Tipos de ética

Vamos explicar quais são os tipos de ética e para que servem. Além disso, as classificações históricas e as classificações por tendências.

Tipos de ética
Epicuro acreditava que a ética é a busca da felicidade, entendida como prazer e ausência de dor.

Quais são os tipos de ética?

De acordo com sua área de estudo, podemos classificar a ética em metaética, normativa, descritiva e aplicada. Segundo a maneira pela qual responde da teoria à ação moral (isto é, à prática da ação humana), podemos classificar a ética em aristotélica, utilitarista, kantiana e outras éticas.

A ética é um ramo da filosofia que estuda o comportamento humano e as ações morais, e apresenta diferentes formas de classificação.

Outra forma de classificar a ética é de acordo com o período em que cada teoria é desenvolvida, bem como a corrente que a propõe. Nesse sentido, é possível dividir a ética segundo sua concepção na Grécia Antiga, na Idade Média (segundo o cristianismo) e na Modernidade (com o surgimento da ética de Kant).

Muitas vezes, uma ética pode aparecer em diferentes classificações. Por exemplo, a ética kantiana de acordo com a ação moral é uma ética que busca o cumprimento do dever, mas também é uma ética da modernidade.

Tipos de ética de acordo com sua área de estudo

Uma maneira de classificar a ética é de acordo com sua área de estudo: a metaética trabalha com a linguagem que expressa as ideias éticas; a ética normativa, com as regras que regulam o comportamento; a ética descritiva, com o comportamento de fato; e a ética aplicada, com a aplicação da ética em campos específicos.

Tipos de éticaAbordagemPropósitoExemplos de ética
MetaéticaAnalisa a natureza e o significado dos conceitos éticos.Compreender a lógica e a natureza da moral.Realismo moral, antirrealismo moral, subjetivismo moral.
Ética normativaEstabelece princípios e regras morais que orientam a conduta ética.Oferecer ajuda na tomada de decisões éticas.Deontologia, consequencialismo, ética das virtudes.
Ética descritivaEstudo de forma prática as crenças, as práticas e os comportamentos morais das pessoas.Descrever as características práticas da moralidade.Ética kantiana, utilitarismo, ética do cuidado.
Ética aplicadaAplica princípios éticos e teorias éticas a situações e problemas éticos reais.Resolver dilemas éticos e aplicar a ética a casos específicos da vida cotidiana.Ética médica, ética empresarial, ética ambiental.

Metaética

A metaética estuda e analisa a linguagem que os filósofos usam ao falar sobre a moral. Por exemplo, um dos problemas da metaética é se a ideia do bem se refere a boas ações ou se fala de uma abstração.

A metaética também é considerada uma linguagem teórica que trabalha com problemas éticos em relação à linguagem e ao conhecimento. Trabalha também com as possibilidades da linguagem ética em relação à ciência: sua suficiência e formalidade e quão rigorosa a linguagem pode ser na descrição do comportamento, entre outras características.

Ética normativa

A ética normativa se foca na formulação de princípios e normas morais que orientam o comportamento humano. Questiona-se sobre o que é certo e o que é errado e procura estabelecer critérios para a tomada de decisões éticas. Entre os exemplos de teorias éticas normativas estão o utilitarismo, a deontologia e a ética das virtudes.

Ética descritiva

A ética descritiva se foca no estudo de como as pessoas percebem e praticam a ética na vida cotidiana. Não indica o que deve ser moralmente correto, mas se preocupa em estudar e descrever como as pessoas tomam decisões éticas e desenvolvem sistemas de valores.

Ética aplicada

A ética aplicada se foca na prática de princípios éticos e morais em situações concretas e contextos específicos. Seu principal objetivo é fornecer orientação moral em cenas da vida cotidiana e em campos profissionais onde surgem dilemas éticos. Os tipos mais comuns de ética aplicada são:

