Abraham Lincoln

Vamos explicar quem foi Abraham Lincoln e como foi eleito para presidente. Além disso, quais são as suas características gerais e morte.

Abraham Lincoln
Abraham Lincoln foi o décimo sexto presidente dos Estados Unidos.

Quem foi Abraham Lincoln?

Abraham Lincoln foi um advogado e político americano, célebre por liderar o seu país durante a Guerra de Secessão (1861–1865), a guerra interna mais sangrenta da história do país. Foi o décimo sexto presidente dos Estados Unidos.

Lincoln chegou à presidência com o apoio do Partido Republicano, e suas ideias lhe renderam poucas simpatias nos estados do sul. Isto traduziu-se em uma guerra civil entre eles e os estados do norte, cujas perspectivas em torno de diversos temas (principalmente o da abolição da escravidão) pareciam irreconciliáveis.

Além disso, do fim da escravidão em seu país, entre suas conquistas estão a modernização da economia e o fortalecimento do governo federal unificado. Hoje é lembrado como um político excepcionalmente hábil e um dos melhores presidentes da história dessa nação.

Foram-lhe dados numerosos reconhecimentos em livros, filmes e foi construído em 1922 um monumento em sua homenagem, na cidade de Washington D.C. (conhecido como Lincoln Memorial). Além disso, seu rosto aparece nas moedas de 1 centavo e nas notas de 5.

Nascimento de Abraham Lincoln

Abraham Lincoln nasceu em Hodgenville, Kentucky, em 12 de fevereiro de 1809.

Sua família veio da Inglaterra, mas seus pais eram cristãos batistas e agricultores nascidos no estado da Virgínia.

Durante sua infância, a família de Lincoln se mudou para Indiana, onde o pequeno “Abe” (como dizem carinhosamente seus seguidores), trabalhou desde seus dezesseis anos.

Depois mudaram-se para Illinois, e Abraham, já com vinte e dois anos de idade, ficou encarregado de um armazém com moinho em Nova Salem.

Biografia de Abraham Lincoln

Abraham Lincoln
Lincoln foi um dos fundadores do Partido Republicano.

Lincoln serviu como capitão no exército durante a Guerra do Falcão Negro (1832), um confronto no Centro-Oeste americano contra as tribos aborígines Sauk, Fox e Kickapoo. De volta da frente, cortejou Mary Todd e se casou com ela em 1842. Tiveram quatro filhos, todos meninos.

Em Illinois, aderiu-se ao Partido Whig e foi deputado da Câmara de Representantes de 1847 a 1849. Durante esse período foi célebre a sua oposição à Intervenção Americana no México, o que lhe custou a reeleição ao cargo.

Quando o Partido Whig se desintegrou em 1854, Lincoln foi um dos fundadores do Partido Republicano. Nesse partido foi indicado a vice-presidente da nação, mas derrotado nas eleições por William L. Dayton, congressista de Nova Jersey.

Eleição como presidente

Sua capacidade de oratória o tornou célebre e na Convenção Nacional do Partido Republicano de 1860 se opôs a poderosos indicados para a candidatura a presidente dos Estados Unidos pelo partido.

Depois de ganhar as eleições internas do partido, Lincoln enfrentou nas eleições deste ano dois candidatos Democratas (já que este partido havia dividido suas forças) e um da União Constitucional. Lincoln se impôs nestas eleições presidenciais com 39,82% dos votos totais.

Seu ascenso à presidência foi fonte de polêmicas desde o primeiro dia. Sobreviveu a uma tentativa de assassinato em Maryland e teve que chegar em 1861 a Washington disfarçado e oculto, o que foi motivo de zombaria por parte de seus opositores.

Suas políticas foram o que Henry Clay chamou de “sistema americano”. Em primeiro lugar, a sua política aduaneira protecionista beneficiou o Norte, mais industrializado, mas prejudicou o Sul, mais agrícola. Além disso, as suas “melhorias internas” implicaram investimento público em infraestruturas e uma política bancária inflacionista.

Uma vez que estas medidas estavam previstas, mesmo antes de Lincoln assumir formalmente a presidência, sete estados do Sul declararam a sua independência. Assim se criaram os Estados Confederados da América (mais conhecida como “a Confederação”), que tomaram Jefferson Davis como presidente.

Fim da escravidão

abraham lincoln esclavitud
A escravidão foi oficialmente abolida com a Proclamação da Emancipação, em 1863.

Um dos pontos fundamentais na ruptura entre o Norte e o Sul nos Estados Unidos foi a abolição da escravidão, que Lincoln proclamou em 1863. Isto transformou a conquista dos estados rebeldes em um mandato moral, libertador.

