Oceano Ártico

Vamos explicar o que é o oceano Ártico, onde se localiza e qual é a sua extensão. Além disso, quais são as suas características, correntes oceânicas e muito mais.

Océano Ártico
O Polo Norte não tem terra firme sob as largas camadas de gelo.

O que é o oceano Ártico?

O oceano Ártico, também chamado de oceano Glacial Ártico, é o menor e mais setentrional corpo de água do planeta. Ele está localizado no Círculo Polar Ártico, e está rodeado pelos litorais da América do Norte, Ásia e Europa. Trata-se do oceano mais frio do planeta, cujas águas estão cobertas por uma enorme massa de gelo durante a maior parte do ano.

Tem uma extensão aproximada de 14 milhões de quilômetros quadrados e sua profundidade média é de 1205 metros abaixo do nível do mar. Sua profundidade máxima está na bacia de Makarov, com 4500 metros abaixo da superfície.

Apesar das condições extremas de frio e de escuridão que predominam durante boa parte do ano, o oceano Ártico alberga uma grande biodiversidade, com espécies adaptadas ao ambiente gelado, como os ursos polares, as focas e as baleias.

O oceano Ártico é particularmente vulnerável às mudanças climáticas, uma vez que o seu aquecimento é mais rápido do que em outras partes do mundo. Isto levou à diminuição do gelo marinho, ao aumento da temperatura da água e à acidificação do oceano, o que afeta negativamente a vida marinha.

Nos últimos anos, o oceano Ártico emergiu como uma região de crescente importância geopolítica, devido aos recursos naturais que alberga e às rotas de navegação que estão se abrindo à medida que o gelo marinho diminui em consequência da mudança climática.

A salinidade do oceano Ártico é a mais baixa de todos os oceanos do planeta, devido à baixa evaporação que apresenta e aos afluxos de água doce provenientes do degelo.

Características do oceano Ártico

As principais características são:

  • É o menor oceano do planeta, com cerca de 14 milhões de quilômetros quadrados.
  • Começou a se formar há 200 milhões de anos, com a separação da Pangeia.
  • Sua flora e fauna são adaptadas ao gelo e temperaturas baixas.
  • Possui importantes reservas de petróleo e gás natural.

Formação do oceano Ártico

O oceano Ártico expandiu-se e aumentou a sua superfície à medida que os continentes começaram a se afastar, após a separação da Pangeia. Há 200 milhões de anos, quando existia este supercontinente, o oceano Ártico era menor do que é hoje. A deriva dos continentes e a formação de novo solo oceânico permitiram que este oceano aumentasse sua extensão progressivamente.

Além disso, durante a época da Pangeia, o oceano Ártico situava-se em latitudes mais baixas e a zona tinha um clima mais quente do que o atual. Com o passar do tempo geológico, esse oceano aproximou-se de regiões com climas cada vez mais frios e a temperatura das suas águas diminuiu consideravelmente.

Clima do oceano Ártico

Ártico - hielo
As calotas de gelo são massas geladas que se formam na superfície.

O oceano Ártico apresenta um clima polar frio, com temperaturas extremamente baixas durante a maior parte do ano. No inverno, as temperaturas diminuem e atingem um mínimo de -30 °C. Estes invernos prolongados caracterizam-se pela formação de extensas superfícies de gelo marinho. Estes gelos desempenham um papel crucial no ecossistema da região, na vida marinha e na dinâmica climática global.

No verão, as temperaturas aumentam e podem atingir um máximo de 10 °C. Durante este período, o gelo marinho se funde parcialmente, permitindo a navegação em algumas áreas previamente congeladas.

A superfície não aquática do oceano Ártico está coberta de calotas de gelo, que crescem até o dobro do seu tamanho durante o inverno e são rodeadas de água gelada no verão. Abaixo do gelo, as águas geladas são mantidas.

Fauna e flora do oceano Ártico

océano ártico
No Ártico, muitos mamíferos possuem pelagem branca, que atua como camuflagem.

O oceano Ártico é habitado por espécies animais adaptadas ao frio intenso, como focas, leões marinhos, baleias de vários tipos e ursos polares, os maiores predadores da região. O oceano Ártico é também abundante em krill, um pequeno crustáceo que desempenha um papel vital na base da pirâmide ecológica marinha. Também se destacam espécies como o bacalhau, o salmão e o arenque, que são muito explorados pela indústria pesqueira dos países vizinhos.

Os animais que ali vivem têm adaptações evolutivas que lhes permitem sobreviver às condições climáticas do lugar. A pelagem abundante, as espessas camadas de gordura e a pele grossa lhes permitem manter o calor, enquanto a cor branca lhes facilita a camuflagem no gelo.

A vegetação no oceano Ártico é escassa e constituída principalmente por musgos, líquens e fitoplâncton.

Recursos naturais do oceano Ártico

océano ártico
O subsolo do oceano Ártico é rico em petróleo e gás natural.

O oceano Ártico possui importantes reservas de petróleo e gás natural nas suas plataformas continentais. Países como a Rússia, a Noruega, o Canadá, a Dinamarca e os Estados Unidos têm interesses na sua exploração, e empresas petrolíferas dessas nações extraem esses recursos do oceano.

Além disso, o oceano Ártico contém uma variedade de minerais valiosos, como ouro, prata, zinco e níquel. A exploração destes minerais é também explorada pelos países vizinhos, em especial pela Rússia, que é um importante produtor e exportador destes recursos.

Além disso, o oceano Ártico é muito explorado pelos seus recursos pesqueiros. Destacam-se espécies como o bacalhau, o salmão e o arenque. Países como a Noruega, a Rússia, a Islândia e o Canadá são os principais produtores e exportadores mundiais destas espécies.

Poluição do oceano Ártico

océano ártico
As mudanças climáticas provocam o aumento da temperatura da água do oceano Ártico.

A exploração petrolífera na plataforma continental do oceano Ártico tem gerado graves problemas de poluição das águas. Os derramamentos de petróleo e a libertação de poluentes químicos que produz a atividade petrolífera impactaram sobre a biodiversidade marinha e geraram alterações na composição química da água. Isto tem consequências cada vez mais significativas para a atividade pesqueira, que representa uma parte importante dos rendimentos dos países da região.

Além disso, as mudanças climáticas estão causando um aumento da temperatura da água no oceano Ártico. O degelo das calotas polares que flutuam sobre as águas do oceano impacta sobre a vida marinha, especialmente sobre os animais que dependem dos gelos para viver. Além disso, o aumento das temperaturas altera os padrões de migração e comportamento da fauna marinha, tendo consequências no seu desenvolvimento e reprodução.

Continue com:

Referências

Como citar?

Citar a fonte original da qual extraímos as informações serve para dar crédito aos respectivos autores e evitar cometer plágio. Além disso, permite que os leitores acessem as fontes originais que foram utilizadas em um texto para verificar ou ampliar as informações, caso necessitem.

Para citar de forma adequada, recomendamos o uso das normas ABNT (Associação Brasileira de Normas Técnicas), que é uma entidade privada, sem fins lucrativos, usada pelas principais instituições acadêmicas e de pesquisa no Brasil para padronizar as produções técnicas.

SPOSOB, Gustavo. Oceano Ártico. Enciclopédia Humanidades, 2024. Disponível em: https://humanidades.com/br/oceano-artico/. Acesso em: 18 julho, 2024.

Sobre o autor

Autor: Gustavo Sposob

Professor de Geografia do ensino médio e superior (UBA).

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 26 fevereiro, 2024
Data de publicação: 26 fevereiro, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)