Mikhail Gorbachev

Vamos explicar quem foi Mikhail Gorbachev e como se tornou líder da União Soviética. Além disso, como foi seu governo e suas principais reformas.

Mikhail Gorbachev liderou a União Soviética entre 1985 e 1991.

Quem foi Mikhail Gorbachev?

Mikhail Gorbachev (1931–2022) foi um líder político russo que governou a União Soviética de 1985 até a sua dissolução em 1991.

Ao assumir a liderança do governo, comandou diversas iniciativas de reforma, com o objetivo de democratizar a política estatal soviética e incorporar elementos de mercado na economia nacional para melhorar a qualidade de vida da população. Em 1990, recebeu o Prêmio Nobel da Paz por suas conquistas na melhoria das relações Leste-Oeste no marco da Guerra Fria.

Integrou-se desde jovem ao Partido Comunista da União Soviética (PCUS), e cresceu politicamente ao longo de sua vida exercendo diferentes funções dentro do partido e do governo. Ao assumir a liderança da URSS, buscou implementar reformas estruturais de política interna. No entanto, o PCUS foi profundamente enfraquecido por disputas internas.

Além disso, o contexto internacional no seio do bloco de leste e a situação das diferentes repúblicas soviéticas levaram a uma crise do conjunto da União Soviética que acabou por conduzir a sua dissolução. Nos seus últimos meses de governo, deu cada vez mais autonomia às diferentes repúblicas da URSS e procurou limitar o poder do PCUS.

O final do seu governo coincidiu com a dissolução formal da União Soviética e a criação dos diferentes países autônomos das repúblicas que a constituíam. Neste contexto, há também o final da longa Guerra Fria entre o Bloco ocidental e o Bloco oriental.

Vida pessoal de Mikhail Gorvachev

Mikhail Gorbachev nasceu em Privolni, um povoado no sul da União Soviética, em 2 de março de 1931. Esse povoado se encontrava em uma zona rural que durante a década de 1930 atravessou o “processo de coletivização da terra”, (uma reforma sobre o sistema de propriedade e produção agrícola).

Era uma região economicamente pobre e com frequentes falta de comida. Quando Gorbachev era criança, vários membros de sua família foram mortos durante os “expurgos stalinistas” (uma iniciativa de Iósif Stalin, que liderava a União Soviética na época, para eliminar a oposição).

Em 1952, mudou-se para Moscou com o objetivo de se integrar na política e ascender no partido. Ao mesmo tempo que começou seus estudos de advocacia na Universidade de Moscou, ingressou no Komsomol, a principal associação de jovens comunistas.

Entrou para o PCUS assim que completou a idade mínima exigida. Terminou seus estudos em 1955 e desde então dedicou-se a tarefas políticas dentro do partido.

Vida política de Mikhail Gorbachev

Ascenso dentro do PCUS

Entre 1955 e 1970, Gorbachev assumiu diferentes cargos dentro da organização do PCUS na cidade de Stavropol. Em 1971, foi nomeado membro de pleno direito do Comitê Central e, em 1978, tornou-se membro da secretaria de agricultura do partido. Em 1980, tornou-se membro integral do Politburo (o mais alto órgão de governo e direção do PCUS).

Durante os anos seguintes, a influência de Gorbachev na alta liderança do PCUS cresceu paralelamente à crise política na União Soviética. Com a morte de Leonid Brejnev em 1982, o governo da URSS ficou nas mãos de Iúri Andropov primeiro e Konstantin Chernenko depois, ambos líderes com idade, tradicionais e conservadores do partido.

Depois da morte de Chernenko em 1985, a liderança do partido viu a necessidade de que o poder ficasse nas mãos de um homem forte dentro da organização que pudesse empreender as reformas fundamentais para salvar a economia soviética. Em 11 de março, Gorbachev foi eleito secretário-geral do PCUS e, como tal, assumiu o governo da União Soviética. 

Liderança da União Soviética

Gorbachev propôs o fim da Guerra Fria e procurou normalizar as relações com os Estados Unidos.

Ao assumir o governo da União Soviética, Gorbachev lançou diferentes iniciativas de modernização da economia e da sociedade através de uma série de reformas conhecidas como perestroika (“reestruturação”) e glasnost (“transparência”).

Gorbachev considerava que alguns elementos de mercado deveriam ser gradualmente incorporados na economia soviética e, ao mesmo tempo, integrar a economia soviética na economia internacional. Para isso, introduziu certa liberalização interna e autonomia no manejo das empresas privadas locais.

Considerava também fundamental desmantelar os elementos ditatoriais do Estado soviético e incorporar uma maior participação popular na tomada de decisões. Ao mesmo tempo, procurou reduzir os gastos do aparelho estatal e, para isso, a URSS devia limitar seus compromissos internacionais e os crescentes gastos militares (especialmente altos devido à Guerra do Afeganistão).