  • Ética profissional. Refere-se aos princípios e regras morais que regem a conduta dos indivíduos em seu ambiente de trabalho.
    Implica responsabilidade e honestidade ao tomar decisões éticas, respeitar a confidencialidade e agir com integridade nas interações de trabalho.
  • Ética médica. Tem como foco os dilemas éticos que surgem no atendimento e na prática médica.
    Inclui questões como consentimento informado, fim da vida, eutanásia, experimentos com seres humanos e a alocação de recursos médicos escassos.
  • Ética empresarial. Examina os dilemas éticos nas empresas e no comércio.
    Abrange questões como responsabilidade social corporativa, tomada de decisões éticas nos negócios, gestão de conflitos de interesse e ética na publicidade.
  • Ética jurídica. Trata de questões éticas relacionadas à prática do Direito.
    Inclui dilemas éticos enfrentados por advogados, juízes e outros profissionais do Direito, bem como questões de justiça, direitos humanos e aplicação da lei.
  • Ética ambiental. Examina os problemas éticos relacionados à conservação ambiental e à sustentabilidade.
    Envolve questões como responsabilidade em relação às gerações futuras, exploração de recursos naturais e proteção da biodiversidade.
  • Ética na tecnologia. Tem como foco os dilemas éticos que surgem no desenvolvimento e no uso da tecnologia.
    Abrange questões como inteligência artificial, privacidade on-line, biotecnologia e robótica.
  • Ética na pesquisa. Examina as questões éticas na pesquisa científica e acadêmica.
    Inclui questões como a conduta dos pesquisadores, a integridade da pesquisa e o tratamento dos sujeitos da pesquisa.
  • Ética na política e no governo. Refere-se aos dilemas éticos relacionados à tomada de decisões políticas, à governança e à conduta ética dos líderes políticos.
    Inclui questões como corrupção, justiça social e direitos humanos.
  • Ética na educação. Aborda os aspectos éticos do ensino e da aprendizagem.
    Inclui questões de plágio, honestidade acadêmica e o relacionamento entre educadores e alunos.

Tipos de ética de acordo com a ação moral

Uma maneira de classificar a ética é por meio da ação moral, que é a prática da ação humana. As diferentes éticas pensam na ação moral sob diferentes perspectivas.

Teorias éticasObjetivoConceitos importantes
Ética aristotélicaÉtica como a busca de uma vida boaA felicidade como um ideal
Ética cristã
Personalismo
Ética epicuristaA felicidade como prazer
Ética utilitarista
Ética estoicaA ética como cumprimento do deverDever, justiça
Ética kantiana
Ética dialógicaA ética como solução pacífica de conflitosReconhecimento mútuo, não violência, justiça
Ética comunitáriaA ética como uma tradição de sua própria comunidadeVirtude, comunidade, tradição
  • Ética aristotélica. A ação moral na ética aristotélica se baseia no conceito de “virtude” e na busca da felicidade por meio de uma vida virtuosa. Aristóteles sustenta que a ação moral implica encontrar um equilíbrio entre dois extremos, conhecidos como vícios, e isso é alcançado por meio da prática de virtudes como coragem, temperança e justiça.
  • Ética cristã. A ação moral na ética cristã se baseia nos princípios e ensinamentos da fé cristã, em especial nos mandamentos e ensinamentos de Jesus Cristo.
  • Personalismo. A ação moral no personalismo é definida como qualquer ação que respeite e promova a dignidade e o valor intrínsecos de cada indivíduo. Implica tratar as outras pessoas com respeito, justiça e empatia, reconhecendo seus direitos e necessidades individuais.
  • Ética epicurista. A ação moral na ética epicurista se baseia na busca da felicidade e na ausência de dor. Epicuro defendia que a felicidade é alcançada por meio do prazer moderado e da evitação da dor e, para isso, ele defendia a amizade, a sabedoria e a moderação nos desejos.
  • Ética utilitarista. A ação moral na ética utilitarista se baseia no princípio de buscar a felicidade e o bem-estar para o maior número possível de pessoas. Essa teoria ética, desenvolvida principalmente por filósofos como Jeremy Bentham e John Stuart Mill, sustenta que uma ação é moralmente correta se produzir felicidade na sociedade e minimizar o sofrimento.
  • Ética estoica. A ação moral na ética estoica se baseia na ideia de que a virtude é o bem supremo. Os estoicos enfatizavam a importância de controlar as próprias ações e decisões e de aceitar com serenidade o que não pode ser controlado.
  • Ética kantiana. Segundo Kant, uma ação é moralmente correta se estiver em conformidade com o imperativo categórico, que propõe: “Age apenas de acordo com uma máxima tal que possa ao mesmo tempo querer que ela se torne uma lei universal”.
  • Ética dialógica. A ação moral na ética dialógica se baseia nos conceitos de reconhecimento recíproco (de uma pessoa para outra), a justiça e a busca da não violência. Essa ética foi desenvolvida por pensadores como Karl-Otto Apel, Jürgen Habermas e John Rawls.
  • Ética comunitária. A ação moral na ética comunitária se baseia no contexto da comunidade e das relações sociais. O comunitarismo enfatiza a importância das comunidades e a influência da cultura e da tradição na formação da moral.

