alianza.
  • Veiga, F., Da Cal, E. & Duarte, A. (2006). La paz simulada. Una historia de la Guerra Fría. Alianza.

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

GAYUBAS, Augusto. Ronald Reagan. Enciclopedia Humanidades, 2024. Disponível em: https://humanidades.com/br/ronald-reagan/. Acesso em: 19 abril, 2024.

Sobre o autor

Autor: Augusto Gayubas

Doutor em História (Universidad de Buenos Aires)

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 1 março, 2024
Data de publicação: 19 fevereiro, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)