Nicolau Copérnico

Vamos explicar quem foi Nicolau Copérnico e em que baseavam seus estudos. Além disso, as suas características gerais e como foi sua vida.

Nicolás Copérnico
Nicolau Copérnico ficou famoso por ter formulado a teoria heliocêntrica.

Quem foi Nicolau Copérnico?

Nicolau Copérnico foi um matemático, astrônomo, jurista, físico, clérigo católico e líder militar polaco-prussiano renascentista, nascido em 1473 e falecido em 1543, célebre por ter formulado a teoria heliocêntrica do Sistema Solar, segundo a qual o Sol e não a Terra ocupava o eixo central em torno do qual orbita o resto dos astros celestes.

Copérnico dedicou sua vida ao estudo, percorreu as Universidades de Carcóvia e Bolonha, onde estudou Matemática, Direito, Medicina, Grego, Filosofia e, posteriormente, durante uma breve estadia em Roma, Ciências e Astronomia, campo último onde daria os seus maiores frutos.

Apesar disso, e dado o impacto revolucionário que seus estudos teriam na concepção de mundo vigente na época, que violava os preceitos aristotélicos sustentados pela Igreja (concretamente, o modelo do geocentrismo), Copérnico não publicou sua obra, que veio a luz postumamente.

Teoria heliocêntrica

Estrellas - Nicolás Copérnico
Copérnico afirmava que as estrelas são objetos distantes e fixos.

Os preceitos primordiais da teoria que Copérnico desenvolveu durante 25 anos de estudo retomava a obra de Aristarco de Samos, astrônomo e matemático grego, para propor os seguintes postulados:

  • Os movimentos dos astros são circulares, eternos, uniformes ou compostos de vários ciclos.
  • O centro do universo fica mais ou menos perto do Sol.
  • Ao redor do Sol, os diferentes planetas orbitam (os planetas exteriores ainda não tinham sido descobertos).
  • As estrelas são objetos distantes e fixos, que não orbitam ao redor do Sol.
  • O planeta Terra apresenta três movimentos: uma rotação diária, uma revolução anual e uma inclinação anual de seu eixo.
  • O movimento retrógrado dos planetas encontra sua explicação nos próprios movimentos da Terra.
  • A distância entre o Sol e a Terra é muito pequena em comparação com a da Terra às estrelas.

Censura de suas teorias

Nicolás Copérnico
Alguns estudiosos pensam que Copérnico tinha medo das críticas.

Desconhecem-se as razões pelas quais Copérnico não publicou sua obra em vida. Muitas suspeitas apontam para que em 1536, já próximo de sua teoria definitiva, sabia-se em toda a Europa de seus estudos e foi citado pelo arcebispo de Cápua, Nicolau von Schönberg, para que comparecesse e explicasse suas teorias. Nesta citação, parece evidenciar-se a supervisão eclesiástica à qual Copérnico cederia.

Outros estudiosos preferem pensar que Copérnico tinha medo da crítica, o que reforça a sua fé no modelo científico mais do que no religioso.

Publicação de sua obra

O livro que continha sua obra astronômica se denominou De revolutionis Orbium celestium (Das revoluções das esferas celestes) e foi publicado pelo teólogo e editor literário alemão Andreas Osiander, em 1543.

Nela, Copérnico estudou numerosos filósofos gregos, especialmente os pitagóricos, e curiosamente nunca nomeou Aristarco de Samos, primeiro estudioso da história a considerar o modelo heliocêntrico.

Ruptura com as ideias medievais

A grande ruptura que supôs a obra de Copérnico é de índole cosmológica e sobretudo religiosa, já que as ideias sustentadas durante toda a Idade Média pelo dogma da Igreja Católica, e que se sustentava nos textos do filósofo grego Aristóteles, velava por um universo fechado e hierarquizado, do qual a Terra era o centro, dada a sua importância na criação divina.

O modelo copernicano, ao contrário, propôs um universo vasto e indeterminado, praticamente infinito, cujo centro se localizava próximo do Sol.

Estrutura de sua obra

Nicolás Copérnico
O quarto livro de Copérnico explica os movimentos lunares.

De revolutionis Orbium celestium é composto por seis livros, cada um com uma abordagem específica:

  • Primeiro. Uma explicação geral do modelo heliocêntrico.
  • Segundo. Os princípios de uma astronomia esférica e uma lista de estrelas.
  • Terceiro. Os movimentos aparentes do Sol e fenômenos relacionados.
  • Quarto. Os movimentos lunares.
  • Quinto. A explicação concreta do novo sistema com base no exposto.
  • Sexto. Uma continuação da explicação concreta do livro anterior.

Legado

Estas teorias e explicações são consideradas pedra fundamental de numerosos estudos posteriores igualmente revolucionários, como a obra de Galileu Galilei ou de Isaac Newton, pelo que sua contribuição é muitas vezes referida como a “Revolução Copernicana”.

Sintoma da época

A importância do modelo copernicano é tal, em sua ruptura com o modelo religioso imperante, que se considera um sinal das mudanças profundas e enormes que estavam por vir com a revolução científica e o desenvolvimento do humanismo como ideologia imperante, ou seja, com o nascimento da fé na razão humana e na capacidade científica de compreender o mundo.

Rejeição

Nicolás Copérnico
As obras de Copérnico foram incluídas no índice dos livros proscritos pela Igreja.

A rejeição das obras copernicanas, no entanto, ocorreu nas mãos da Santa Inquisição da Igreja Católica, que se opôs e perseguiu os defensores do heliocentrismo. De fato, seus livros foram incluídos no Index librorum proibitorum, ou seja, no índice dos livros proscritos pela Igreja.

Falecimento

Copérnico faleceu de um AVC aos 70 anos. Seus restos foram encontrados em 2005 por um grupo arqueológico na Catedral de Frombork, na Polônia, e foram verificados geneticamente contra um cabelo encontrado entre seus escritos. A partir disso, pode se recompor uma teoria sobre seu rosto real.

Reconhecimentos

O nome de Copérnico foi incluído, uma vez aceito e entendido o valor de suas descobertas, no Calendário de Santos Luterano, e seu sobrenome foi dado como nome a uma cratera lunar e a um asteroide (1322): Copernicus. Em 2010, recebeu segundas exéquias e foi sepultado sob uma lápide negra com o modelo copernicano representado em sua superfície.

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

ETECÉ, Equipo editorial. Nicolau Copérnico. Enciclopédia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/nicolau-copernico/. Acesso em: 24 maio, 2024.

Sobre o autor

Traduzido por: Cristina Zambra

Licenciada em Letras: Português e Literaturas da Língua Portuguesa (UNIJUÍ)

Data da última edição: 18 maio, 2024
Data de publicação: 15 novembro, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)