Tales de Mileto

Vamos explicar quem foi Tales de Mileto, suas principais contribuições e as ideias que deixou. Além disso, os teoremas de Tales e as características da escola de Mileto.

Tales de Mileto introduziu novas ideias filosóficas e contribuiu à geometria.

Quem foi Tales de Mileto?

Tales de Mileto foi um filósofo e matemático grego que viveu entre 624 a.C. e 548 a.C. em Mileto, atual território da Turquia. Sua filosofia se caracterizou por romper com as explicações mitológicas do mundo e dar lugar a um pensamento racional e lógico. Esta transformação é conhecida como a “passagem do mito ao logos”, e considera-se que foi assim que a filosofia ocidental teve seu início.

Tales está posicionado entre os primeiros filósofos físicos ou pré-socráticos. Introduziu um período que se caracterizou por deixar de lado as explicações religiosas ou mitológicas sobre os fenômenos físicos e o início do mundo. Frequentemente é referido como o primeiro filósofo da humanidade, porém, é importante deixar claro que essa afirmação é correta somente em relação ao mundo ocidental, herdeiro do pensamento greco-asiático. Já foi também considerado um dos sete sábios da Grécia.

Um dos principais temas que estudou foi o arché ou o princípio das coisas. Em grego clássico, o arché (ἀρχή) é o “princípio” ou a “origem” de tudo o que é, tanto em sentido temporal como de fundamento ontológico. Para Tales de Mileto, o princípio constitutivo do mundo era a água, e por isso defendia que todas as coisas estavam formadas por ela. Acredita-se que os seus conceitos e descobertas envolvem disciplinas como a matemática, a engenharia e a astronomia.

De fato, a ele é atribuída a previsão do eclipse solar ocorrido no ano 585 a.C. Entretanto, diversas escolas filosóficas clássicas, modernas e contemporâneas dedicadas à história da filosofia afirmam que isto não é verdade, o certo é que, ao não existir uma fonte direta de seu pensamento, a hipótese carece de fundamento.

Principais ideias de Tales de Mileto

As principais ideias de Tales podem ser resumidas em:

  • Para Tales, o universo físico teria sua explicação a partir da razão, apesar da desordem que aparentava. Rejeitava qualquer pensamento baseado no mítico ou mágico.
  • Pesquisou sobre o princípio único do universo e sua natureza. Começou por se interrogar sobre a natureza das coisas e acreditava que, assim como um pedaço de um mineral podia ser transformado em cobre, todas as substâncias podiam ser transformadas em outras.
  • Considerava que a primeira causa de tudo devia ser material e eterna. Perguntava-se se, na sua origem, todas as substâncias poderiam ter o mesmo aspecto e se todas as coisas eram na realidade aspectos diferentes de uma mesma matéria original.
  • Achava que a Terra era como um disco plano que estava suspenso sobre um oceano infinito que, por sua vez, estava coberto por uma semiesfera azul que era o céu.
  • Foi o primeiro a introduzir a geometria na Grécia e atribuem a ele teoremas e descobertas matemáticas. Muitas delas estão reunidas na obra Elementos do matemático grego Euclides.
  • De acordo com Diógenes Laércio, historiador grego, Tales foi capaz de fazer a previsão de um eclipse e calculou o tamanho da lua em relação ao Sol.
  • Acredita-se que foi um dos primeiros pensadores a usar o pensamento dedutivo.
  • Defendia a ideia de uma lei universal (acessível pela razão) que controlava e regulava tudo.
  • Não distinguia a filosofia da ciência.

Vida e obra de Tales de Mileto

Tales de Mileto
Atualmente, o território de Mileto faz parte da Turquia.

Não existem informações precisas sobre a vida de Tales de Mileto. A maioria dos dados vem de doxógrafos e compiladores posteriores à época em que Tales viveu e pensou. Contudo, existe certa informação considerada canônica, sobretudo pela autoridade de sua fonte, como o caso da Metafísica de Aristóteles, em que faz referência a Tales e sua obra, especialmente sobre o seu caráter de filósofo, físico ou naturista.

