Poluição atmosférica

Vamos explicar o que é a poluição atmosférica e suas consequências. Além disso, suas características e possíveis soluções.

Contaminación atmosférica
A poluição do ar tem aumentado desde a explosão industrial.

O que é a poluição atmosférica?

A poluição do ar ou atmosférica é um problema ambiental global que resulta da emissão de substâncias tóxicas para a atmosfera, com consequências negativas para a saúde humana, para os ecossistemas e para o clima. Os principais emissores de gases poluentes para a atmosfera são os combustíveis fósseis, a atividade industrial, o transporte e a produção de energia.

A principal consequência da poluição atmosférica são as mudanças climáticas. A maioria dos gases emitidos pelas atividades humanas são gases de efeito estufa (GEE) que aumentam a capacidade da atmosfera de reter calor e provocam o aumento progressivo da temperatura do planeta. Este aumento da temperatura contribui para a intensificação de fenômenos climáticos extremos, como as secas, as tempestades e os furacões.

A poluição atmosférica é uma problemática que se intensificou depois da Revolução Industrial iniciada no século XVIII. Com o passar do tempo, esta problemática se agravou de tal forma que em muitas cidades os níveis de poluição do ar estão muito acima dos parâmetros máximos considerados prejudiciais para a saúde.

Tipos de poluentes atmosféricos

Os combustíveis fósseis são um dos poluentes mais nocivos para a atmosfera.

De acordo com o seu processo de inserção na atmosfera, os poluentes atmosféricos podem ser classificados em:

  • Poluentes primários. São poluentes expelidos diretamente para a atmosfera, como os gases dos escapes dos veículos ou as emissões das fábricas.
  • Poluentes secundários. São substâncias que não são nocivas, mas que se tornam tóxicas quando reagem quimicamente com outras substâncias atmosféricas, como o dióxido de nitrogênio.

De acordo com a sua composição, podem ser identificados dois tipos de poluentes atmosféricos:

  • Gases. Os diferentes poluentes em forma gasosa ou de vapor ascendem à atmosfera sendo menos densos do que o ar e uma vez aí, exercem um efeito nocivo. O dióxido de carbono, o monóxido de carbono, os óxidos de nitrogênio e os gases resultantes da queima de hidrocarbonetos (combustíveis fósseis como a gasolina, o óleo diesel, o carvão, etc.) são exemplos de gases poluentes.
  • Aerossóis. São misturas heterogêneas de partículas sólidas ou líquidas que permanecem em suspensão em um gás. Estas partículas podem ser inaladas e entrar na corrente sanguínea, o que pode causar vários problemas na saúde humana. Os aerossóis são produzidos principalmente pela queima de combustíveis fósseis e indústrias.

Gases poluentes

As usinas elétricas emitem grandes quantidades de óxido de nitrogênio.

Os principais gases poluentes emitidos para a atmosfera são:

  • Clorofluorcarbono (CFC). É um gás empregado na indústria de refrigeração e climatização. As suas emissões praticamente pararam porque se comprovou que alterava negativamente a camada de ozônio.
  • Monóxido de carbono (CO). É um gás que é emitido principalmente pela combustão incompleta de combustíveis em veículos e equipamentos de aquecimento. É muito perigoso para os animais e as pessoas.
  • Dióxido de carbono (CO2). É um gás que existe naturalmente na atmosfera. No entanto, a sua concentração nela aumentou devido à queima de combustíveis fósseis como o petróleo, o gás natural e o carvão. É um dos principais gases com efeito estufa (GEE) emitidos para a atmosfera.
  • Óxido de nitrogênio (NO). É um gás emitido principalmente por veículos, usinas elétricas e indústrias. Contribui para a formação de smog e chuva ácida.
  • Dióxido de enxofre (SO2). Semelhante ao caso anterior, este gás é produzido durante a combustão do carvão com teor de enxofre e na atmosfera gera ácido sulfúrico altamente prejudicial para a vida vegetal e animal.
  • Metano (CH4). É outro gás fundamental para o efeito estufa. É produzido pela decomposição da matéria orgânica. A matéria fecal dos animais e a acumulação de resíduos orgânicos são as principais fontes de emissão deste gás.

Consequências da poluição atmosférica

Os principais efeitos da poluição atmosférica são:

  • Deterioração da qualidade do ar. A redução da qualidade do ar se traduz em um aumento das doenças respiratórias, no enfraquecimento do sistema imunitário e em possíveis complicações decorrentes da presença de metais pesados ou de substâncias nocivas no organismo humano.
  • Formação de smog. É conhecida como “smog” a suspensão de substâncias poluentes no ar, que geralmente formam nuvens cinzentas que permanecem sobre as cidades durante longos períodos de tempo. Ocorre principalmente em grandes cidades com altos níveis de tráfego e atividade industrial.
  • Mudanças climáticas. A mudança climática se manifesta no aumento da temperatura global do planeta, e na intensificação de fenômenos climáticos extremos como as secas, as ondas de calor, as tempestades e os furacões.
  • Destruição da camada de ozônio. É uma camada de gás que se encontra na atmosfera que contém altas concentrações de ozônio. Ela é importante porque atua como um escudo protetor da Terra contra a radiação ultravioleta emitida pelo Sol. Esta radiação pode enfraquecer o sistema imunológico e causar câncer nas pessoas.

