Mercado

Vamos explicar o que é o mercado e o que é o preço do mercado. Além disso, os tipos de mercados, a concorrência e muito mais.

mercado-café
O mercado é regido pela lei da oferta e da procura, bem como por restrições do Estado.

O que é o mercado?

Em economia, o mercado é um espaço físico ou virtual no qual se realizam trocas de bens, serviços e ativos líquidos por dinheiro. O intercâmbio ocorre entre compradores e vendedores que podem interagir diretamente ou através de instituições ou plataformas. É um processo em que tanto o vendedor como o comprador obtêm algum benefício.

Os preços ou valores dos bens e dos serviços estão condicionados pela(s):

  • Lei da oferta e da procura (a oferta refere-se à disponibilidade de bens e serviços e a procura refere-se à quantidade de consumidores que pretendem adquirir os bens e os serviços).
  • Regulamentações implementadas pelos Estados.
  • Situação econômica do mercado mundial.

O preço no mercado

mercado mayorista
As vendas por atacado são para os intermediários que vendem ao consumidor final.

O preço é o valor monetário, ou seja, a quantidade de dinheiro que permite adquirir um determinado bem ou serviço no mercado e que os consumidores estão dispostos a pagar.

Por sua vez, o valor de um produto ou serviço no mercado está condicionado por diversos fatores, tais como:

  • A quantidade de dinheiro que requer o seu processo de manufatura. Compreende os custos da matéria-prima, do processo de produção, da infraestrutura, dos trabalhadores e da logística. Se os custos da matéria-prima aumentam (porque escasseiam, porque há desvalorização no país ou porque há inconvenientes com as importações), também aumenta o preço do produto final que se vende no mercado.
  • A capacidade produtiva de um país. Compreende a disponibilidade de indústrias e insumos que, se não forem suficientes, exigem a importação de insumos ou produtos terminados. A escassa produção nacional contribui para a redução dos lucros e dos rendimentos e para o empobrecimento gradual da população.
  • A quantidade de concorrentes. Compreende a existência (ou ausência) de outros ofertantes ou vendedores. Se a população não tiver alternativa de compra, o vendedor pode fixar os preços que quiser, o que gera uma condição de mercado desleal e pouco democrática.
  • A lei da oferta e da procura. Abrange a quantidade de bens ou serviços oferecidos em uma área ou em um domínio específico e a demanda desses bens ou serviços que se verifica em um dado momento no mercado.
    • Se houver muita oferta de um bem ou serviço e pouca demanda, o preço tende a baixar.
    • Se há pouca oferta de um bem ou serviço e há muita demanda, o preço tende a aumentar.
  • A margem de lucro ou ganho de capital. Compreende o montante de dinheiro que o produtor ou vendedor quer obter como margem de lucro. O valor do produto deve cobrir os custos associados a sua produção e comercialização. Além disso, o preço deve implicar um lucro, para que valha a pena produzir e comercializá-lo.
  • O valor agregado. Compreende um valor adicional que o consumidor está disposto a pagar por um produto, que excede o seu valor de fabricação, comercialização e ganho de capital. Tem a ver com a percepção que o consumidor tem da qualidade do produto e da marca, e que se relaciona com o nível de satisfação que alcançará ao adquirir o bem ou serviço. Esse valor subjetivo é o que em marketing se denomina “posicionar-se na mente das pessoas” através de estratégias de marketing, comunicação e publicidade.
  • O tipo de público ao que se vende. Compreende os diferentes tipos de consumidores, de acordo com a sua necessidade (para abastecer uma empresa ou para consumo final) e a sua capacidade de compra, que também influencia a variação dos preços para um mesmo produto, por exemplo:
    • Varejo. Trata-se de um tipo de transação entre um empresário ou uma empresa que vende a um comprador ou consumidor final, ou seja, que compra para uso pessoal.
    • Atacado. Trata-se de um tipo de transação entre um distribuidor que vende grandes quantidades de bens a um preço mais baixo do que a venda de varejo. Os compradores são intermediários, como empresas, distribuidores ou empresários, que depois vendem os produtos ao consumidor final e, dessa forma, obtêm um lucro.

Tipos de mercado

O mercado é controlado ou moderado pela lei da oferta e da procura, pela operacionalidade das trocas comerciais, pelos concorrentes e pelas regulamentações do Estado. Todos estes fatores, por sua vez, são condicionados pelos avanços da tecnologia.

Por exemplo: as plataformas de comércio eletrônico, os meios de pagamentos alternativos e as melhorias nos processos de logística permitiram ampliar as possibilidades de trocas de bens e serviços mundialmente.

Os principais tipos de mercado são:

  • Mercado de produtos terminados. Consiste na transação de um mesmo produto, mas que é comercializado a um valor diferente segundo a quantidade de unidades por compra. Pode ser venda de varejo (consumidor final) ou atacado (revendedores).
  • Mercado de matérias-primas. Consiste na comercialização de produtos inacabados, materiais ou insumos para que as indústrias e os fabricantes possam realizar o processo de manufatura dos produtos.
  • Bolsa de valores. Consiste na troca de ativos líquidos que podem ser convertidos em dinheiro, tais como ações ou fundos de investimento. Trata-se de um mercado que exige algum conhecimento por parte do consumidor ou então é necessário contar com os serviços de um consultor de investimento para operar no mercado de valores.

Concorrência no mercado

A concorrência no mercado é uma situação que contribui para manter o equilíbrio entre a oferta e a procura, uma vez que promove melhorias constantes na qualidade dos produtos e serviços, na qualidade da assistência aos consumidores e na diversidade dos bens ou serviços disponíveis.

Os produtos ou serviços que conseguem ser competitivos, ou seja, que são preferidos pelos consumidores diante da diversidade de bens e serviços com características semelhantes, geram mais rentabilidade para o vendedor e mais valor agregado para o consumidor.

Os tipos de concorrência podem ser:

  • Concorrência perfeita. É uma situação de mercado que não existe enquanto tal, em que os bens e serviços apenas concorrem pela sua condição e qualidade. Todos os ofertantes concorrem em igualdade de condições, sem intervenções externas ao mercado, atos de deslealdade competitiva ou publicidade.
  • Concorrência imperfeita. É a situação de mercado real, na qual intervêm fatores externos à condição e qualidade real dos bens e serviços, como regulamentações estatais, monopólios, oligopólios, grandes campanhas publicitárias, estratégias de mercado, entre outros fatores.

Referências

  • El mercado y su funcionamiento, Servicio Nacional del Consumidor, de Sernac
  • Robinson, Joan Violet (2022). Market de Britannica
  • FAO (2022). ¿Por qué cambian los precios?. Capítulo 3. Food and Agriculture Organization of the United Nations FAO
  • Kotler, P. (2001). Dirección de mercadotecnia: Análisis, planeación, implementación y control. Capítulo 14, Administración del ciclo de vida y de las estrategias de producto. 8va edición. Magíster en Administración-Tiempo Parcial 29, ESAN.

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

DE AZKUE, Inés. Mercado. Enciclopedia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/mercado/. Acesso em: 13 abril, 2024.

Sobre o autor

Autor: Inés de Azkue

Licenciada em Publicidade (Universidad de Morón)

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 30 agosto, 2023
Data de publicação: 19 julho, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)