Pós-modernismo

Vamos explicar o que é o pós-modernismo e quais são as suas características gerais. Além disso, como é a sociedade pós-moderna e a sua arquitetura.

Capitalismo
O pós-modernismo se opôs aos conceitos de que a realidade é natural.

O que é o pós-modernismo?

O pós-modernismo é um movimento filosófico, cultural e artístico que surgiu no final do século XX como reação às ideias intelectuais e filosóficas da Modernidade. Seu nome deriva do fato de ter sucedido ao modernismo como uma corrente filosófica.

O pós-modernismo se opõe à ideia de uma realidade natural, objetiva e independente do homem e defende que esta ideia se baseia em um realismo ingênuo. É notável por seu ceticismo ou rejeição da corrente da “razão iluminada”.

Jean-François Lyotard (1924-1998), em A Condição Pós-moderna, analisa a cultura pós-moderna como o fim das metanarrativas ou “grandes narrativas”, a principal característica da Modernidade. Exemplos disso são o reducionismo e as interpretações teleológicas do marxismo e doiIluminismo, entre outras.

Em vez de negar a identidade do que foi conhecido até agora, o pós-modernismo se baseia no conceito de “diferença” como um mecanismo produtivo. Defende que o pensamento (e o que obriga os seres humanos a agir) é uma questão de sensibilidade e não de razão.

Algumas características do pós-modernismo

O movimento pós-modernista se caracterizou pela visão de que:

  • A filosofia ocidental moderna cria dualismos. O pós-modernismo mantém uma postura híbrida ou pluralista sobre a realidade.
  • A verdade é uma questão de perspectiva ou de contexto, em vez de algo universal ou absoluto. Esta ideia deriva do perspectivismo nietzschiano: Nietzsche afirma que “não há fatos, mas interpretações”.
  • A linguagem molda o modo de pensar, e não pode existir pensamento sem linguagem. Autores como Derrida trabalham com este conceito.
  • A linguagem é capaz de criar literalmente a realidade. A performatividade de Austin apresenta uma teoria a este respeito.

A filosofia pós-moderna

A Filosofia pós-moderna é baseada na ideia de superar a Modernidade. Embora seja difícil identificar as origens do pós-modernismo, seu início está frequentemente situado nos anos 60, na França. A maioria dos pensadores pós-modernos também são pós-nietzschianos: Derrida, Lyotard, Foucault, Baudrillard, Deleuze, Guattari, Nancy, Barthes e Lacan, entre outros.

Esta superação da Modernidade nasceu como uma rejeição ou distanciamento dos ideais característicos do período anterior. Muitos dos seus autores baseiam-se no existencialismo, na desconstrução, no pós-humanismo e na Teoria Literária contemporânea. Todos eles rompem com a primazia que a Modernidade deu ao sujeito e à razão.

Algumas das ideias principais do pós-modernismo filosófico são o logocentrismo derridiano, a dicotomia binária e as relações de poder. Obras como As Palavras e as Coisas de Foucault, Da Gramatologia de Derrida, ou O Anti-Édipo de Deleuze e Guattari, trabalham com estas ideias.

Com relação ao conceito de diferença, diversos autores adotam posições semelhantes, mas não totalmente compatíveis.

  • No caso de Derrida, existe o conceito de différance ou “diferença”, que é a sobreposição de diferir simultâneo ao diferenciar. Este conceito aparece pela primeira vez em seu livro de 1967, Da Gramatologia, no qual trabalha a linguagem e a escrita não como sinal, mas como gramma ou inscrição “diferenciada”.
  • Deleuze também trabalha a multiplicidade bergsoniana como uma forma de diferenciação.
  • Foucault, por sua vez, trabalha a episteme como uma singularidade modificada pelo exercício do poder.
  • No caso de Lyotard, o termo criado é “disputa”, determinando que não é mais possível legitimar as históricas pretensões da verdade dos diferentes sistemas filosóficos ocidentais.

A arte pós-moderna

O pós-modernismo é caracterizado pelo fato de romper com as regras estabelecidas da arte e introduzir uma nova era de liberdade na qual “vale tudo”. Revela-se uma corrente antiautoritária porque se recusa a reconhecer a influência de qualquer estilo.

O movimento pós-modernista, com o objetivo de desafiar os limites do gosto coletivo, mostra-se em um tom humorístico, irônico e até ridículo. Tem uma postura antidualista que confronta os preconceitos clássicos de oposição, como oriente e ocidente, homem e mulher, rico e pobre ou preto e branco.

