Mercado de trabalho

Vamos explicar o que é o mercado de trabalho e como ele funciona. Além disso, quais são seus indicadores, seus elementos e muito mais.

mercado laboral
O mercado de trabalho é uma área fundamental da economia e da sociedade.

O que é o mercado de trabalho?

O mercado de trabalho é um espaço onde os empregadores e as organizações que oferecem emprego e as pessoas que procuram trabalho se inter-relacionam. As pessoas podem se candidatar às ofertas dos empregadores conforme se adéquem aos requisitos solicitados.

No mercado de trabalho intervêm diferentes fatores, como as leis de trabalho estabelecidas pelo Estado, a influência das associações de trabalhadores ou dos sindicatos e as negociações e acordos particulares entre o empregador e o empregado.

Os diferentes fatores intervêm no mercado de trabalho para estabelecer o emprego registrado e legalizado, um valor de salário-mínimo e condições de trabalho dignas. No entanto, existem situações de trabalho não registadas ou informais, especialmente por parte de alguns pequenos empregadores que não podem pagar os custos que implica um trabalho de carteira assinada.

PONTOS IMPORTANTES

  • O mercado de trabalho é um espaço físico ou virtual no qual se relacionam os empregadores (que oferecem trabalho) e os trabalhadores (que buscam ou demandam um emprego).
  • O equilíbrio entre a oferta de trabalho e a procura de emprego é condicionado pelas leis trabalhistas e pela situação econômica de cada país.
  • O mercado de trabalho é a base da produtividade econômica das sociedades modernas.

Características do mercado de trabalho

O mercado de trabalho se caracteriza por três aspectos fundamentais que lhe conferem entidade:

  • O trabalho ou força de trabalho. É a atividade exercida pelas pessoas em troca de um salário e é o elemento fundamental para que a atividade econômica se ative e se desenvolva.
  • Os fatores de produção. São os recursos naturais (como a terra, a água ou os minerais) e os recursos criados pelo homem (como as máquinas e o capital) que permitem a um empregador ou empresa desenvolver um negócio, além da força de trabalho das pessoas.
  • A capacidade de consumo. É a ação de gastar dinheiro em bens e serviços para satisfazer as necessidades e está sujeita à capacidade de compra das pessoas. Para que a economia de uma nação prospere, é preciso que a população consuma no mercado interno.

Como funciona o mercado de trabalho?

O mercado de trabalho funciona devido ao número de oportunidades de emprego existentes e aos recursos humanos ou à força de trabalho que estão dispostos a realizar, ou seja, funciona através da procura e da oferta de emprego:

  • A demanda por emprego. É o conjunto de empregadores e organizações que buscam empregados para que trabalhem com eles.
  • A oferta de emprego. É o conjunto de pessoas que procuram trabalho.

O equilíbrio entre a oferta e a demanda é condicionado pelas leis trabalhistas estabelecidas pelo Estado e pela intervenção dos sindicatos no que diz respeito aos direitos dos trabalhadores.

No entanto, nas nações que atravessam graves conflitos econômicos, como a inflação, e sociais, como a falta de acesso à educação, não é suficiente a intervenção do Estado e dos sindicatos. As condições de trabalho tendem a tornar-se mais precárias, as empresas não conseguem enfrentar os custos e evitam certas leis trabalhistas para sobreviver.

Como consequência, criam-se condições de emprego informal ou irregular que é um tipo de relação na qual o trabalhador recebe dinheiro em troca do seu trabalho, mas não é um salário com carteira assinada por parte do empregador, nem o trabalhador independente emite um comprovante fiscal para declarar o seu trabalho.

Os impostos são despesas adicionais ao salário do trabalhador que, tanto o empregador como o trabalhador independente, são obrigados a pagar ao Estado. Em troca, o empregado tem acesso a uma cobertura de saúde, um sistema de aposentadoria e pensões, benefícios e licenças, entre outros.

O emprego informal representa uma situação de vulnerabilidade para o trabalhador que não paga ao Estado os impostos correspondentes e uma precarização do mercado de trabalho em geral.

Por que o mercado de trabalho é importante?

O mercado de trabalho é a base do desenvolvimento das sociedades modernas.

As sociedades modernas estão estruturadas com base na produtividade econômica e na evolução da comunidade: cada cidadão é uma condição básica para crescer, satisfazer necessidades e desenvolver uma vida digna.