Tipos de ética de acordo com a época

Uma maneira de classificar a ética e distinguir seus tipos é de acordo com a época em que cada sistema foi proposto. Esta classificação diferencia uma ética da Grécia Antiga, uma ética da Idade Média e uma ética da Modernidade. Cada uma delas responde a uma cosmovisão específica e suas respectivas preocupações da época.

Ética da Grécia Antiga

Na Grécia Antiga, os filósofos entendiam a ética como uma busca pela felicidade e pela vida boa. O objetivo da ética era descobrir os melhores meios de alcançar uma vida plena mediante o uso correto da razão e das virtudes.

Segundo Aristóteles, a prudência difere da racionalidade técnica porque visa a tomar decisões que garantam a felicidade. A razão, por outro lado, propõe decisões que respondem a critérios neutros e imparciais.

Nem todos os filósofos gregos concordavam sobre o que era a felicidade e, por isso, cada um deles propôs sistemas éticos diferentes:

  • A ética hedonista. Pensava na felicidade como prazer, ausência de dor e satisfação dos sentidos. A ética de Epicuro é um exemplo desse pensamento.
  • A ética eudaimonista. Pensava na felicidade não apenas como prazer, mas como aquilo que se alcança quando se realiza a atividade própria de cada ser. A ética de Aristóteles é um exemplo desse pensamento.
  • A ética do dever. Pensava que a ética deveria ser a busca de um equilíbrio entre conduta e razão, uma vez que a razão afasta as tentações do desejo. A ética estoica é um exemplo desse pensamento.

Ética da Idade Média

Após a expansão do cristianismo, a Idade Média viu o surgimento do que é conhecido como “a ética do amor”. Esta pensava na felicidade como uma atividade na qual o amor era superior ao conhecimento. Para os cristãos, o amor era o caminho que conduzia a Deus, que era a fonte inesgotável de felicidade.

  • Ética agostiniana. Santo Agostinho, em seu livro A Cidade de Deus, desenvolve uma ética baseada na fé em Deus e na busca constante de seu amor como fonte de felicidade plena e de uma vida boa.
  • Ética tomasiana. São Tomás de Aquino concebia a ética como a atividade pela qual a razão introduzia ordem nos atos da vontade. Esta ordem respondia à lei moral e tinha uma base no pensamento aristotélico, bem como no pensamento agostiniano.

Ética moderna

A Idade Moderna foi caracterizada pelo surgimento de diferentes éticas, bem como pelo renascimento de certos valores antigos.

  • Ética utilitarista. Esta ética consistia na busca da felicidade relacionada ao prazer. Os utilitaristas retomaram a ética hedonista: acreditavam que as decisões deveriam ser tomadas com base na opção mais útil de acordo com os objetivos desejados. As decisões éticas tinham de se basear na busca do prazer e do bem.
  • Ética kantiana. Esta ética consistia em uma ética do dever, como a ética estoica. Embora sustente que a felicidade é o objetivo das pessoas, trata-se de um fim natural, não de uma decisão do ser humano. Esta busca da felicidade é mediada pelo exercício da razão, que nos obriga a respeitar os demais e a não colocar nossos desejos acima dos deles. Assim, a ética do dever sustenta que este é um fim em si mesmo.

Referências

  • ARANGUREN, J.L.L., Ética, en Obras completas, vol. II, Trotta, Madrid, 1994.
  • CORTINA, A., Ética mínima. Introducción a la filosofía práctica, Tecnos, Madrid, 1986.
  • GRACIA, D., Fundamentos de Bioética, Eudema, Madrid, 1988.
  • HABERMAS, J., Conciencia moral y acción comunicativa, Península, Barcelona, 1985.
  • HIERRO, J., Problemas del análisis del lenguaje moral, Tecnos, Madrid, 1970.
  • HORTAL, A., Ética, vol.l. Los autores y sus circunstancias, Universidad Pontificia de Comillas, Madrid, 1994.
  • SAVATER, F., Ética como amor propio, Mondadori, Madrid, 1988.

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

ESPÍNOLA, Juan Pablo Segundo. Tipos de ética. Enciclopedia Humanidades, 2024. Disponível em: https://humanidades.com/br/tipos-de-etica/. Acesso em: 20 abril, 2024.

Sobre o autor

Autor: Juan Pablo Segundo Espínola

Licenciatura em Filosofia (Universidad de Buenos Aires)

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur)

Data da última edição: 4 abril, 2024
Data de publicação: 4 abril, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)