Neste contexto, Gorbachev propôs pôr fim ao longo conflito entre Leste e Oeste que se tinha desenvolvido durante a Guerra Fria e procurou normalizar as relações com os Estados Unidos.

No seu primeiro encontro em Genebra, Ronald Reagan (o presidente dos Estados Unidos) e Gorbachev acordaram importantes medidas de desarmamento para as duas potências. Em seguida, em 28 de novembro de 1987, assinaram em Washington o Tratado de Forças Nucleares de Alcance Intermediário (Intermediate-Range Nuclear Forces Treaty - INF), pelo qual foi acordada a destruição de todos os mísseis de alcance intermediário enviados para a Europa.

Finalmente, com o Presidente George Bush, Gorbachev assinou o Tratado START, que pretendia reduzir entre 25% e 30% as armas nucleares estratégicas.

No resto do mundo, Gorbachev dirigiu a sua ação para acabar com os conflitos que surgiram no âmbito da Guerra Fria. Em 1989, garantiu a retirada das tropas soviéticas do Afeganistão. Na África, desvinculou-se da ditadura etíope de Mengistu e encorajou a retirada das tropas cubanas de Angola em 1988. Retirou a ajuda econômica e a presença militar em Cuba, e o apoio aos grupos comunistas da Nicarágua e El Salvador.

A respeito das “democracias populares” do centro e leste da Europa, recusou-se a continuar intervindo de maneira agressiva para manter o poder dos governos comunistas. Perante esta nova atitude do governo soviético, em 1989, desencadeou-se uma série de revoluções que levaram ao colapso do bloco do leste.

Gorbachev não agiu para conter o regime comunista da República Democrática da Alemanha, depois da queda do Muro de Berlim. Pelo contrário, em 1990, aceitou o caráter inevitável da reunificação da Alemanha e da sua adesão à OTAN.

A derrocada das ditaduras comunistas levou à dissolução do COMECON em Junho de 1991 e do Pacto de Varsóvia em 1 de julho do mesmo ano. Devido às suas iniciativas internacionais, Gorbachev era muito popular no ocidente. No entanto, dentro da União Soviética seu governo começou a ser duramente criticado.

Em agosto de 1991, uma facção do ramo mais conservador do partido, junto com o KGB (o serviço de inteligência soviética) e o exército realizaram um golpe de Estado fracassado. Neste contexto, o poder de Gorbachev ficou fortemente debilitado, especialmente diante da figura de Boris Iéltsin, que liderava os grupos mais reformistas dentro do partido.

Durante os meses que se seguiram ao golpe, Gorbachev entregou funções políticas fundamentais do governo da União Soviética às Repúblicas que a constituíam, para lhes conceder maior autonomia. Por sua vez, retirou do controle do partido a liderança da KGB e das forças armadas. Logo, muitas das funções do governo central soviético foram cooptadas pelo governo da República da Rússia. Por fim, em 25 de dezembro de 1991, Gorbachev teve de renunciar às suas funções no mesmo dia em que o governo da União Soviética foi dissolvido.

Últimos anos de Mikhail Gorbachev

Após renunciar ao governo da União Soviética, Gorbachev manteve sua atividade política na Rússia. Continuava crítico do governo de Iéltsin. Em 1996, candidatou-se à presidência, mas não chegou a um número significativo de eleitores. Em seguida, fundou o Partido Social-Democrata da Rússia, do qual se retirou em 2004. Durante a década de 2000, fez parte de diferentes grupos políticos e, desde 2008, integrou o Partido Independente Democrático da Rússia.

Manteve-se também ativo nos meios de comunicação e participou em diferentes grupos internacionais. Criou a Fundação Gorbachev e a Green Cross International, e fez parte do Clube de Roma e do Clube de Paris.

Mikhail Gorbachev morreu por uma doença em 20 de agosto de 2022, em Moscou.

Referências

  • Britannica, The Editors of Encyclopaedia (2023). "Mikhail Gorbachev". Encyclopedia Britannica.
    https://www.britannica.com/
  • Palmowski, J. (2000). "Mikhail Gorbachev". A dictionary of twentieth-century world history. Oxford University Press.
  • Van Dijk, R., Gray, W. G., Savranskaya, S., Suri, J., & Zhai, Q. (Eds.). (2013). “Mikhail Gorbachev”. Encyclopedia of the Cold War. Routledge.

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

KISS, Teresa. Mikhail Gorbachev. Enciclopédia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/mikhail-gorbachev/. Acesso em: 26 maio, 2024.

Sobre o autor

Autor: Teresa Kiss

Professora de História do ensino médio e superior.

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 31 março, 2024
Data de publicação: 28 setembro, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)