Tales nasceu em um território denominado Mileto, que pertencia à Grécia antiga e que atualmente é território do litoral ocidental da Anatólia, Turquia. Naquela época era comum os pensadores serem chamados por seu nome seguido do local de nascimento, por esta razão que Tales é conhecido como Tales de Mileto.

Ainda que as suas teorias tenham revolucionado o pensamento e as suas ideias permanecem até os dias de hoje, nenhum escrito original deste pensador foi conservado, também não se sabe ao certo que ele tenha escrito algum em concreto. Por esse motivo, não existem fontes primárias que comprovem a autoria de muitas das descobertas atribuídas a Tales, e a maioria dos dados existentes sobre a sua vida são aproximados. Acredita-se que nasceu em Mileto em 624 a.C. e que durante sua juventude se mudou para o Egito. Neste país, aprendeu geometria e outras ciências estudando com os sacerdotes egípcios.

Diversos teoremas e fundamentações são atribuídos a Tales, entre os quais se destacam os teoremas que receberam seu nome na área da geometria, ainda que, até mesmo sobre estes, sua autoria seja duvidosa.

A escola de Mileto ou Jônica

Tales de Mileto
A escola de Mileto rejeitava todo pensamento baseado no mítico ou mágico.

A escola de Mileto ou Jônica foi fundada por Tales de Mileto, junto com dois filósofos contemporâneos e habitantes de Mileto: Anaximandro e Anaxímenes. Esta escola é considerada a mais antiga da Grécia e se caracterizou por estudar a natureza e o princípio constitutivo do mundo, razão pela qual se conhece estes filósofos como os “físicos”. Os filósofos milésios foram os primeiros a crer que por meio do pensamento era possível encontrar respostas a certa uniformidade do universo, assim como à alternância entre o dia e a noite ou o verão e o inverno, por exemplo.

Anaximandro (610 a.C.-545 a.C.) foi discípulo de Tales e defendia que o princípio constitutivo do mundo, ou arché, era o ápeiron, e o definiu como aquilo indefinido e ilimitado. Por sua vez, Anaxímenes (590 a.C.-524 a.C.) afirmava que o elemento constitutivo do universo era o ar.

Dos relatos de Aristóteles e Diógenes Laércio podemos dizer, com certeza, que Tales foi o fundador da escola jônica de filosofia e que considerou a água como a substância fundante ou “princípio material” de todas as coisas. Este conceito sobre a água como princípio material ou arché foi o que levou Tales a ser considerado o primeiro filósofo grego ou o primeiro pensador ocidental.

O eclipse

Através de Heródoto (historiador que viveu 150 anos depois) nos chegou outra informação certa: Tales previu para os Jônios que haveria um eclipse durante o combate entre Lídia e Média, no dia 28 de maio de 585 a.C. Esta previsão é considerada um dos eventos mais importantes da Antiguidade.

Estudos posteriores, no entanto, provaram que Tales não poderia ter realizado esta previsão em relação à data do eclipse com precisão baseando-se em um método matemático devido à sua concepção de mundo, que era de um planeta plano que flutuava sobre uma fonte de água infinita. Dessa forma, não seria possível realizar os cálculos necessários para estimar a distância entre a Terra, a Lua e o Sol. Na verdade, é o próprio Heródoto quem dá a impressão de que Tales apenas indicou o ano do eclipse usando um período de cálculo conhecido como Saros (um ciclo de 223 meses lunares).

Além das imprecisões, da falta de informações diretas e dos rumores e ditos sobre o filósofo jônico, é inegável a magnitude das mudanças que introduziu no pensamento filosófico grego e ocidental. O simples fato de que Aristóteles, máxima autoridade historiográfica da Antiguidade, o menciona na Metafísica como o primeiro filósofo já é razão suficiente para lhe dar um lugar privilegiado na história da filosofia ocidental.