As condições sociais nem sempre são justas e ainda é necessária uma mudança de paradigma que rompa com os ideais políticos tradicionais. Apesar disso, o trabalho é uma ferramenta que proporciona autonomia ao indivíduo e lhe permite viver nas sociedades globalizadas.

Indicadores do mercado de trabalho

Os indicadores são características que podem ser mensuráveis e expressas através de dados. Servem para conhecer o rendimento e a evolução de um projeto, um produto ou uma empresa no mercado em um momento determinado.

  • Por exemplo: analisar diferentes indicadores antes de lançar um novo produto no mercado ou conhecer a situação da empresa em relação aos concorrentes em um momento específico. Também é possível analisar indicadores do mercado de trabalho para conhecer a porcentagem de pessoas desempregadas ou de pessoas com empregos precários ou informais.

Os principais indicadores do mercado de trabalho são:

  • População Economicamente Ativa (PEA). Corresponde ao total das pessoas que estão em condições de trabalhar: as que estão empregadas, as que trabalham de forma independente e as que estão desempregadas. A faixa etária da PEA depende da legislação de cada nação, mas ronda a maioridade até a terceira idade, cerca de 70 anos.
  • População Não Economicamente Ativa (PNEA). Corresponde ao total das pessoas que não têm emprego e nem estão à procura de um, porque não estão disponíveis para trabalhar devido à sua idade, como as pessoas menores de 16 anos e as maiores de 70 anos, ou a questões de saúde, deficiência, entre outras razões.
  • Emprego precário. Corresponde às condições de trabalho que não são dignas e que não estão cobertas pelas leis, como a exploração de trabalho, um salário muito abaixo do mínimo estabelecido, a falta de segurança para o empregado e a má qualidade de vida.
  • Subemprego. Corresponde a um tipo de precarização oculta do trabalho que geralmente ocorre devido à falta de emprego em geral. Desenvolve-se dentro dos parâmetros da lei, mas não permite levar uma vida digna a médio e a longo prazo. O empregado recebe um salário acima do nível mínimo estabelecido, mas trabalha menos horas, realiza tarefas menos qualificadas segundo o seu perfil ou que diferem da sua especialização, à custa de obter um salário.
  • Desemprego. Corresponde ao total de pessoas de uma nação que estão economicamente inativas, ou seja, que não têm emprego e nem realizam atividade que contribua para a economia de um país, ainda que possam estar em busca de um emprego.
  • Taxa de desemprego. Corresponde à porcentagem da população desempregada dentro da população economicamente ativa e não da população total de uma nação. As elevadas taxas de desemprego contribuem para criar condições de trabalho precário e subemprego.
  • Emprego informal. Corresponde a uma situação de trabalho irregular em que uma pessoa recebe dinheiro em troca do seu trabalho, mas esse dinheiro não resulta em um salário registrado que contemple os respectivos impostos para o Estado e nem é declarado mediante um comprovante fiscal no caso dos empregados independentes. Não se deve confundir com o trabalho precário, porque pode acontecer que um trabalho foi bem remunerado, só que não foi declarado à Receita Federal.
  • Salário nominal. Corresponde ao salário ou à quantidade de dinheiro que recebe o trabalhador, que pode ser pago de forma mensal ou semanal.
  • Salário real. Corresponde ao valor do dinheiro que recebe o trabalhador em relação à capacidade de compra que representa esse dinheiro. Por exemplo: nos países com crises econômicas e desvalorização, o salário pago em moeda local perderá o seu valor nominal mês a mês, ou seja, com a mesma soma de dinheiro poderá comprar cada vez menos artigos. É por isso que os salários devem ser aumentados periodicamente, para amortizar a porcentagem desvalorizada da moeda local.

Referências

  • Khan Academy (2019). Introducción al mercado de trabajo (video), de: YouTube
  • Arranz, E. (2022). ¿Qué es el mercado laboral? de: FundacionAdecco
  • Work Right Center WoRC (2022). What is precarious work? de: WorkRightsCentre

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

DE AZKUE, Inés. Mercado de trabalho. Enciclopedia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/mercado-de-trabalho/. Acesso em: 20 fevereiro, 2024.

Sobre o autor

Autor: Inés de Azkue

Licenciada em Publicidade (Universidad de Morón)

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 5 setembro, 2023
Data de publicação: 19 julho, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)