Todos os escravos negros dos territórios da União passaram a ser cidadãos de pleno direito. No entanto, isso não ocorreu nos estados secessionistas, que pelo contrário defendiam a escravidão como um direito dos brancos mandantes e como o “estado natural” de submissão da raça negra diante da superioridade da branca.

A Guerra de Secessão

O confronto militar entre a União e os Estados Confederados começou em abril de 1861 com a batalha de Fort Sumter na Carolina do Sul. Como resultado, mais quatro estados juntaram-se aos sete rebeldes.

A guerra durou quatro anos e nela Lincoln demonstrou sua capacidade de liderança, com discursos célebres como o de Gettysburg, em 1863. No entanto, devemos salientar que a sua posição pessoal no início do confronto foi a de mediador entre as partes em conflito.

No entanto, depois de várias frustrações com o general George Brinton McClellan, Lincoln decidiu começar uma ofensiva mais aberta e radical. Para isso, deu o comando ao General Ulysses S. Grant, um personagem um tanto escandaloso.

A partir de então o rumo da guerra favoreceu a União e em abril de 1865 suas forças militares capturaram Richmond, Virgínia, a autodesignada capital da Confederação. Lincoln, sentado na mesa do ex-presidente Davis, dirigiu-se ao povo publicamente, restituindo o comando da União sobre aqueles territórios.

Reeleição de Abraham Lincoln

Abraham Lincoln
Lincoln foi reeleito com 55,02% dos votos totais.

Uma nova eleição interna do partido em 1864 confrontou Lincoln e o general Ulysses S. Grant, embora este último nem sequer tivesse manifestado seu interesse em semelhante candidatura. Lincoln foi eleito e o mesmo ocorreu nas votações gerais, nas quais obteve 55,02% dos votos totais. Assim, começou seu segundo mandato em março de 1865.

A reconstrução

Após sua reeleição, o discurso político de Lincoln se concentrou na reconciliação. O objetivo era evitar que os antigos Estados Confederados se alienassem totalmente do resto do país, apesar de sua derrota já ser evidente.

Assim, começou a reconstrução, o processo no qual ao Sul foi imposto o fim da escravidão e de toda tentativa independentista. Em troca, foi-lhes oferecida certa liberdade para definir as suas próprias políticas. Este processo foi realizado através de várias emendas à constituição e estendeu-se desde o final da guerra até 1877.

Como Abraham Lincoln morreu?

abraham lincoln asesinato
John Wilkes Booth atirou em Lincoln no Teatro Ford em 14 de abril de 1865.

Lincoln foi assassinado em abril de 1865, quando estava com sua esposa em uma representação do musical Nosso primo americano, de Tom Taylor, no teatro Ford. Sabe-se que já tinha havido numerosas ameaças de morte, e a lenda conta que dias antes Lincoln teve um sonho premonitório a respeito.

No teatro, sentado no camarote, levou um tiro na cabeça, pelas costas. O assassino foi o ator John Wilkes Booth, um simpatizante da causa do Sul. Lincoln agonizou em coma por nove horas e morreu na manhã seguinte, em 15 de abril. Seu assassino foi capturado e enforcado.

O corpo de Lincoln foi levado por vários estados de trem, em uma magnífica procissão fúnebre, e hoje repousa no cemitério de Oak Ridge, em Springfield, Illinois.

Monumentos e reconhecimentos a Abraham Lincoln

Abraham Lincoln
O rosto de Lincoln está na moeda americana.

Lincoln é considerado o salvador da pátria, protetor e defensor do que chamou “o governo do povo pelo povo e para o povo”. Era conhecido em vida como “Abe, o Honesto” ou “o Grande Emancipador”, e para muitos escravos libertos era um herói pessoal.

Seu rosto está na moeda americana, em selos postais, e sua figura completa no Lincoln Memorial em Washington D.C., como uma estátua de 6 metros de altura e 6 de largura.

Frases de Abraham Lincoln

  • “Muitas vezes é preciso mais coragem para ousar fazer a coisa certa, do que para temer fazer a coisa errada.”
  • “Você pode enganar todo mundo por um tempo, ou alguns por um longo tempo, mas não pode enganar todo mundo para sempre.”
  • “Todos os homens nascem iguais, mas essa é a última vez que o são.”
  • “Um amigo é aquele que tem os mesmos inimigos que você.”
  • “Quase todos podemos suportar a adversidade, mas se quer realmente pôr à prova o caráter de um homem, dá-lhe poder.”

Referências

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

ETECÉ, Equipo editorial. Abraham Lincoln. Enciclopedia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/abraham-lincoln/. Acesso em: 15 abril, 2024.

Sobre o autor

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 14 novembro, 2023
Data de publicação: 14 novembro, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)