Ética e moral

Vamos explicar o que é ética e moral, quais são suas semelhanças e diferenças. Além disso, a sua importância, as opiniões de diferentes filósofos e muito mais.

A ética e a moral teorizam sobre a esfera do comportamento humano.

O que são a ética e a moral?

A ética e a moral são o que nos permite diferenciar entre as boas e as más ações no comportamento das pessoas. Além disso, ajudam a entender o comportamento em geral, suas normas e princípios.

A moral é o conjunto de normas que regulam o comportamento de uma pessoa na sociedade. A ética é a disciplina que reflete, a partir da teoria, sobre a moral, como funciona, seus problemas e dilemas.

Por exemplo, o respeito às pessoas idosas é uma norma moral que responde aos costumes e hábitos de todas as sociedades. A ética explica o que está por trás desse respeito, qual é o seu significado e, além disso, o que significa respeitar.

Com frequência, as palavras “ética” e “moral” são usadas como sinônimos. Embora as duas tenham pontos em comum, a ética e a moral são dois aspectos diferentes do mesmo assunto: o comportamento humano e a convivência entre as pessoas. Para o discurso filosófico, a ética é uma disciplina filosófica, enquanto a moral é um dos problemas com os quais a ética trabalha.

PONTOS IMPORTANTES

  • A ética e a moral são dois conceitos filosóficos que se referem ao comportamento das pessoas.
  • A moral é um conjunto de normas, crenças e costumes que regulam o comportamento das pessoas em um determinado contexto ou sociedade, enquanto a ética estuda, por meio do uso da razão, os fundamentos da moral.
  • A moral varia de acordo com cada sociedade, enquanto a ética é uma teoria de reflexão que reivindica universalidade.

A ética

A ética é o ramo da filosofia que estuda o comportamento humano e as ações morais de um ponto de vista teórico.

A ética contribui para que as pessoas pensem sobre como concebem o bem e o mal em diferentes áreas de suas vidas. É uma disciplina fundamental na formação de diferentes códigos de conduta e também na forma como a justiça é (ou não) aplicada.

Muitos filósofos escreveram sobre questões éticas. Por exemplo, Platão trabalhou sobre as virtudes e seu significado, enquanto Aristóteles escreveu Ética a Nicômaco, que é o primeiro tratado ético e reflete sobre a vida feliz.

Immanuel Kant, filósofo alemão do século XVIII, estudou o que são fórmulas morais e como elas funcionam como máximas éticas, que ele chamou de “imperativos categóricos”. O imperativo categórico mais famoso diz que se deve agir de modo que seu comportamento sirva de exemplo para os demais.

Tipos de ética

Há diferentes tipos de ética de acordo com seus ramos e objetos de estudo. Os mais conhecidos são a metaética, a ética normativa e a ética aplicada.

  • A metaética. É o estudo do significado dos termos morais e da ética de um ponto de vista metafísico. Estuda, por exemplo, o problema do bem e do mal, a busca da felicidade e a questão da intersubjetividade (que analisa o que significa a existência de outras pessoas, além de si mesmo).
  • A ética normativa. É o estudo de como os termos morais são aplicados, como a teoria da virtude, do dever ou da consequência. Estuda, por exemplo, quais ações são certas ou erradas do ponto de vista moral, como os valores são aplicados e como o comportamento na sociedade é regulamentado.
  • A ética aplicada. É o estudo da ética aplicada a diferentes campos práticos. Estuda, por exemplo, a ética no campo profissional, ambiental, esportiva, sexual, bioética e ética na pesquisa.

Além disso, a ética pode ser classificada em tipos, conforme a corrente filosófica a que pertence, como, por exemplo, a ética socrática ou a ética aristotélica.

Exemplos de ética

Um exemplo para pensar sobre a ética é a ética aplicada, que estuda como as teorias éticas são aplicadas a situações morais concretas e a diferentes campos práticos.