Como exemplo de arte pós-moderna está o minimalismo, a arte conceitual, land-art, happening e intervenções. Todas elas afirmam que há um fracasso da arte de vanguarda. Defendem que as vanguardas nada mais são do que uma resposta fracassada ao cânone estabelecido: uma vez que eles fazem a sua crítica e marcam a sua diferença artística em relação ao cânone, acabam se juntando a ele.

A arquitetura pós-moderna

Posmodernismo
A Galeria Estadual em Stuttgart, Alemanha, é um edifício pós-moderno.

A arquitetura pós-moderna destaca-se por ser do tipo indefinida, sem se opor a nenhum dos estilos conhecidos, mesmo conseguindo se diferenciar deles. Substituiu a estética moderna (em ângulo reto e ausência de ornamentação) por linhas irregulares e superfícies incomuns.

Alguns exemplos de arquitetura pós-moderna: a Galeria Estadual em Stuttgart (na Alemanha), a praça pública Piazza d'Italia em Nova Orleans (nos Estados Unidos) e o edifício do Parlamento escocês em Holyrood (na Escócia).

Os edifícios pós-modernos são frequentemente vistos por arquitetos da Modernidade como vulgares ou com uma ética populista. Contrariamente, os arquitetos pós-modernos podem considerar os edifícios modernistas como fachadas sem alma e sem graça.

A literatura do pós-modernismo

A literatura pós-moderna é caracterizada por uma ideologia e estilo que apela à fragmentação, à diversidade, ao paradoxo, a narradores pouco conhecidos, à paródia e ao “humor negro”. Ela rejeita a diferenciação entre gêneros e formas de escrita.

A literatura dos anos 90 na América Latina conheceu uma tendência para a pós-modernidade. Alguns de seus expoentes mais destacados incluem Ricardo Piglia, Diamela Eltit, Rafael Humberto Moreno-Durán, José Balza e José Emilio Pacheco.

Os autores pós-modernos são comumente identificados por estabelecer um limite difuso entre os discursos ficcionais e os ensaios: escrevem ficções sobre literatura e ensaios sob a forma de ficção.

A sociedade pós-moderna

Una mujer deposita un envase de plástico en un contenedor para ser reciclado.
O pós-modernismo trouxe uma revalorização do planeta Terra.

No curso do desenvolvimento da sociedade pós-moderna, houve a transição de uma economia de produção a uma economia de consumo, inclusive a um consumismo compulsivo, que levou a consequências prejudiciais que podem ser vistas hoje.

Para neutralizar as consequências negativas, o pós-modernismo começou a questionar os desastres ambientais causados pela exploração excessiva dos recursos naturais e a quantidade de resíduos tóxicos gerados. Propôs uma revalorização do planeta Terra e uma conscientização para seu cuidado.

Algumas críticas ao pós-modernismo

Em todos os campos em que o pós-modernismo se desenvolveu, houve resistências e rejeições às ideias gerais que ele apresenta. Seja na arquitetura, na arte ou na literatura, gerações de artistas, escritores e pensadores argumentam que a pós-modernidade é o sintoma de uma sociedade decadente, cujo apoio se perdeu no tempo.

Um dos exemplos mais famosos é o livro escrito pelos físicos Alan Sokal e Jean Bricmont, Imposturas Intelectuais: O abuso da ciência por parte dos intelectuais modernos. Nesta obra, eles expõem o relativismo ao qual a pós-modernidade está sujeita. Criticam tanto o uso de conceitos científicos por filósofos quanto o uso de uma linguagem não comunicativa de alguns autores, como Derrida ou Heidegger que tendem a escrever suas obras com uma linguagem não predicativa ou liberada para o exercício lúdico como um desdobramento do pensamento.

Os filósofos e pensadores mais criticados por Sokal e Bricmont são Jacques Lacan, Julia Kristeva, Gilles Deleuze, Bruno Latour e Jean Baudrillard.

Referências

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

ESPÍNOLA, Juan Pablo Segundo. Pós-modernismo. Enciclopédia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/pos-modernismo/. Acesso em: 7 junho, 2024.

Sobre o autor

Autor: Juan Pablo Segundo Espínola

Licenciatura em Filosofia (Universidad de Buenos Aires)

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur)

Data da última edição: 27 maio, 2024
Data de publicação: 29 junho, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)