Quarta Revolução Industrial

Vamos explicar o que é a Quarta Revolução Industrial e quais são suas características. Além disso, suas principais tecnologias e consequências.

Cuarta Revolución Industrial
A Internet das Coisas possibilita a interconexão de diferentes dispositivos de uso diário.

O que é a Quarta Revolução Industrial?

A Quarta Revolução Industrial (também conhecida por “Indústria 4.0”) é um conjunto de inovações tecnológicas que afetam as formas de produção e têm consequências para a economia mundial. Trata-se de um processo que começou nos anos 2000 e que decorre da convergência de tecnologias digitais, físicas e biológicas. O nome “Quarta Revolução” para essa série de transformações é objeto de questionamento por muitos especialistas.

Nas últimas décadas, houve um processo de fusão de diferentes conhecimentos científicos para a inovação tecnológica. Os avanços na informática, na biotecnologia e nos sistemas de telecomunicação permitiram um aprimoramento contínuo de novas tecnologias, principalmente nas áreas de robótica, nanotecnologia, inteligência artificial e programação. A ciberfísica surgiu como um novo ramo científico, em que os limites entre o físico e o digital se perderam.

Por sua vez, a eletrônica, o desenvolvimento de software e as plataformas de comunicação foram incorporados aos processos produtivos e geraram novos sistemas de produção. A inteligência artificial e a “Internet das Coisas” (a interconectividade entre diferentes tipos de dispositivos, plataformas e serviços) modificaram os espaços e as formas de produção.

Muitos especialistas não concordam em definir essas mudanças sob o conceito de “revolução” e defendem que elas são uma extensão da Terceira Revolução Industrial. Aqueles que defendem a diferenciação da Quarta Revolução Industrial destacam a globalização do uso da internet, sua incorporação aos sistemas de produção e sua integração à vida cotidiana.

Características da Quarta Revolução Industrial

Algumas características da Quarta Revolução Industrial são as seguintes:

  • Surge devido à velocidade, à magnitude e à profundidade geradas pela incorporação de inovações tecnológicas nos processos produtivos.
  • É um conceito que está em discussão e tem sido usado para descrever algumas formas de produção desde os anos 2000.
  • Define-se a partir da fusão de diferentes áreas científicas no setor: a ciberfísica é uma nova disciplina científica que integra os avanços da ciência da computação e da biotecnologia.
  • A internet é um eixo essencial que percorre todo o sistema de produção atual e modifica os métodos de produção e gerenciamento de negócios.

Mudanças na Quarta Revolução Industrial

Cuarta Revolución Industrial
A incorporação da robótica e da inteligência artificial está transformando as formas de produção.

A introdução contínua de inovações tecnológicas na indústria tem consequências profundas para a produção, a distribuição e o consumo de bens e serviços para a sociedade.

As revoluções industriais dos séculos anteriores estavam ligadas à incorporação de novas invenções ao sistema de produção. No entanto, a Quarta Revolução Industrial não se define por inovações tecnológicas, e sim pelo surgimento de um novo sistema econômico e social baseado na expansão do mundo digital (internet). A revolução desse sistema produtivo não se baseia em inovações tecnológicas em si, mas na velocidade, na magnitude e na profundidade das mudanças que elas produzem.

A produção industrial do século XXI integra cada vez mais o conhecimento científico e as inovações técnicas (provenientes, por exemplo, da nanotecnologia ou da biotecnologia) que transformam a maneira de produzir todos os tipos de bens e serviços. Ademais, essa tendência abrange uma grande variedade de setores econômicos e industriais.

Também são incorporadas invenções que facilitam determinados aspectos da produção, como sistemas de armazenamento de energia renovável, o processamento de Big Data (grandes volumes de informação), as conexões sem fio, as impressões digitais, a realidade virtual, a visão artificial e o software de simulação.

Principais tecnologias da Quarta Revolução Industrial

As principais tecnologias que caracterizam a Quarta Revolução Industrial são:

  • A Internet das Coisas. É a interconexão, por meio da internet, de vários dispositivos de uso cotidiano, como telefones celulares, eletrodomésticos e televisores.
  • A inteligência artificial. É a tecnologia que busca imitar a inteligência e as funções cognitivas humanas e é usada, por exemplo, em dispositivos de smartphones, em sistemas de assistência por voz, na interpretação de perguntas ou em sistemas de geolocalização.
  • A robótica. É a criação de artefatos que permitem a execução de funções humanas e são usados, especialmente, em sistemas de produção para tarefas como montagem, transporte, corte e manuseio de materiais.
  • A realidade aumentada. É a tecnologia que permite incorporar elementos virtuais à interpretação da realidade, como, por exemplo, a visualização de objetos adicionados ao ambiente por meio da câmera de um telefone celular.
  • A realidade virtual. É a tecnologia que permite criar um ambiente virtual de cenas e elementos que geram a sensação de estar imerso nele, por meio do uso de um dispositivo que cobre toda a visão.
  • Big Data. É o processo de análise e interpretação de grandes quantidades de dados de forma remota e, por exemplo, é usado por empresas para tomar decisões, detectar tendências e analisar dados provenientes do mundo real.