  • Ética profissional. É aquela que trabalha com o conjunto de normas e valores envolvidos no trabalho.
  • Ética ambiental. É aquela que trabalha para cuidar do meio ambiente e de sua preservação. Além disso, ensina o respeito pela natureza.
  • Ética esportiva. É aquela que trabalha para promover um espírito esportivo justo, honesto e amigável.
  • Ética médica. É aquela que trabalha para garantir que os direitos básicos das pessoas em situações médicas, sejam elas pacientes em tratamento ou sujeitos de pesquisa e experimentação médica, sejam respeitados.
  • Ética militar. É aquela que trabalha para que as forças armadas e seus membros respeitem os direitos humanos fundamentais quando estão no exercício de sua profissão.

Em toda ética profissional, a responsabilidade e a liberdade são consideradas os valores mais importantes. Na ética profissional aplicada à saúde, por exemplo, as pessoas devem agir com responsabilidade, colocando sua ética profissional acima de suas preferências pessoais e de acordo com o bem comum e, além disso, o bem individual de cada paciente.

A moral

A moral é o conjunto de normas e valores necessários para que diferentes comunidades vivam juntas. Embora as sociedades mais moralistas não sejam necessariamente as mais prósperas, todas as comunidades são regidas por um código moral composto de diferentes comportamentos, hábitos e costumes.

A moral é vista como as regras ocultas de comportamento. As pessoas agem de acordo com hábitos e comportamentos morais tácitos, aprendidos durante suas vidas. No entanto, ao contrário da ética, que é uma disciplina filosófica, a moral não estuda essas regras, mas é o conjunto de valores e normas que regem as pessoas.

Na Antiguidade, quando se falava em moral, referia-se ao conjunto de costumes que formavam o caráter ético das pessoas. Contudo, no mundo medieval, essa distinção deixou de funcionar e as pessoas começaram a falar de moral teórica para se referir à ética e moral prática para se referir à moral.

Tipos de moral

Há diferentes maneiras de classificar a moral. Uma delas é a distinção entre a moral objetiva, que é ditada pela tradição cultural e que não depende das pessoas, e a moral subjetiva, que tem a ver com as escolhas individuais.

Contudo, a classificação mais comum para os tipos de moral é entre moral fundamental, individual, social e socioeconômica.

  • Moral fundamental. É a moral que trabalha com a ideia do que é certo e do que é errado em uma ação. Por exemplo, quando uma pessoa decide apresentar uma queixa, a moral fundamental pergunta quem é afetado, por que e de que maneira.
  • Moral individual. É a moral que trabalha com as escolhas pessoais dos indivíduos. Por exemplo, quando uma pessoa precisa decidir entre cuidar de um familiar ou cuidar de si mesma, recorre à sua moral individual.
  • Moral social. É a moral que trabalha com a ideia do coletivo (o grupal) imposta por instituições ou tradições. Por exemplo, quando as pessoas são agrupadas por causa de suas ideias políticas, a moral social pergunta como essas pessoas estão ligadas coletivamente e como isso afeta o restante dos cidadãos.
  • Moral socioeconômica. É a moral que avalia as decisões das pessoas em relação à sua condição social e econômica. Por exemplo, quando um vendedor coloca alguns produtos a um preço mais alto do que outros, a moral socioeconômica pergunta por que ele faz isso e que efeito isso tem sobre os compradores.

Exemplos de moral

A moral é fácil de identificar, uma vez que se relaciona a diferentes situações cotidianas. Por exemplo, ao viajar de ônibus e ceder um assento a uma pessoa idosa ou ao ajudar alguém que precisa atravessar a rua.

Na maioria dos casos, os exemplos morais mostram como são colocados em prática os valores dominantes na sociedade, como respeito ou empatia. Além de ceder um lugar no transporte público ou ajudar alguém a atravessar a rua, isso também pode ser visto no trabalho voluntário, nos refeitórios públicos ou na convivência pacífica em situações de emergência.

Diferenças entre a ética e a moral

As diferenças entre a ética e a moral são dadas de acordo com algumas características de seu objeto de estudo.