Riscos para a saúde

A poluição atmosférica pode debilitar as paredes pulmonares.

Os principais problemas de saúde que as pessoas apresentam quando se expõem durante muito tempo à poluição ambiental são:

  • Problemas respiratórios. A exposição à poluição pode causar asma, bronquite crônica e outras doenças respiratórias.
  • Doenças cardiovasculares. A exposição à poluição do ar tem sido associada ao aumento do risco de doenças cardíacas, AVC e doenças cardiovasculares.
  • Câncer. A exposição prolongada à poluição pode aumentar o risco de contrair câncer de pulmão, pele, bexiga e outros tipos de câncer.
  • Problemas neurológicos. A exposição a poluentes ambientais como o chumbo e o mercúrio pode danificar o sistema nervoso central e causar problemas neurológicos de todo o tipo.
  • Dificuldades de reprodução. A exposição à poluição pode afetar a fertilidade tanto em homens como em mulheres e aumentar o risco de abortos espontâneos.
  • Malformações genéticas. A exposição à poluição pode gerar danos no material genético e produzir malformações.

Cidades com elevada poluição atmosférica

As cidades com maior poluição atmosférica no planeta são aquelas com maior circulação de veículos, mais atividade industrial e menores controles por parte do Estado.

Algumas das cidades com piores níveis de qualidade do ar são:

  • Delhi (Índia)
  • Lahore (Paquistão)
  • Joanesburgo (África do Sul)
  • Jacarta (Indonésia)
  • Daca (Bangladesh)
  • Santiago de Chile (Chile)
  • Karachi (Paquistão)
  • Catmandu (Nepal)
  • Bombaim (Índia)
  • Pequim (China)

Possíveis soluções para a poluição atmosférica

A proibição de aerossóis ou sprays com CFC reduziu a deterioração da camada de ozônio.

Algumas das estratégias que os especialistas em poluição ambiental sugerem para melhorar as condições de vida no planeta são:

  • Promover o uso de energias renováveis. Energias como a solar ou eólica podem ajudar a diminuir os níveis de poluição atmosférica.
  • Promover a eficiência energética. O investimento em tecnologias sustentáveis na indústria pode contribuir para reduzir a emissão de gases poluentes produzidos pela produção de energia e combustíveis.
  • Aplicar medidas de gestão adequada dos resíduos. Melhorar a gestão dos resíduos pode contribuir para reduzir a quantidade de resíduos e minimizar o seu impacto.
  • Promover a educação ambiental. Práticas educativas focadas na educação ambiental contribuem para conscientizar sobre a importância do cuidado ambiental nos lugares públicos e privados.
  • Incentivar a pesquisa. O desenvolvimento de tecnologias menos poluentes para as indústrias e os veículos pode contribuir para melhorar as condições ambientais do planeta.
  • Diminuir a utilização de automóveis particulares. Incentivar o uso do transporte público e de veículos não poluentes como as bicicletas contribui para a redução das emissões de gases que poluem a atmosfera.

Protocolos internacionais

Existem vários protocolos e acordos ambientais internacionais vigentes mundialmente. Alguns dos mais importantes são:

  • Protocolo de Montreal. Trata-se de um acordo internacional para proteger a camada de ozônio através da eliminação gradual da produção e do consumo de substâncias que deterioram a camada de ozônio, como os clorofluorcarbonos (CFC). Está em vigor desde 1989.
  • Protocolo de Quioto. Trata-se de um acordo internacional para combater as mudanças climáticas com base no estabelecimento de objetivos de redução das emissões de gases com efeito estufa (GEE). Está em vigor desde 1997.
  • Convênio de Estocolmo. É um acordo internacional para proteger a saúde humana e o ambiente dos poluentes orgânicos persistentes (POPs). Está em vigor desde 2004.
  • Acordo de Paris. É um acordo internacional para limitar o aumento da temperatura global a menos de 2 °C acima dos níveis pré-industriais através da redução das emissões de gases com efeito estufa. Está em vigor desde 2015.

Continue com:

Referências

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

SPOSOB, Gustavo. Poluição atmosférica. Enciclopedia Humanidades, 2024. Disponível em: https://humanidades.com/br/poluicao-amosferica/. Acesso em: 19 abril, 2024.

Sobre o autor

Autor: Gustavo Sposob

Professor de Geografia do ensino médio e superior (UBA).

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 18 março, 2024
Data de publicação: 22 janeiro, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)