América Anglo-Saxônica

Vamos explicar o que é a América Anglo-Saxônica e as suas principais características culturais. Além disso, como é a sua economia, religião e a história desta região.

América anglosajona
O idioma da América Anglo-Saxônica é o inglês, por ter sido uma colônia britânica no passado.

O que é a América Anglo-Saxônica?

A América Anglo-Saxônica é uma região geográfica e cultural situada na parte norte do continente americano, que é o segundo maior continente do mundo, composta por países cujo idioma oficial é o inglês. É formada por somente dois países, os Estados Unidos e o Canadá, e tem uma população total de 370 milhões de habitantes.

Tanto os Estados Unidos quanto o Canadá foram conquistados no final do século XV pela Inglaterra. A conquista inglesa se estendeu por mais de três séculos, até que os Estados Unidos se tornaram independentes em 1778 e o Canadá em 1867.

A Espanha e a França também tiveram colônias nos territórios dos Estados Unidos e do Canadá, de forma que o espanhol é hoje um idioma de grande circulação em várias partes dos Estados Unidos, ao passo que o Canadá tem dois idiomas oficiais: inglês e francês.

A América Anglo-Saxônica refere-se aos países da América do Norte que foram conquistados e colonizados pela Inglaterra. Contudo, há outros países americanos, como a Jamaica, Belize, Guiana ou Bahamas, que também falam inglês. Não costumam ser considerados parte da América Anglo-Saxônica porque não compartilham a maioria de suas características culturais, políticas e sociais.

Extensão territorial, população e países da América Anglo-Saxônica

As regiões do norte do Canadá são pouco povoadas.

Os dois países que integram a América Anglo-Saxônica ocupam uma área total de 19.800.000 quilômetros quadrados, o que representa 13,2% da área continental absoluta do planeta.

A população anglo-saxônica total é de 370 milhões de habitantes, ou seja, o equivalente a 4,6% da população mundial. A densidade populacional é de 18,6 habitantes por quilômetro quadrado. Essa densidade aumenta nas grandes cidades, especialmente em Nova York, Los Angeles, Chicago e Houston, nos Estados Unidos, e, em menor escala, nas cidades mais populosas do Canadá, como Toronto, Montreal e Vancouver.

Em contrapartida, as regiões extensas e frias do norte do Canadá são escassamente povoadas. Por exemplo, em Nunavut, apenas 39 mil pessoas vivem em um território de mais de 2 milhões de quilômetros quadrados.

História da América Anglo-Saxônica

A guerra contra o México entre 1846 e 1848 culminou com a anexação de grande parte do noroeste do México aos EUA.

Os primeiros povoadores da América Anglo-Saxônica foram os povos originários que habitaram a região durante milhares de anos antes da chegada dos europeus. Esses grupos incluem tribos nativas americanas, como os inuítes no norte do Canadá, e os apaches e sioux no atual território dos Estados Unidos.

A conquista e a colonização europeias da América Anglo-Saxônica tiveram início no século XVI. O processo de colonização trouxe consequências devastadoras para as populações indígenas, que sofreram com a perda de suas terras, com a violência e com a propagação de doenças introduzidas pelos europeus.

Durante o século XVII, as treze colônias no leste da América do Norte foram formadas. No final do século XVIII, esses 13 Estados se rebelaram contra o Império Britânico e se tornaram independentes, o que levou à formação dos Estados Unidos da América em 1776. Quase um século depois, em 1867, o Canadá se tornou independente da Grã-Bretanha.

No século XIX, os Estados Unidos foram se expandindo para o oeste e agregaram novas terras ao seu território, como a área da Louisiana, comprada da França em 1803. A guerra contra o México em 1846-1848 culminou com a anexação de grande parte do noroeste do México aos Estados Unidos.

Durante o século XX, os Estados Unidos se tornaram a principal potência econômica, política e militar do mundo e, atualmente, é o país mais importante na geopolítica global.

Cultura e religião da América Anglo-Saxônica

A maior parte da população dos Estados Unidos e do Canadá fala inglês. Em menor escala, fala-se espanhol (em algumas regiões dos Estados Unidos, como Texas e Miami) e francês (em cidades como Quebec e Montreal, no Canadá).

A religião que predomina na América Anglo-Saxônica é a protestante. O catolicismo vem em seguida, sendo praticado na maior parte do Canadá e, em menor escala, nos Estados Unidos. Já o judaísmo, o Islã e o budismo são praticados em menor escala.

Atividades econômicas da América Anglo-Saxônica

Os Estados Unidos são a fonte de 20% da produção mundial.

O Canadá e os Estados Unidos têm diferentes tipos de recursos naturais em seus territórios. As grandes planícies de seus territórios permitem a agricultura e a pecuária e a extração de hidrocarbonetos. As montanhas do oeste permitem a exploração de minerais dos mais variados tipos, ao passo que o litoral é propício para a pesca e as extensas áreas florestais do Canadá para a silvicultura.

O setor secundário é muito importante na região, principalmente nos Estados Unidos. Indústrias como a automotiva, aeronáutica, informática e eletrônica são algumas das mais importantes do mundo.

As economias dos EUA e do Canadá são altamente terceirizadas, o que significa que grande parte de seus lucros provêm do setor terciário. A prestação de serviços, o comércio, as finanças e o turismo respondem por mais de 75% da renda desses dois países.

O setor financeiro está também muito desenvolvido, sobretudo nos Estados Unidos. A maioria dos mais importantes bancos do mundo tem sede nos Estados Unidos. Transporte, comunicações e tecnologia são outras atividades econômicas terciárias de destaque na região.

Os Estados Unidos e o Canadá estão entre os países mais desenvolvidos do mundo. Seus índices de desenvolvimento humano (IDH) os posicionam entre os melhores do mundo: O Canadá ocupa a 15ª posição e os Estados Unidos, a 20ª.

Características políticas da América Anglo-Saxônica

Os Estados Unidos e o Canadá são membros plenos das Nações Unidas e também compõem um bloco político regional chamado USMCA. Esse tratado é composto pelos dois países da América Anglo-Saxônica e pelo México (“US”, “M” e “CA”).

Diferentemente de outros blocos regionais, não é permitida a circulação de pessoas entre os países do acordo de livre comércio USMCA. As mercadorias podem entrar e sair dos países com isenção de impostos, mas o trânsito de pessoas na fronteira é rigidamente controlado, principalmente pelos Estados Unidos, para evitar a imigração ilegal do México.

Referências

  • Benseny, G. (2020). Visión geográfica del continente americano. Cátedra de Espacios Turísticos Americanos. Universidad Nacional de Mar del Plata. 
  • Gómez Nuño, S. (2017). Los inuits: otra visión del mundo. Susanalogy
  • López, L. y Gambuzzi, M. (2008) Una geografía de América para pensar. Kapelusz. 
  • Sitio web del UNMCA: SICE

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

SPOSOB, Gustavo. América Anglo-Saxônica. Enciclopedia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/america-anglo-saxonica/. Acesso em: 3 março, 2024.

Sobre o autor

Autor: Gustavo Sposob

Professor de Geografia do ensino médio e superior (UBA).

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur)

Data da última edição: 24 fevereiro, 2024
Data de publicação: 12 julho, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)