Etimologia da palavra “filosofia”

Vamos explicar qual é a etimologia do conceito “filosofia”. Além disso, as diferentes definições e debates sobre este termo de acordo com diversos filósofos.

Gilles Deleuze
Gilles Deleuze defende que o amante da sabedoria é aquele que a quer possuir.

A palavra “filosofia” tem a sua origem no grego philosophia (φιλοσοφία). Philosophia é uma voz grega cuja forma é dada pela união de philos (φίλος), que se traduz como “amigo” ou “amante”, e sophia (σοφία), entendida como “sabedoria” ou “saber”. Assim, a tradução mais comum do vocábulo filosofia é “amor à sabedoria” ou “amor ao conhecimento”.

Debates sobre o significado da palavra

O termo filosofia é composto pelas raízes philos e sophia. O significado de sophia não suscita muitas suspeitas: normalmente é “sabedoria”. Isto ocorre porque o filósofo está associado à figura do homem sábio: ele não possui conhecimentos, e sim vai atrás dele.

A maior parte dos debates sobre o significado de “filosofia” giram em torno de philos, um sintagma que tem origem no verbo phileîn (φιλεῖν), que significa “amar”. Ainda que não gere confusão, muitas vezes cai no esquecimento geral que no mundo grego o amor entendido como phileîn não era exclusivamente o amor romântico, mas também podia ser o amor dos amigos. Embora esta distinção parece ser uma questão de gosto, não é uma questão que tenha menos importância, uma vez que existe uma diferença entre o amante e o amigo.

O filósofo francês contemporâneo Gilles Deleuze (1925-1995) defende que o amante da sabedoria é aquele que a quer possuir, enquanto que o amigo é aquele que a reivindica, mas nunca a alcança. Em O que é a Filosofia, publicado junto a Félix Guattari (1930-1992) em 1991, Deleuze afirma que, para os gregos, o filósofo não era o homem sábio, pois os filósofos, entendidos como amigos da sabedoria, não a possuíam de um modo formal, mas estavam sempre em busca dela.

Este entendimento etimológico da filosofia é refletido, por exemplo, em figuras como Sócrates (470-399 a.C.). Na Apologia de Sócrates, de Platão, quem pôs na boca do seu mestre a famosa frase “Só sei que nada sei”. Esta frase deve ser entendida como a afirmação de alguém que, embora reconhecendo a sua ignorância, anseia, procura e acompanha a sabedoria como alguém que procura a companhia de um amigo.

 Jean-François Lyotard (1924-1998), filósofo francês, explica em Por que Filosofar? (1989) que a filosofia tem a sua origem no desejo. Nesta obra, recuperando a origem do deus Eros, nascido da pobreza e da abundância, defende que o desejo pela filosofia é justamente esse: a dupla condição de quem procura continuamente, desejando aquilo que procura, mas sem jamais conseguir alcançar.

Referências

  • Deleuze, G., Guattari, F., & Kauf, T. (2001). ¿Qué es la filosofía?. Barcelona: Anagrama.
  • Lyotard, J. F., & Veiga, J. M. (1989). Por qué filosofar?: cuatro conferencias. Paidós.
  • Griego, D. M. (1967). Griego clásico-español. Vox

Como citar?

As citações ou referências aos nossos artigos podem ser usadas de forma livre para pesquisas. Para citarnos, sugerimos utilizar as normas da ABNT NBR 14724:

ESPÍNOLA, Juan Pablo Segundo. Etimologia da palavra “filosofia”. Enciclopedia Humanidades, 2023. Disponível em: https://humanidades.com/br/etimologia-da-palavra-filosofia/. Acesso em: 20 fevereiro, 2024.

Sobre o autor

Autor: Juan Pablo Segundo Espínola

Licenciatura em Filosofia (Universidad de Buenos Aires)

Traduzido por: Márcia Killmann

Licenciatura em letras (UNISINOS), Doutorado em Letras (Universidad Nacional del Sur)

Data da última edição: 11 julho, 2023
Data de publicação: 29 junho, 2023

Esta informação foi útil para você?

Não

    Genial! Obrigado por nos visitar :)