A água como arché ou primeiro princípio

Aristóteles escreve em sua Metafísica que consta que, a partir do seu estudo sobre a natureza das coisas, Tales chegou à conclusão de que todas as substâncias derivam de uma mesma matéria. Como consequência desta afirmação, estabeleceu que o arché (ou arqué, a origem, fundamento ou princípio das coisas) era a água, porque não existia a possibilidade de qualquer ser vivo (animal ou vegetal) ter vida sem ela. Sobre esta ideia do primeiro princípio Aristóteles afirma:

(…) Tales, o fundador desse tipo de filosofia, diz que o princípio é a água (por esse motivo afirmou que a Terra repousa sobre a água),sendo talvez levado a formar essa opinião, por ter observado que o alimento de todas as coisas é úmido e que o próprio calor é gerado e alimentado pela umidade: ora, aquilo de que se originam todas as coisas é o princípio delas. Daí lhe veio essa opinião, e também a de que as sementes de todas as coisas são naturalmente úmidas e de ter origem na água a natureza das coisas úmidas.
(Aristóteles, Metafísica JA 983 b6)

Este pensamento e a busca da explicação de fenômenos físicos através da razão tornaram Tales de Mileto o “pai da filosofia”. Embora os filósofos de sua época não aceitassem a ideia de que a origem das coisas fosse a água, aceitavam e estavam de acordo com que tudo vinha de uma mesma origem. Para Anaximandro a origem de tudo era o ápeiron, para Anaxímenes era o ar, para Heráclito o fogo e para Parmênides o ser.

Algumas contribuições matemáticas e os teoremas de Tales

Tales de Mileto
Ao colocar um feixe de três retas paralelas sobre duas secantes, os segmentos devem ser proporcionais.

Acredita-se que Tales introduziu a geometria na Grécia depois de ter viajado e estudado no Egito. Na atualidade existem dois teoremas que se aplicam no campo da geometria e são atribuídos a Tales. Acredita-se que os usou para medir a altura das pirâmides de Gizé, no Egito, a partir de suas sombras.

Atualmente, os dois teoremas a continuação são considerados descobertas de Tales ou, em todo caso, levam seu nome em sua homenagem:

  • Primeiro teorema de Tales. Afirma que ao traçar uma reta paralela (tomando como referência algum dos seus lados) sobre um triângulo, é possível obter um triângulo menor semelhante ao primeiro.
  • Segundo teorema de Tales. É aplicado em geometria e faz referência aos triângulos retângulos, às circunferências e aos ângulos inscritos. Assevera que quando um triângulo se forma com o diâmetro de uma circunferência e dois secantes, o ângulo que se forma frente ao diâmetro mede 90°.

As seguintes contribuições matemáticas também são atribuídas a Tales de Mileto:

  • Um círculo se divide em duas partes iguais pelo seu diâmetro.
  • Os ângulos que fazem um triângulo isósceles são iguais.
  • Se duas linhas retas se cruzam, seus ângulos opostos são iguais.
  • Em um semicírculo, seu ângulo inscrito é reto.

Não obstante, estes dados são atribuídos a Tales por Diógenes e Proclo (atribuir a grandes pensadores grandes descobertas era uma prática muito comum na antiguidade).

Referências

  • Guthrie, W. (1984). Historia de la filosofía griega, vol. I. Los primeros presocráticos y los pitagóricos. Gredos.
  • Guthrie, W. (1953). Los filósofos griegos. De Tales a Aristóteles. FCE.
  • Bernabé, A. (2008). Fragmentos presocráticos, de Tales a Demócrito. Alianza.
  • “Thales of Miletus” em Britannica.
  • “Thales of Miletus” em World History Encyclopedia.
  • “Tales de Mileto” em Biblioteca Virtual Miguel de Cervantes.

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

ESPÍNOLA, Juan Pablo Segundo. Tales de Mileto. Enciclopedia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/tales-de-mileto/. Acesso em: 1 março, 2024.

Sobre o autor

Autor: Juan Pablo Segundo Espínola

Licenciatura em Filosofia (Universidad de Buenos Aires)

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur)

Data da última edição: 30 novembro, 2023
Data de publicação: 28 junho, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)