Consequências da Quarta Revolução Industrial

O conceito de “Quarta Revolução Industrial” não abrange um processo histórico do passado, mas busca caracterizar as possíveis consequências do atual sistema de produção no futuro. Portanto, as consequências não devem ser consideradas como um fato consumado, mas como uma estimativa dos efeitos em larga escala dessa nova era industrial.

De modo geral, pode-se argumentar que a Quarta Revolução Industrial tem como objetivo:

  • A automação total da produção industrial. Com a introdução de robôs, as máquinas físicas são combinadas com processos digitais, a inteligência artificial é incorporada para a tomada de decisões descentralizada e a cooperação com recursos humanos.
  • A criação de fábricas inteligentes. A criação de redes inteligentes que se envolvem com toda a cadeia de valor transforma os espaços de produção.
  • A flexibilização do processo produtivo. A introdução de fábricas inteligentes permite maior adaptabilidade às condições atualizadas do mercado e a incorporação de modificações no processo de produção.

Por outro lado, essa transformação do setor teria profundas consequências sociais:

  • O aumento do desemprego. A introdução da robótica e da automação levará a uma queda no número de empregos necessários para a produção de um determinado bem.
  • O aumento da desigualdade social. O desemprego sempre afeta os setores mais vulneráveis da população e, por sua vez, as novas condições de emprego aumentam a diferença social entre trabalhadores qualificados e não qualificados.
  • A concentração de capital. O capital necessário para investir em inovações tecnológicas deixa cada vez mais empresas de pequeno e médio porte fora da competição e beneficia as grandes corporações que podem integrar as diferentes etapas do processo produtivo.

O contexto da Quarta Revolução Industrial

O termo “Quarta Revolução Industrial” pertence a uma periodização que identifica diferentes momentos históricos nos quais as mudanças nas formas de produção de bens transformaram a organização política, econômica e social das sociedades que por elas passaram:

  • Primeira Revolução Industrial (1760–1840). A invenção da máquina a vapor levou à mecanização de certas tarefas produtivas e à criação de fábricas nas cidades. Isso permitiu a produção em larga escala e um grande desenvolvimento das indústrias de metal, têxtil e alimentícia.
  • Segunda Revolução Industrial (1870–1914). Foi introduzida a linha de montagem nas fábricas. Ao mesmo tempo, a especialização das tarefas produtivas aumentou a produtividade e expandiu a industrialização para outras áreas produtivas. Houve uma revolução nas tecnologias de transporte (o avião, o automóvel e o trem foram inventados) e de comunicação (rádio, telefone, fonógrafo e cinematógrafo).
  • Terceira Revolução Industrial (1970–1980). A incorporação de inovações tecnológicas em informática, robótica, telecomunicações e biotecnologia nas indústrias levou a uma profunda transformação da organização produtiva. O uso de computadores para processar informações e o aprimoramento das telecomunicações aumentaram a produtividade das indústrias. Consequentemente, isso permitiu o surgimento de grandes corporações empresariais que concentraram as funções de administração, produção e comercialização de bens e serviços.

Referências

  • Caro Márquez, E. (2017). La cuarta revolución industrial. Universidad de Sevilla.
  • Gasca-Hurtado, G. P., & Machuca-Villegas, L. (2019). Era de la cuarta revolución industrial. Revista Ibérica de Sistemas e Tecnologias de Informação, (34), XI-XV.
  • González Hernández, I. J., Armas Alvarez, B., Coronel Lazcano, M. (y otros). (2021). El desarrollo tecnológico en las revoluciones industriales. Ingenio Y Conciencia Boletín Científico De La Escuela Superior Ciudad Sahagún, 8(16), 41-52.

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

KISS, Teresa. Quarta Revolução Industrial. Enciclopedia Humanidades, 2024. Disponível em: https://humanidades.com/br/quarta-revolucao-industrial/. Acesso em: 20 abril, 2024.

Sobre o autor

Autor: Teresa Kiss

Professora de História do ensino médio e superior.

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur)

Data da última edição: 2 abril, 2024
Data de publicação: 31 março, 2024

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)