  • A ética é a disciplina que estuda as normas de comportamento, e essas normas formam a moral.
  • A ética estuda as regras e os códigos teóricos que fundamentam a moral, enquanto a moral estuda os costumes, as normas e os valores que regem a sociedade.
  • A ética trabalha com máximas que não variam com o tempo e que os filósofos chamam de “imperativos categóricos”. A moral, por sua vez, varia de acordo com o contexto geográfico, histórico e político.
  • Cada termo procura destacar uma esfera da vida: a vida privada, relacionada à autonomia do indivíduo (a ética), e a vida comum, relacionada aos costumes e ao contato com os demais (a moral).

As diferenças entre a ética e a moral podem ser sintetizadas no quadro comparativo a seguir:

ÉticaMoral
É uma disciplina filosófica que estuda a moral.É um conjunto de normas, costumes e valores.
Trabalha com regras e códigos teóricos de tipo metafísico.Trabalha com costumes, normas e valores.
Busca máximas invariáveis.Varia de acordo com o contexto.
Refere-se à vida privada.Refere-se à vida social.

As quatro semelhanças entre a ética e a moral

As semelhanças entre a ética e a moral residem no comportamento.

  • Ambas investigam o comportamento humano.
  • Apresentam o dilema do bem e do mal.
  • Pensam na alteridade, que é a teoria de que existem outros diferentes de nós mesmos, e na maneira como as pessoas se relacionam umas com as outras na sociedade.
  • Compartilham o grego ethos como sua origem etimológica (a origem de cada palavra). Tanto “ética” quanto “moral” podem significar “caráter” ou “costume”.

Importância da ética e da moral

Tanto a ética quanto a moral são importantes não apenas para a filosofia, mas para a vida humana em geral.

Todas as pessoas são diferentes. A moral ajuda essas diferenças a coexistirem. Construída de acordo com hábitos, normas e costumes desenvolvidos ao longo do tempo, estabelece formas de comportamento necessárias para uma vida pacífica, aberta ao respeito e à compreensão dos outros.

Em contrapartida, a ética fornece as ferramentas para investigar os códigos, as normas e os comportamentos da moral. Assim, é fundamental para poder diferenciar entre ações boas e más, para casos em que as regras não são claras, e também para ajudar a determinar como a justiça é administrada e pensada.

Referências

  • Bonilla, A. (2007) “Ética: cuestiones y problemas contemporáneos”, Vertex. Revista Argentina de Psiquiatría, Vol. XVIII, Nº 75, 2007, pp. 362-369.
  • Cullen, C. (1998) “El debate ético contemporáneo”, Enoikos, año VI, Nº 13, pp. 26-32.
  • Griffin, J. (2001) “METAÉTICA. Metaética y ética normativa”; en Canto-Sperber, M. (ed.) (2001) Dictionario de Ética y de Filosofía Moral, México, FCE, Vol. 1, pp. 1052-1058.
  • Maliandi, R. (1993) Ética, conceptos y problemas, cap. I y III.
  • Roig, A. (2002) “Problemas hermenéuticos para una fundamentación de la Ética”, en Ética del poder y moralidad de la protesta. Respuestas a la crisis moral de nuestro tiempo, Mendoza, EDIUNC, pp. 131-136.
  • Boff, L. (2003). Ética y moral. La búsqueda de los fundamentos (5ª ed.). Bilbao: Editorial Sal Terrae.
  • Guariglia, O. (1996). Moralidad. Ética universalista y sujeto moral. Critica, 28(84).
  • Cortina, A. (2000). Ética mínima. Madrid: Tecnos.

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

ESPÍNOLA, Juan Pablo Segundo. Ética e moral. Enciclopedia Humanidades, 2024. Disponível em: https://humanidades.com/br/etica-e-moral/. Acesso em: 19 abril, 2024.

Sobre o autor

Autor: Juan Pablo Segundo Espínola

Licenciatura em Filosofia (Universidad de Buenos Aires)

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur)

Data da última edição: 4 abril, 2024
Data de publicação: 31 março, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)